Blog

Blog

17 de mai de 2014

Direto da redação - Fique por dentro!





O Veneno Está na Mesa 1

 O Veneno Está na Mesa 2 (2014) 



O alimento orgânico não só faz bem para a sua saúde e a saúde de sua família, como não contamina os solos, os rios, os mananciais, não polui o ar, não desertifica a terra, não extingue a diversidade animal, as sementes criolas, respeita as florestas.
Assenta e dá uma vida digna aos trabalhadores e suas famílias no campo, não adoece os camponeses a as cidades vizinhas, não enriquece corporações, que vendem desde o agrotóxico que gera uma doença, até o tratamento dela, não levam bilhões em divisas dos país. Produz mais que o dobro da eficiência da agricultura convencional.
Não usa trabalho escravo, infantil, respeita a mãe terra.
O alimento orgânico não provoca câncer, pelo contrário, previne.

sinopse: "Após impactar o Brasil mostrando as perversas consequências do uso de agrotóxicos em O Veneno está na Mesa, o diretor Sílvio Tendler apresenta no segundo filme uma nova perspectiva. O Veneno Está Na Mesa 2 atualiza e avança na abordagem do modelo agrícola nacional atual e de suas consequências para a saúde pública. O filme apresenta experiências agroecológicas empreendidas em todo o Brasil, mostrando a existência de alternativas viáveis de produção de alimentos saudáveis, que respeitam a natureza, os trabalhadores rurais e os consumidores.

Com este documentário, vem a certeza de que o país precisar tomar um posicionamento diante do dilema que se apresenta: Em qual mundo queremos viver? O mundo envenenado do agronegócio ou da liberdade e da diversidade agroecológica?"

 Meu Amigo Hugo / Mi amigo Hugo (2014)- LEGENDADO PT-BR 


Documentário de Oliver Stone sobre o papel de Hugo Chávez na Venezuela e América Latina. 
Hugo, tornou-se uma das figuras mais controversas internacionalmente: odiado pela elite venezuelana e pela mídia comercial, adorado pelo cidadão comum venezuelano e pelos intelectuais e ativistas em quase todo o mundo. 
De fato, há uma Venezuela antes e depois de Chávez, houve a inserção da maior parte da população na vida política do país, trazendo dignidade e politização às camadas que nunca antes tiveram voz. 
Alfabetizou o povo, tirou a maior parte da miséria, defendeu os direitos das mulheres, indígenas, trabalhadores, gays, etc.
Em vez de assumir o velho papel submisso frente aos EUA, houve sim eventos em que a Venezuela deixava claro que não mais estava à mando das vontades de Washington. Isso, claro, trouxe uma enorme reação da mídia norte-americana e da internacional, cujos donos são praticamente os mesmos.

  A GRANDE PARTIDA: Anos de Chumbo  


O site tem a honra de postar, a pedido do diretor Peter Cordenonsi, o mesmo diretor de "O Petróleo tem que ser nosso", esse revelador documentário, que trata de maneira objetiva dos relatos dos que lutaram contra a ditadura militar no Brasil, quebrando os mitos criados pela mídia tradicional, a mesma que apoiou o Golpe de Estado.

Sinopse: Relatos comoventes, antes silenciados pelos traumas do regime, que nos passam informações preciosas sobre os últimos 50 anos de história do Brasil. Também uma renovação de esperança na construção de uma sociedade menos desigual e mais humana.
Depois de lançar o livro A Grande Partida: Anos de Chumbo, Francisco Soriano toma para si a missão de reunir vários companheiros, sobreviventes da ditadura de 1964, para juntos relembrarem a saga vivida na luta clandestina, buscando a libertação da sociedade brasileira submetida ao terrorismo do Estado policial.


“Esses caras é que ainda não entenderam que o mundo deles já morreu. Esse é o mundo que vai contrário da evolução da humanidade. Eles são a anti-evolução: O sistema patriarcal, hierárquico, autoritário, capitalista, materialista, consumista.

Esta cultura que reduz tudo a mercadoria... ela já é morta.

Nós fazemos parte de um mundo de esperança, que está se anunciando em cada gesto cada palavra rompendo com o nosso velho homem e nossa velha mulher.“ (Marcos Arruda)


 Black Block  


Selecionado para o Festival de Veneza de 2011, o documentário Black Block é um conjunto de relatos de ativistas que foram espancados e torturados na Escola Diaz pela polícia em Gênova, durante o encontro do G8 em 2001.
O Filme mostra o que ocorre quando há interesse que o Estado Republicano seja temporariamente substituído pela repressão simples e pura. A ação inconstitucional da polícia italiana, serviria como um recado para os 300 mil manifestantes que ousaram enfrentar o poder dos 8 países mais poderosos do mundo. Mas o tiro saiu pela culatra. Diferentemente do que ocorre no Brasil, houve um julgamento sobre a ação policial que culminou na condenação de policiais e indenização milionária  para os ativistas.  



Super Size Me é um documentário estadunidense de 2004, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por Morgan Spurlock, um cineasta independente dos Estados Unidos da América.
No filme, Spurlock segue uma dieta de 30 dias (fevereiro de 2003) durante os quais sobrevive em sua totalidade com a alimentação e a compra de artigos exclusivamente do McDonald's.
O filme documenta os efeitos que tem este estilo de vida na saúde física e psicológica, e explora a influência das indústrias da comida rápida.
Durante a gravação, Spurlock comia nos restaurantes McDonald's três vezes ao dia, chegando a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 Big Macs) por dia durante o experimento.
Antes do início deste experimento, Spurlock, comia uma dieta variada. Era saudável e magro, e media 188 cm de altura com um peso de 84,1 kg. Depois de trinta dias, obteve um ganho de 11,1 kg, uns 13% de aumento da massa corporal deixando seu índice de massa corporal em 23,2 (dentro da faixa "saudável" 19-25) a 27 ("sobrepeso").
Também experimentou mudanças de humor, disfunção sexual, e dano ao fígado. Spurlock precisou quatorze meses para perder o peso que havia ganhado.
O fator que motivou Spurlock para fazer a investigação foi a crescente propagação da obesidade em todo os Estados Unidos da América, que o diretor do serviço público de saúde dos Estados Unidos da América tinha declarado como "epidemia", e a correspondente demanda judicial contra o McDonald's em nome de duas meninas com sobrepeso, que alegaram que se converteram em obesas como resultado de comer alimentos do McDonald's.
Spurlock disse que apesar do processo contra McDonald's ter falhado, grande parte da mesma crítica contra as companhias de tabaco se aplica as franquias de comida rápida. Embora se podia argumentar que a comida rápida, ainda seja psicologicamente viciante,1 2 não é tão viciante como nicotina.
O filme foca o Mc Donald's como um dos representantes da indústria alimentar estadunidense, que criou tamanhos exagerados de porções e que, sempre que possível, induz ao consumo de mais e maiores porções, fazendo com que a população consuma muito além do necessário para uma alimentação saudável.
O documentário foi nomeado para um Oscar na categoria de melhor documentário longa.


A bela e o mala 

UM DOLAR ENTRE OS DENTES {Dublado} 

Quadrilha do Inferno (1961) com Audie Murphy 

O CAVALEIRO SOLITÁRIO (Dublado)

O levante dos apaches   

Drácula 

Nosferatu: O Vampiro da Noite