Blog

Blog

3 de jan de 2013

Brasil no alvo de Terroristas?





Brasil no alvo de Terroristas?

Enquanto investigamos a procedência dos Atentados na Noruega, uma reportagem me chamou a atenção... Podemos ser os próximos? Acompanhe no Sempre Guerra!



Em manifesto de ódio, terrorista norueguês critica Brasil e sua mistura de raças

A autor do duplo atentado terrorista na Noruega, Anders Behring Breivik, de 32 anos, citou o Brasil em seu manifesto de 1518 páginas publicadas na internet. 

Na página 1153 do documento "A European Declaration of Independence - 2083 (Uma Declaração de Independência Europeia - 2083)", o terrorista afirma que a mistura de raças no país, provocada "pela revolução marxista brasileira” resultou em uma catástrofe, tornando o país sul-americano "disfuncional", de "segundo mundo" e "com baixo nível coesão social". Para ele, esta miscigenação seria a causa da corrupção, baixa produtividade e "conflitos entre diferentes culturas". 

Breivik cita o país em outros trechos. Em um capítulo no qual ensina a montar bombas, ele relembra o episódio do acidente com o Césio 137 em Goiânia, advertindo para se tomar "muito cuidado com substâncias radioativas". A Proclamação da República, em 1889, também é lembrada, por ter sido um "golpe de estado sem sangue". 

O documento é uma verdadeira compilação de ódio contra o islã, o multiculturalismo e a qualquer pensamento de esquerda, ao qual ele se refere frequentemente como "marxismo cultural", além de muitas outras corrente de pensamento. Breivik incentiva outros seguidores a fazerem o mesmo que ele. Em um capítulo, ele tenta provar que a opção armada é a única maneira de "salvar" o continente, já que "cinco décadas de diálogo com marxistas" não surtiram efeito. 

Segue abaixo, na íntegra, em itálico, o trecho em que o terrorista menciona e critica o "modelo brasileiro" de sociedade: 

"Os conservadores devem aproveitar seu poderio político e militar através de uma combinação entre luta armada e democrática nos próximos 70 anos, e implementar as políticas a seguir. A alternativa é o contínuo abastardamento desse modelo, muito similar ao modelo brasileiro. Onde foi estabelecida (graças à revolução marxista brasileira) uma mistura europeia/asiática/africana.

Essa política provou ser catastrófica para o Brasil e outros países que institucionalizaram e facilitaram uma mistura de raças entre asiáticos/europeus /africanos. O Brasil se firmou firmemente como um país de segundo mundo com um nível extremamente pobre de coesão social.

Os resultados são evidentes e manifestados em um alto grau de corrupção, falta de produtividade e um eterno conflito entre várias ‘culturas’ competindo, enquanto a miríade de ‘sub-tribos’ criadas (preto, mulato, mestiço, branco) paralisa qualquer esperança de sequer alcançar o mesmo nível de produtividade e igualdade de, por exemplo, Escandinávia, Alemanha, Coreia do Sul e Japão.

Vendo a falta de coesão social do Brasil, e a produtividade média do brasileiro médio, é evidente que uma aproximação similar na Europa seria devastadora e retardante nacionalmente, sem mencionar que seria um grave crime (genocídio) em contribuir de qualquer maneira para a aniquilação, desconstrução e genocídio dos povos indígenas que são nórdicos por definição".

Fonte: Opera Mundi

Já colocamos aqui no Blog, ameaças de Grupos Terroristas aqui no Brasil, na Reportagem Al Qaeda no Brasil. Pretexto para invasão? do dia 16 de Abril deste ano.

Sempre Guerra: O que me parece é que esta carta/manifesto seja algum tipo de aviso do que está por vir, um novo tipo de terrorismo provocado por novos grupos. Eu já alertei aqui no Blog, sobre eventuais preparativos de grupos terroristas do Oriente Médio, agora temos essa ameaça, ainda desconhecida por muitos.

Já lí em outros blogs, uma eventual ligação da MOSSAD israelense com os atentados na Noruega, devido o apoio do país ao estado palestino e outras brigas no Comércio Internacional entre Israel e Noruega. Lembro que o Brasil também apóia esta idéia do Estado Palestino e tem boas relações com o Irã e outros países renegados pelo Ocidente.

Para agravar, seremos palco de Grandes eventos como a Copa do Mundo e Olimpíadas, o que ganha um maior destaque internacional... É claro que os terroristas pensam nisto!

Gostaria de citar a Revista Veja, conforme a reportagem eu citei no post acima:

"As cartilhas terroristas recomendam aos militantes que desfiram atentados em ocasiões em que suas ações ganhem visibilidade. O temor de policiais federais e procuradores ouvidos por VEJA é que eles vejam essas oportunidades na Copa de 2014 e na Olimpíadas de 2016".

Espero estar errado, mas isto não me cheira bem... Espero que seja apenas mais uma teoria da conspiração.

Al Qaeda no Brasil. Pretexto para invasão?

Revista Veja traz a reportagem em caráter de exclusividade: Al-Qaeda age no Brasil! Veja os desdobramentos no Sempre Guerra!


Os documentos da CIA, FBI e PF mostram como age a rede do terror islâmico no Brasil.

A Polícia Federal tem provas de que a Al Qaeda e outras quatro organizações extremistas usam o país para divulgar propaganda, planejar atentados, financiar operações e aliciar militantes.

Khaled Hussein Ali nasceu em 1970, no leste do Líbano. Seguidor da corrente sunita do islamismo, prestou serviço militar. Depois, sumiu. No início dos anos 90, reapareceu em São Paulo. Casou-se e teve uma filha. Graças a ela, obteve, em 1998, o direito de viver no Brasil. Mora em Itaquera, na Zona Leste paulistana, e sustenta sua família com os lucros de uma lan house. Ali leva uma vida dupla. É um dos chefes do braço propagandístico da Al Qaeda, a organização terrorista comandada pelo saudita Osama bin Laden. De São Paulo, o libanês coordena extremistas em dezessete países. Os textos ou vídeos dos discípulos de Bin Laden só são divulgados mediante sua aprovação. Mais: cabe ao libanês dar suporte logístico às operações da Al Qaeda. Ele faz parte de uma rede de terroristas que estende seus tentáculos no Brasil.

Tratado como “Príncipe” por seus comparsas, Ali foi seguido por quatro meses pela Polícia Federal, até ser preso, em março de 2009. Além das provas de terrorismo na internet, a Polícia Federal encontrou no computador de Ali spams enviados aos Estados Unidos para incitar o ódio a judeus e negros. Abordado por VEJA, Ali negou sua identidade. Esse material, no entanto, permitiu que a Polícia Federal o indiciasse por racismo, incitação ao crime e formação de quadrilha. Salvou-se da acusação de terrorismo porque o Código Penal Brasileiro não prevê esse delito. O libanês permaneceu 21 dias preso. Foi liberado porque o Ministério Público Federal não o denunciou à Justiça. Casos como o de Ali alimentam as divergências do governo americano com o Brasil.

Há dois meses, VEJA teve acesso a relatórios da PF sobre a rede do terror no Brasil. Além de Ali, vinte militantes da Al Qaeda, Hezbollah, Hamas e outros dois grupos usam ou usaram o Brasil como esconderijo, centro de logística, fonte de captação de dinheiro e planejamento de atentados. A reportagem da revista também obteve os relatórios enviados ao Brasil pelo governo dos EUA. Esses documentos permitiram que VEJA localizasse Ali e outros quatro extremistas. Eles vivem no Brasil como se fossem cidadãos comuns. Embora seja autora das investigações, a PF assume um comportamento ambíguo ao comentar as descobertas de seu pessoal. A instituição esquiva-se, afirmando que “não rotula pessoas ou grupos que, de alguma forma, possam agir com inspiração terrorista”. Esse discurso dúbio e incoerente não apenas facilita o enraizamento das organizações extremistas no Brasil como cria grandes riscos para o futuro imediato.

GRUPOS TERRORISTAS NO BRASIL:
De acordo com a Polícia Federal, sete organizações terroristas islâmicas operam no Brasil.
Al Qaeda, Juhad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama'a Al-Islamiyya e Grupo Islâmico Combatente Marroquino.

A ESCALADA DO MAL:
Em Duas Décadas, o avanço extremista no Brasil já cumpriu quatro estágios, segundo a Polícia Federal. O próximo passo pode ser a realização de atentados:

1º Estágio (1992)
O Brasil começou a ser usado como ponto de passagem por terroristas como os que explodiram a Embaixada de Israel em Buenos Aires. Em 1995, Osama Bin Laden e o terceiro homem na hierarquia da Al Qaeda, Khalid Shaikh Mohammed, passaram por Foz do Iguaçu, como revelou VEJA em 2003.

2º Estágio (1996)
Eles começaram a se estabelecer legalmente no Brasil. Um dos artifícios que usaram para permanecer no país foi assumir legalmente os filhos de mães solteiras. Como pais oficiais de crianças brasileiras, não podem ser extraditados.

3º Estágio (1999)
Início do aliciamento de brasileiros. Os simpatizantes mais aguerridos foram enviados ao exterior, para se aprofundar na doutrina dos extremistas e ser treinados em acampamentos de terroristas no Afeganistão.

4º Estágio (2001)
O Brasil passou a ser usado como base de financiamento do terrorismo e centro de preparação de ataques. Depois dos atentados de 11 de setembro, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos identificou remessas de dinheiro para o Hezbollah oriundas do Brasil. Um único militante instalado no Paraná enviou 100 milhões de dólares a esse grupo extremista.

As cartilhas terroristas recomendam aos militantes que desfiram atentados em ocasiões em que suas ações ganhem visibilidade. O temor de policiais federais e procuradores ouvidos por VEJA é que eles vejam essas oportunidades na Copa de 2014 e na Olimpíadas de 2016.


Saiba mais na Revista Veja edição 2211 de 6 de Abril de 2011. Ainda nas Bancas!
Fontes: Veja - UOL - Uncoverage

Operação Sentinela prende brasileiro e libanês em Dom Pedrito
Outro libanês encontrado pela polícia é suspeito de tráfico de urânio, entre outros crimes

Na ação, que foi o resultado de uma investigação de quatro meses nos municípios de Cachoeirinha, Bagé, Dom Pedrito, Livramento e Uruguaiana, a polícia cumpriu cinco mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão preventiva. Os mandados resultaram na prisão dois homens, um brasileiro, de 37 anos, e um libanês, de 32 anos, por estelionato. Na residência do brasileiro, os agentes apreenderam duas armas, uma pistola calibre 7.65; um revólver 32 e mil cartões da loja com nomes falsos que, segundo a polícia, estes estariam sendo usados para concluir o crime. Na casa do libanês, outros três libaneses foram encontrados. Um deles, investigado pela Polícia Federal por tráfico de urânio no Amapá e por fazer parte do grupo Hamas, um movimento de resistência islâmica, considerado como um grupo terrorista pelo Canadá, Estados Unidos, Israel, União Européia, entre outros. Este homem também tem mandado de expulsão pela Polícia Federal. Na mesma residência, a polícia também encontrou um comprovante de remessa de dinheiro enviado para o Egito.


PF quer saber se atirador teve ajuda para planejar ataque no RJ

As investigações sobre o massacre na escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro, em 07 de Abril de 2011, vão receber reforço da Polícia Federal. A medida, anunciada nesta segunda-feira (11), foi motivada porque a PF quer saber se o atirador Wellington Menezes de Oliveira recebeu ajuda para fazer o ataque. Até o momento, a polícia acredita que ele tenha agido sozinho.

A polícia divulgou hoje (11) manuscritos e textos impressos encontrados na casa do atirador. Entre os temas tratados por Wellington estão principalmente sua relação com Deus e com religiões, interpretações de passagens bíblicas e anotações sobre torres altas. Nos papeis, há referências a um grupo com o qual Wellington se relacionava, mas não se sabe se as pessoas citadas realmente existem. Apesar do conteúdo dos documentos, a polícia descartou a possibilidade de envolvimento com grupos extremistas.

Fonte: Terra


 Era Brasil: Começa a construção dos Submarinos brasileiros

A presidente Dilma Roussef participou neste sábado, em Itaguaí, região metropolitana do Rio de Janeiro, da cerimônia que marca o início da construção de quatro submarinos convencionais brasileiros (S-BR), com tecnologia francesa. Os submarinos são da classe Scórpene, e são um dos itens do acordo que o Brasil assinou com a França há 2 anos e meio.

"A produção representa uma posição estratégica do Brasil diante do fortalecimento da sua indústria, da capacitação de nosso País, da nossa capacidade de construir alianças internacionais", disse a presidente.

A Marinha estima que 36 mil itens usados na construção desses submersos serão produzidos por 30 empresas brasileiras. Os equipamentos nacionais vão desde quadros elétricos, válvulas de casco e bombas hidráulicas até sistemas de combate e de controle, motores elétricos e a diesel e baterias de grande porte.

O documento bilateral deu origem ao Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) da Marinha brasileira, que tem como um dos principais objetivos a produção de outro tipo de submarino, movido à energia nuclear. Isso porque o mesmo método, técnicas e processos, e parte dos equipamentos desenvolvidos para a construção desses quatro submarinos convencionais, serão usados também na construção do submarino de propulsão nuclear brasileiro (SN-BR).

"O grande mérito e objetivo dessa parceria é a transferência de tecnologia e a aliança estratégica. Nesse projeto, temos um objetivo fundamental, que é fortalecer e capacitar a Marinha em dois aspectos: na sua modernização, ao se tornar capaz de dominar a tecnologia de produção de submarinos de propulsão nuclear no quadro de defesa nacional, e jamais de ataque. E tornar a Marinha capaz de proteger nosso povo e garantir ambiente pacífico e segurança de nossas riquezas naturais", disse Dilma.

O primeiro submarino deve ser concluído em 2016, mas só será entregue à Marinha no ano seguinte, depois dos testes de cais. Os outros três serão entregues no intervalo de um ano e meio. O SN-BR só fará parte da frota brasileira em 2023. Como o Brasil desenvolverá o reator nuclear, o País vai passar a integrar o grupo enxuto de nações que detêm esse tipo de tecnologia (China, Rússia, França, Estados Unidos e Reino Unido).

Mas, antes do início da produção dos submarinos, serão construídos um estaleiro e uma base naval para abrigar essas embarcações e a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (Ufem). A previsão é de que essas unidades, que serão construídas na Ilha da Madeira, no município de Itaguaí, sejam entregues até o final de 2014.

E os Caças?

O governo brasileiro não revisará as ofertas para a compra bilionária de caças de combate antes do início do próximo ano, disse no sábado (09/07) o ministro da Defesa, Nelson Jobim. O ministro havia afirmado em fevereiro deste ano que o corte no Orçamento não teria impacto na decisão sobre o Projeto FX-2, que prevê a compra de um pacote tecnológico relativo a caças para Aeronáutica.

"Vamos examinar isso no início do próximo ano. Neste momento, estamos focados apenas na agenda doméstica", disse Jobim, durante um fórum empresarial no sul da França. O Brasil, que quer modernizar sua força aérea, está avaliando as ofertas da francesa Dassault Aviation, da americana Boeing e da sueca Saab.

Para executar uma transferência de tecnologia semelhante, a americana Boeing e a sueca Saab devem receber a autorização dos Congressos de seus países. A compra dos caças deve custar mais de R$ 10 bilhões e Dilma pretende ouvir setores de fora do governo, principalmente a Embraer, e criar um grupo interministerial que examine a compra dos caças, reanalisando os argumentos da Força Aérea Brasileira (favorável ao modelo sueco, Saab Gripen) e da Defesa (pró-Dassault Rafale, da França).

Fonte: Terra

Editorial Sempre Guerra: Olá a todos! Depois de um tempo parado, o Projeto Sempre Guerra vem retornando, pouco á pouco, vou colocando a casa em ordem! 

Sobre o post de hoje, antes de mais nada, gostaria de deixar bem claro que o Brasil nunca parou seu projeto de modernização militar como muitos falam. Realmente, são projetos que envolvem muito dinheiro e muitos interesses externos nos quais ninguém verá na mídia. 

Também tem a questão de tempo, devido as reestruturações da economia e "planos de Austeridade" que passamos nos anos 80 e 90 (e que alguns países da Europa e futuramente os EUA passarão), o Brasil teve o sucateamento de suas Forças Armadas e hoje temos que "correr contra o tempo" para recuperar o tempo perdido e os 3 poderes militares pedem modernizações com urgência.

Sobre os caças, o Brasil deve aceitar o "pacotão do Obama" que deve vender seus caças, tanques, artilharias e alguns barcos de guerra a preços promocionais em troca de financiamentos e "facilidades" do governo brazuca e deve ser umas das cartas na mão de Obama para as próximas eleições em que ele concorrerá a reeleição... Isto se não derrubarem ele antes, o Default da Economia americana pode chegar dia 2 de agosto =)

Hino Nacional do Brasil - Oficial