Blog

Blog

26 de jan de 2013

O mistério dos túneis subterrâneos de Porto Alegre e Curitiba









Não é nenhum segredo ou surpresa que os “senhores da guerra” já possuem planos e bases subterrâneas preparadas para “salvar” alguns afortunadas de alguma eventualidade catastrófica em nosso planeta, como uma guerra nuclear ou um cataclisma natural. Se assim o é, podemos nós então rir das lendas das “primitivas” tribos e povos, que contam histórias de migrações subterrâneas? Principalmente na América do Norte, mas também na América do Sul, Ásia e no resto do mundo, existem tribos cujas lendas falam sobre a fuga de seus ancestrais para baixo, afim de escapar aos “ventos que trouxeram a morte, de modo que os anciãos a respiraram?” Mais uma vez surge a dúvida se realmente “existiu outra (ou outras) humanidade(s)”, a qual teria se extinguido por meio de uma guerra nuclear. Será que esses “ventos que trouxeram a morte” não foram conseqüências de uma bomba atômica há centenas de milhares de anos? Podemos rejeitar as tradições dos Apaches e dos Sioux, que afirmam terem eles “caminhado em trevas” durante anos, por cavernas que uniam as duas Américas, depois que inimigos invasores os expulsaram de seu país ancestral (identificado pela descrição como sendo o Perú)? Terá sido esse caminho subterrâneo o mesmo caminho percorrido mais tarde pelo rei Tupac Amaru e quarenta mil sobreviventes do Império Inca, depois que este império foi devastado pelo conquistador espanhol Pizarro, 1533? O “folclore” desses povos não fala apenas de comunidades e migrações subterrâneas. Inclui lendas impressionantes sobre antigas estradas subterrâneas que se estendiam através de redes de cavernas e túneis, sem a menor consideração com linhas de fronteiras superficiais. 

800 KILOMETROS DE SUBTERRANEOS MAIAS

O Coronel Percy Fawcett desapareceu, segundo se acredita, lá pelas imediações da Serra do Roncador, Mato Grosso, onde até os dias atuais os chamados Discos Voadores têm um notável ponto de atividades. Essa serra, diga-se de passagem, tem este estranho nome pelo fato de as pedras "roncarem" - existem algumas tribos de índios dotados de pele branca e também portadores de feições não condizentes com os padrões tradicionais. Por outro lado, essas regiões malditas, e portanto tabus, onde precisamente se situam tais pirâmides e outros bizarros monumentos, já sabemos que os radares de penetração subterrânea descobriram uma vasta rede de profundos túneis e galerias que atingem cerca de 800 quilômetros de extensão! Por todo o planeta acham-se espalhados os enigmáticos vestígios de uma adiantada cultura que foi transmitida às perdidas civilizações, não se sabe exatamente por quem. hoje supostamente atribuídas aos Maias, Aztecas, Toltecas e muitas outras raças -. Contudo, tal hipótese carece de consistência, uma vez que os Maias simplesmente desapareceram da face da Terra, jamais tendo sido encontrados quaisquer vestígios da sua avançada cultura. Na verdade, e conforme já está sendo provado, TODO o Continente da América do Sul, como também a América Central, são percorridos por essas galerias numa extensão incalculável e assombrosa. Essa gigantesco trabalho, obviamente fruto de uma civilização muito mais antiga e desconhecida, necessitou sem dúvida alguma de uma tecnologia extraordinária e talvez ainda hoje não disponível! Relembremos que somente sob o complexo de Tikal - atribuído aos Maias e situado na Guatemala - são comprovadamente 800 quilômetros de uma fantástica rede subterrânea que por sinal atravessa o país de um extremo ao outro! 

PESQUISAS CIENTÍFICAS SECRETAS