Blog

Blog

26 de mar de 2013

Você!... E o espaço!


Estágio nunca visto na formação de sistemas planetários é revelado

Estudando uma estrela recém-nascida, os astrônomos tiveram um vislumbre detalhado da formação de planetas ao seu redor, revelando uma fase jamais vista da evolução planetária e estelar.

HD 142527
Ilustração do sistema de HD 142527

Grandes gigantes gasosos parecem estar limpando uma lacuna no disco de material ao redor da estrela, e usando a gravidade para criar um canal que liga a parte exterior até a interior do disco, ajudando a estrela a crescer. Simulações teóricas previram tal situação, mas até então jamais havia sido observada.
Uma equipe internacional de astrônomos utilizou o telescópio ALMA, localizado no Deserto do Atacama (Chile), para estudar uma jovem estrela localizada à 450 anos-luz da Terra. Eles notaram dois finos filamentos de gás fluindo através do exterior do disco para seu interior, através de uma larga abertura  criada por jovens planetas.
Longe da Terra, a jovem estrela HD 142527  está chegando ao fim de seu processo de formação. Com cerca de 2 milhões de anos de idade, a estrela possui cerca de 2 vezes a massa do Sol, embora ainda esteja crescendo lentamente. Um disco de poeira e gás orbita a estrela, e a partir desse material, os planetas estão sendo criados.
Os protoplanetas viajam através do disco, absorvendo o material ao seu redor, criando lacunas. HD 142527 apresenta uma lacuna que começa em um ponto equivalente a posição de Saturno no sistema solar e se estende para 14 vezes mais longe. Segundo análises, existem pelo menos dois jovens planetas nesse local.


A gravidade dos planetas atrai o material externo do disco para o interior. Mas enquanto parte do gás e poeira cai na órbita dos jovens gigantes gasosos, uma fração os ultrapassa e viaja para o centro disco, onde é absorvida pela estrela.
Esse processo é importante para a continuação do crescimento da jovem estrela, já que seu disco interno é pequeno demais para sustentar seu crescimento. É preciso matéria que está localizada na parte externa do disco, e a gravidade dos planetas faz o papel de transporte do material de fora para dentro do sistema.
Os dados foram obtidos pelo ALMA durante seu primeiro ano de funcionamento. O conjunto de 66 telescópios ainda está em construção, mas deve ser concluído esse ano, permitindo que os pesquisadores observem melhor o sistema de  HD 142527. 


NASA registra colossal explosão solar 

em vídeo


O Sol desencadeou uma monstruosa erupção de plasma superquente na última sexta-feira (16 de Novembro), e as câmeras da NASA conseguiram registrar esses belo e assustador fenômeno. A colossal erupção, denominada proeminência solar foi registrada pelo Observatório Dinâmico Solar, da NASA (SDO), em alta definição.

Sol

No vídeo, um grande laço brilhante de plasma irrompe da nossa estrela, e atinge milhões de quilômetros de distância.
“O material vermelho-brilhante é o plasma, um gás muito quente feito de hidrogênio e hélio eletricamente carregado”, disseram os pesquisadores da NASA. “A proeminência flui ao longo de uma emaranhada e retorcida estrutura de campos magnéticos gerados pelo interior da estrela. A erupção acontece quando essas estrutura se tornam instáveis e explodem, liberando o plasma”.
Abaixo o vídeo:



A erupção de sexta não parece ter se dirigido para a Terra, assim causou poucos efeitos sobre nosso planeta. Quando uma tempestade solar atinge a Terra diretamente, ela forma belas auroras boreais e, quando são mais intensas, podem causar danos à satélites de comunicação e às redes elétricas.
O Sol está atualmente no meio de uma fase ativa, cujos ciclos duram 11 anos. O ciclo atual terá seu pico em  2013, quando tempestades mais intensas deverão se formar.


Vídeo da ISS: A Terra iluminada

Há 400 anos, Galileu Galilei já havia imaginado a visão da Terra do espaço. Hoje, temos pessoas a bordo da ISS (Estação Espacial Intercional) que vê nosso planeta todos os dias. Esse novo vídeo divulgado pela NASA mostra auroras, raios, a Via Láctea e sobretudo as luzes das cidades vistas a partir da órbita.

Viagem ao centro da Via Láctea

O que existe no centro da nossa galáxia? Os astrônomos já sabem da existência de vários curiosos objetos cósmicos, como grandes nuvens de poeira cósmica, aglomerados de brilhantes estrelas, anéis giratórios de gás e até um buraco negro supermassivo, denominado Saggitarius A.

Grande parte do centro da Via Láctea está protegida por uma grande nuvem de gás e poeira, o que dificulta sua visualização. O vídeo acima é um zoom digital rumo ao centro de nossa galáxia, que se inicia através do uso de imagens visíveis de luz do Digitized Sky Survey e termina como objetos que estão caindo no buraco negro supermassivo.


Estourando balões de água no espaço

Estourar bexigas de água na Terra é algo bem divertido. Mas estourar balões é uma tarefa ainda mais interessante quando se faz no espaço.

Estourar bexigas de água na Terra é algo bem divertido. Mas estourar balões é uma tarefa ainda mais interessante quando se faz no espaço.

Construções antigas: Projeto alienígena ou coincidência?

Por todo o mundo ainda há mistérios que desafiam uma explicação lógica dos pesquisadores e arqueólogos. Falando nisso, um dos maiores mistérios que podemos citar é o perfeito alinhamento entre todos os planetas do Sistema Solar e as Pirâmides do Egito.

Há ainda Stonehenge, que ainda guarda seus mistérios. Quando visto de cima, o grande monumento localizado na Inglaterra, segundo pesquisadores, mostra a órbita dos 9 planetas do nosso Sistema Solar (sim, agora são 8, mas antes, Plutão também estava na conta).
Será que essas e muitas outras magníficas construções de antigamente foram mesmo obras de civilizações terrestres? Confira a opinião de alguns pesquisadores nesse mini-documentário.




O fato mais incrível do universo


Não há palavras para descrever a beleza do universo, desde as incríveis imagens por ele proporcionadas até todas as dúvidas que ele provoca nas mentes mais curiosas. E uma dessas mentes é a do astrofísico Neil DeGrasse Tyson, diretor do Hayden Planetarium no Museu Americano de História Natural.
Ele é um cientista muito respeitado e famoso, além de ter uma compreensão dos cosmos fora de séria. Além disso, Tyson é grande comunicador. O astrofísico participou do quadro “10 Questions” (“10 perguntas”) da revista TIME, onde leitores enviaram perguntas ao convidado. E quando foi perguntado sobre o fato mais incrível do universo, Tyson deu uma resposta simples e muito intrigante.



Como a Via Láctea surgiu


Há aproximadamente 13 bilhões de anos atrás, uma gigantesca explosão originou o Universo, mas enquanto a teoria do Big Bang é referência para explicar a origem de tudo, o que veio depois ainda gera muitas discussões.
O modo como as estrelas, planetas e galáxias surgiram é um mistério, no qual os cientistas tentam ligar as leis da física, que devem reger o universo e aos poucos estão conseguindo entender as coisas. Pesquisadores Universidade de Zurich e Universidade da Califórna criaram uma simulação computadorizada que mostra como galáxias em espiral (como a Via Láctea) surgiram.
A simulação foi baseada em completos cálculos físicos, e foram calculados no Centro de Supercomputação Suíço e na Divisão de Supercomputadores da NASA. Um computador normal levaria 570 anos para concluir a tarefa.

Veja o resultado:



Vídeo reúne incríveis imagens filmadas por astronautas


Quem gosta de astronomia e fotografia não tem como não se impressionar com as belas imagens capturaras pelos astronautas da ISS (Estação Espacial Internacional). As imagens foram registradas por astronautas inclusive Don Petit, que há pouco tempo gravou um comercial para o lançamento do jogo Andry Birds Space.


A evolução da Lua ao longo bilhões de anos

A NASA está tendo oportunidade de estudar a Lua mais detalhadamente graças aos dados coletados pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO). E com base em novas pesquisas, o Goddard Space Flight Center (GSFC) criou a animação que você pode conferir abaixo, mostrando detalhes de como a superfície lunar surgiu e se modificou ao longo de seus 4,5 bilhões de anos.

Há 200 milhões de anos após a formação da Lua aconteceu o primeiro grande impacto, originando a Cratera Aitken, no polo sul lunar. Depois desse evento, o vídeo segue com uma sequência de impactos que podem até deixar quem o vê com medo de morar tão perto de um satélite tão azarado.
Mas vala frisar que o vídeo resume bilhões de anos em pouco menos de 3 minutos. A última grande colisão que nosso satélite sofreu aconteceu a 108 milhões de anos atrás, gerando a cratera Tycho.

Vídeo: sobrevoando a Terra durante a noite


A EEI (Estação Espacial Internacional, um conjunto de projetos de várias agências espaciais) orbita o planeta 15 vezes por dia. No momento, ele está sobrevoando uma altura pouco elevada (a 340 quilômetros acima de nós), permitindo que belíssimas imagens fossem capturadas.
A câmera da EEI revela um voo panorâmico feito sobre o planeta Terra durante a noite. Podemos observar as luzes das cidades e fenômenos naturais, como milhares de raios e a aurora boreal.
Confira o vídeo abaixo, se puder assistir com qualidade 1080p, o resultado será ainda mais incrível:

Misteriosa esfera metálica cai do céu no 

Maranhão

Uma esfera metálica com peso de aproximadamente 30 quilos caiu do céu na zona rural de Anapurus, no Maranhão e está intrigando os moradores da região. Alguns falaram que a origem do misterioso objeto era alienígena, mas provavelmente o objeto é na verdade lixo espacial.

Esfera cai do céu no Maranhão
O município possui aproximadamente 13 mil habitantes e a esfera caiu próximo à algumas casas na última quarta-feira, atingindo um cajueiro numa fazenda.
Através de sua assessoria, a Aeronáutica disse que irá até o local do acidente para recolher o material para estudo. O astrofísico Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos acredita que a esfera metálica seja proveniente do foguete Ariane 4, utilizado para o lançamento de cargas pesadas, pela ESA (Agência Espacial Europeia).
“O procedimento correto é chamar as autoridades locais e consultar um especialista para identificar o objeto. É importante fornecer os dados precisos da reentrada porque isso ajuda a previsão de futuras quedas de lixo espacial, caso realmente seja.”


Viagem pelo Universo


Este impressionante vídeo foi produzindo pelo American Museum of Natural History e mostra numa qualidade surpreendente o tamanho do cosmos e mostra o quão pequenos somos. É como se a Terra fosse um grão de areia. Isso porque apenas uma parte do universo foi mapeada, pois as áreas em preto quando o vídeo se afasta da Via Láctea mostram as partes que ainda não foram mapeadas no Universo.

Os planetas, satélites, estrelas e galáxias estão em escala, de acordo com as análises realizadas até agora. Para uma melhor visualização, é recomendado assistir em HD e em tela cheia, caso você tenha uma boa conexão com a Internet.