Blog

Blog

2 de mar de 2013

"Canta" Brasil!... Recordando! Grandes sucessos do passado!



70 anos de Demônios da Garoa

O Som de Sampa

Demônios da Garoa completa 70 anos de samba. O grupo paulistano nasceu em 1943, tendo na formação inicial Arnaldo Rosa (vocal e ritmo), os irmãos Antônio e Benedito Espanha (tantã e afoxé), Waldemar Pezuol (violão), Zezinho (violão tenor) e Bruno Michelucci (pandeiro). Hoje, os integrantes são: Sérgio Rosa (pandeiro e afoxé), Roberto Barbosa, o Canhotinho (cavaquinho), Izael Caldeira (bumbo), Ricardo Cassimiro Rosa (percussão) e Dedé Paraizo (violão de 7 cordas).
Ricardinho é neto do fundador Arnaldo Rosa e, portanto, a terceira geração de Demônios da Garoa. Há 70 anos os “demônios” mantêm o mesmo tipo de vocal. Brincam com sons e palavras, preservando a tradição que os diferenciou há mais de meio século. Mudam os integrantes, mas o estilo continua sempre o mesmo: “Um vocal harmonizado, com cada um cantando de uma forma”, diz Dedé, o mais novo no grupo. Um estilo tão particular que faz com que o público os identifique logo ao ouvir os primeiros versos de uma canção. Principalmente, se for uma composição de Adoniran Barbosa. Foi cantando Adoniran que conquistaram o Brasil. Vamos ouvi-los:
“Um copo... uma garrafa... um pente”, de Arthur Bernardo, que também foi um dos “demônios”:





“As Mariposa” (Adoniran Barbosa)



“Boneca de Pano” (Assis Valente)



“Iracema” (Adoniran Barbosa)


“No Morro da Casa Verde” (Adoniran Barbosa)


Com Jair Rodrigues, “Mulher, Patrão e Cachaça” (Adoniran e Osvaldo Moles)


Um mix do “Samba do Arnesto”, de Adoniran Barbosa, com o próprio, Rita Lee e Demônios da Garoa


Com Ivete Sangalo, “Trem das Onze” (Adoniran)


“Saudosa Maloca” (Adoniran)



Força, Dominguinhos!

Dominguinhos


Nosso querido Dominguinhos está doente, internado agora em São Paulo, vítima de complicações decorrentes do câncer pulmonar com o qual vem lutando há seis anos. Sua saúde está frágil: teve um infarto, usa marca-passo, faz hemodiálise e respira artificialmente. Quem tem fé, reze pelo risonho sanfoneiro, apadrinhado de Luiz Gonzaga, parceiro de tantos shows e CDs de Gal Costa, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Elba Ramalho e tantos outros. Se escapar dessa – e torcemos muito para que sim –, Dominguinhos completará 72 anos em pleno carnaval, dia 12 de fevereiro. Um grande nome da MPB que além de encantar a todos com sua sanfona também já compôs sucessos inesquecíveis. Força, Dominguinhos!
Vamos ouvir três canções dele:


“Eu Só Quero Um Xodó” (Dominguinhos e Anastácia), com a filha Liv Moraes



“Gostoso Demais” (Dominguinhos), com Ivete Sangalo




“De Volta Pro Meu Aconchego” (Dominguinhos e Nando Cordel), com Elba Ramalho




Não podia deixar de incluir o clássico “Asa Branca” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) interpretado por Dominguinhos e Sivuca. Interpretação única.


Meia dúzia de músicas para ouvir no fim de semana

Milton Nascimento


Leves, bonitas, gostosas. Separei seis canções assim pra gente curtir nesse fim de semana. Coisas novas e antigas. Espero que gostem tanto quanto eu.



1) “Querubim” - com Karina Zeviani:
2) “Bola de Meia, Bola de Gude” - com Milton Nascimento (foto):
3) “Sereia Amor D’Água” - com Cibelle Cavalli:
4) “Madalena” - com Elis Regina:
5) “Claridão” - com Silva:
6) “André de Sapato Novo” - com Pixinguinha e Benedito Lacerda: