Blog

Blog

4 de mar de 2013

Armas e equipamentos dos espiões Norte-Coreanos - (vídeos)



Este post trata sobre o incidente de Amami-Ōshima ocorrido em 2001.
Um caso até bastante conhecido na mídia internacional.
O que não é muito conhecido, é que após o resgate e averiguação do barco espião, todo o equipamento apreendido, esteve em exposição, revelando uma boa parte do preparo nas missões a que os agentes Norte-Coreanos estavam encarregados.
Existem muitos relatórios de equipamentos e armas de espiões apreendidos no Japão desde a década de 60, que serão tratados com a devida propriedade em um próximo post.
Lamentavelmente, a batalha no mar a sudoeste de Kyushu  foi um incidente extremamente desagradável para os países envolvidos, com mortes, informações acobertadas e instabilidade política.
Um importante episódio na Ásia, que envolve uma batalha naval em pleno século 21.

Segue:



A batalha de Amami-Ōshima ou o incidente do navio espião no mar a sudoeste de Kyushu,
foi um confronto de seis horas entre o Japão e um navio Norte-Coreano armado, ocorrendo perto da ilha de Amami-Ōshima, no mar da China Oriental. O encontro terminou no naufrágio do navio da Marinha da Coreia do Norte, que as autoridades Japonesas anunciaram mais tarde que se tratava de espionagem.



O navio não identificado foi visto pela primeira vez em águas japonesas na sexta-feira, 21 de dezembro de 2001. A traineira armada foi detectada por uma estação de comunicações em Kikaijima, Kagoshima, que estava sob controle da sede de inteligência de defesa. Como as intenções do navio norte-coreano eram obscuras, a guarda costeira Japonesa decidiu interceptá-lo.







Várias explosões não diretamente relacionadas aos ataques japoneses, arrasou o navio antes que ele fosse afundado. Uma das versões diz, que o navio foi auto-destruído e afundado pelos próprios agentes Norte-Coreanos.
A maioria dos seus 15 membros da tripulação foram declarados desaparecidos e presumidamente mortos alguns dias depois. 


A unidade especial de embarque foi preparada para abordar o navio, mas não o fizeram pois tiveram que esperar por ordens dos oficiais da Agência de defesa japonesa.
O navio afundou antes de chegassem a tais ordens.
Toda a ação foi gravada em vídeo pela tripulação dos navios da guarda costeira japonesa.
A Coréia do norte sempre negou que estivesse envolvida no incidente que na época, causou um grande desconforto diplomático.












Naturalmente que houve um grande mal-estar entre os países, apenas com a notícia de que o Japão iria resgatar e investigar o navio.
Em 2003 o barco norte-coreano, que estava afundado a 90 metros de profundidade, foi içado do fundo do mar por um navio de resgate.











O barco foi levado ao Porto de Kagoshima, onde lá foi vistoriado.




O barco foi investigado em cada centímetro, fornecendo uma grande quantidade de evidências de que se não eram espiões, estavam dispostos a fazer uma guerra, tal a quantidade de armamentos encontrados.
Após muito bate-boca entre os Parlamentares, Japoneses, o caso esfriou e ficou por isso mesmo.
Todos os itens encontrados estiveram em exposição em Odaiba e no museu memorial da guarda costeira em Yokohama, até 2011, fonte das imagens a seguir.




O barco em exibição
A ferrugem tomou conta devido a que ficou por um bom tempo no fundo do mar.

O comprimento do navio era de 29.60m por 4.86 de largura, pesando 44 toneladas.
A placa com a seta na imagem abaixo, indica onde ficava o tanque de combustível 
O barco possuía portões traseiros
Esses portões eram abertos para abrigar um barco menor











Esse barco de alta velocidade, seria para ter uma maior mobilidade e agilidade no embarque e desembarque de agentes em terras Nipônicas
 

Não descobri se essas portas eram abertas por hidráulicos ou manualmente...
 O compartimento para a "lancha"
Os buracos de bala no casco contam grande parte do incidente 
 Os dois barcos lado a lado em exposição

4 motores fabricados na Rússia, movidos a diesel, proporcionavam 1100HPs para cada hélice.


O barco de alta velocidade. Não encontrei detalhes sobre ele...
 A traineira estava armada com canhões anti-aéreos de 14.5mm (ZPU)
 O canhão em exposição

Vista lateral do canhão

 As balas do canhão anti-aéreo


Lançadores de mísseis antiaéreos portáteis e RPGs...

Uma metralhadora com tripé (Não identifiquei o modelo)









Lançador de foguetes de 82mm e rifles AK47



AK47
  Granadas de mão
Granada de fragmentação


O barco estava bem equipado com equipamentos de mergulho

Propulsor subaquático


Tanques de mergulho

Máscaras de mergulho









Nadadeiras

A imagem mostra, cinto de lastro, snorkel, regulador de mergulho e um relógio da marca Seiko
 Detalhe

 As roupas de inverno impermeáveis dos agentes

 GPS, transmissor e interruptores

Celular e um computador de bolso da marca Sharp, ambos fabricados no Japão


Chaveiro com a imagem do líder Kim Il-Sung

Celular e dicionário Inglês-Hangul

Capacete de aço
Comidas enlatadas, soquete para lâmpadas com interruptor, embalagem de doces, embalagem de cigarro, moedas, botões de roupas e relógios. Curiosamente os enlatados de arroz com feijão doce e arroz com frango, são de marcas Japonesas. 












Vídeo da perseguição seguida do confronto. O ataque da guarda costeira Japonesa começa no minuto 3:58... Aos 6:52, os Norte-Coreanos respondem ao fogo...


Vídeo do esburacado barco em exibição em Yokohama