Blog

Blog

23 de mar de 2013

Direto da Redação - Edição da tarde!



 As provas da existência de Extraterrestres



A Flor da Vida

"É comum no cotidiano ouvimos pessoas falando de maneira duvidosa sobre a existência de extraterrestres. A maioria não sabe se “acredita” ou duvida. Acreditar sem provas, realmente é um problema e é nisso que as religiões se baseiam. Mas tratando-se de Ufologia há pouco do que duvidar.

Disclosure Project, que tem como presidente o Dr. Steve M. Greer, assunto recente aqui do blog, lançou um documentário que se pode considerar, no mínimo, arrebatador. Fastwalkers reúne depoimentos de ex-profissionais da NASA, ex-membros do governo, militares, testemunhas e pesquisadores de Ufologia de todo o mundo, e ainda exibe imagens de arquivos reais. O documentário, incontestável pela qualidade e credibilidade dos envolvidos, foi ganhador de prêmios nos EUA e em vários outros países.


UFOs sobre a Casa Branca em 1952
(Video aqui)
Os depoentes especulam sobre o motivo do controle rigoroso dessas informações por parte do governo americano, que por consequência inibe a abertura de arquivos ufológicos de outras nações, visto que os EUA dominam a economia mundial e os demais países, dependentes que são, alinham-se às suas ordens políticas.

Ao assistir o documentário você vai saber como é feito o controle rigoroso da mídia internacional pela elite. Como eles fazem para que as testemunhas de experiências com ufos sejam desacreditadas e o tema ridicularizado no mundo. Vai entender o quanto o assunto é vasto e como a queda das cortinas escuras que nublam nossa visão mudará o jeito-de-ser humano nos próximos anos.


Por que querem que continuemos com essa incerteza? Por que não podemos saber da verdade?"
- O Fator Quântico 


Abaixo todos os videos do documentário Fastwalkers e aqui a lista de reprodução.
 
Fastwalkers: A prova de que eles estão entre nós.


Parte  1
Parte 2
 
Parte 3
 
Parte 4
 
Parte 5
 
Parte 6
 
Parte 7


Epísodio: Tecnologia Alienígena [Dublado]

Parte 1

 

Parte 2

 

Parte 3


Estudo afirma que existem 4,5 bilhões de Terras alienígenas na Via Láctea

Cerca de 4,5 bilhões de planetas como a Terra residem na Via Láctea, após um novo estudo que concluiu que 6% das anãs vermelhas – estrelas menores e menos brilhantes que o Sol – abrigam um planeta habitável do tamanho do nosso. O estudo adiciona que muitos desses planetas podem estar mais próximos do que imaginamos, a apenas 13 anos-luz de distância.

Anã vermelha
“Nós pensávamos que teríamos de procurar em grandes distâncias um planeta como a Terra”, disse o autor do estudo Courtney Dressing, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (CFA). “Agora percebemos que uma Terra alienígena está em nossa vizinhança cósmica esperando para ser descoberta.”
Dressing e sua equipe analisaram dados recolhidos pelo telescópio espacial Kepler, da NASA, que está observando continuamente mais de 150 mil estrelas. O instrumento vê planetas alienígenas através de reduções no brilho de suas estrelas causados pelo trânsito planetário. São necessários 3 trânsitos para o Kepler detectar um possível planeta alienígena.
O Kepler já detectou 2740 candidatos a exoplanetas desde o seu lançamento, em março de 2009. Apenas 105 desses planetas foram confirmados até agora, mas os cientistas estimam que 90% dos candidatos sejam de fato planetas.
Catálogo de planetas potencialmente habitáveis

No novo estudo, a equipe de Dressing reanalisou as anãs vermelhas vistas pelo Kepler e descobriu que quase todas são menores e mais frias do que se pensava anteriormente. Isso traz sérios impactos na procura por uma Terra alienígena, já que 75% das estrelas de nossa galáxia são anãs vermelhas. O tamanho e brilho de uma estrela influencia fortemente a sua zona habitável, região que permite a existência de água em estado líquido na superfície de um planeta.
Com esses novos dados, a equipe calculou que existem aproximadamente 4,5 bilhões de mundos potencialmente habitáveis somente na nossa galáxia, a Via Láctea.






OS ASTRONAUTAS DOS EUA E OS OVNIS UFOS – DISCO VOADORES


Desde o início da História, um dos maiores desejos do homem é voar. A façanha dos irmãos Wright demonstrou que esse sonho poderia sair do reino da fantasia. Mas, com relação ao voo para fora do planeta, no período que vai do século 19 à Segunda Guerra Mundial, quatro pioneiros são lembrados como os pais da Astronáutica: Kostantin Tsiolkovsky (na Rússia), Robert Goddard (nos EUA), Robert Esneault-Pelterie (na França) e Hermann Oberth (na Alemanha).A conquista do espaço foi vista pelo mundo como uma fábula de final quase sempre feliz e da qual conhecem-se a história e os motivos. Na verdade, ela envolve também eventos jamais divulgados, revelados pelas investigações de corajosos pesquisadores, entre os quais Frank Edwards, que se matou misteriosamente após ter ousado violar tais segredos. O avanço da Astronáutica teve, ao contrário do que se diz, além dos motivos científicos e de prestígio internacional, o de uma realidade da qual poucos conheciam a dimensão: a presença de civilizações extraterrestres no nosso céu. Por isso, se, por um lado, as agências espaciais fingiram transparência perante a opinião pública, por outro, aspectos importantes do avanço da Astronáutica – e os verdadeiros motivos que levaram a esse avanço – eram escondidos com cuidado, enquanto fatos eram distorcidos e cercados de mentiras. 

Desde os primeiros passos da corrida espacial a atividade desses seres ficou evidente, mas os astronautas sempre foram obrigados a manter o silêncio. Somente poucos, entre os quais Gordon Cooper e Edgar Mitchell, tiveram a coragem de transgredir em parte a proibição, e suas declarações nos fazem intuir o que realmente sabem. Mas não é somente o testemunho desses profissionais que confirma a veracidade do que afirmamos até agora. Existe certo número de fotos e filmes (certamente uma pequena parte do que têm as agências espaciais) que provam a presença de naves extraterrestres no espaço próximo do nosso planeta. Finalmente, também é importante citar nesse campo a divulgação pioneira de contatistas como George Adamsky e Eugenio Siragusa. Eles anunciavam, desde o início da corrida do homem ao espaço, que em Marte havia uma civilização florescente (hoje situada em planos dimensionais invisíveis), e que na Lua havia água em grandes quantidades e numerosas bases de civilizações extraterrestres. E os astronautas sabiam, mas não podiam falar. Por essas declarações, o público os viu como loucos visionários. 

Hoje, pelos documentos revelados que veremos, descobriremos que eles tinham razão e diziam a verdade, embora ela incomodasse o poder. Veremos as fotos e filmes feitos pelos astronautas e ouviremos o testemunho daqueles que, em pessoa, viajaram pelo espaço e viveram essa extraordinária experiência. Veremos como de fato a humanidade foi enganada sobre o que realmente aconteceu – e que ela não estava só durante sua aventura mais fascinante. 




TERAPIA DO RISO – OSVALDO MURAHARA

 

Prof. OSVALDO MURAHARA, Psicólogo, Empresário, Preletor em Função Especial, Presidente Nacional da Associação da Prosperidade da Seicho-No-Ie do Brasil. Ele ensina e fala sobre os beneficios da Terapia do Riso, ensina a fazer o treino do Riso, a RISOTERAPIA.

 As 10 competições esportivas mais ridículas do mundo

Alguns são até perigosos, outros inofensivamente ridículos, mas todos  esses esportes estranhos têm uma coisa em comum: nenhuma razão de ser. Por isso, devem ser vistos como resultado da união de mentes criativas e (muito) ociosas.

10. Tosquia de Ovinos
O que é: Simplesmente, o corte do pelo de ovelhas. Com uma tesoura própria, cada competidor deve tosquiar sua ovelha. E quem concluir a prova em menos tempo é o vencedor. Os maiores especialistas da área são os neozelandeses – nacionalidade do recordista mundial, que concluiu a tarefa em apenas 20 segundos.

Onde é praticado: O campeonato mundial é realizado em vários países, a cada dois ou três anos, mas também há competições regionais, inclusive no Brasil.

 9. Corda-Bamba
O que é: Aquele tradicional número de circo, mas cruzando um rio. Percorrer a distância estabelecida (cerca de um quilômetro), de uma ponta a outra do rio, sobre uma corda-bamba. Cada competidor carrega uma vara consigo, para manter o equilíbrio. Ganha quem for mais rápido.

Onde é praticado: Na Coreia do Sul, em outubro.
 8. Regata de Lata de Cerveja


O que é: Uma regata com barcos feitos a partir de latas de cerveja ou refrigerante. Cada competidor constrói sua embarcação, mas é proibido testá-la antes da prova para não acabar com uma das principais (ou a maior) graça: ver muitas delas afundando ainda na largada. Se conseguir navegar, cada barco deve ter no mínimo dois tripulantes. O prêmio a quem cruzar a linha de chegada é em dinheiro.

Onde é praticado: Na Grã-Bretanha e na Austrália, geralmente em um domingo de julho.


 7. Pedra-Papel-Tesoura

O que é: Brincadeira de criança que ganhou ar profissional, com as mesmas regras do jogo infantil. Dois jogadores esticam a mão ao mesmo tempo na forma de um dos símbolos – pedra quebra tesoura, que corta o papel, que enrola a pedra. Mas na competição oficial, há um juiz e grandes prêmios em dinheiro ao vencedor.

Onde é praticado: A disputa mundial ocorre no Canadá, em outubro.

 6. Mergulhando no Pântano


O que é: Como o próprio nome diz, é uma competição de mergulho em uma espécie de brejo (raso e fedido mesmo). O objetivo é concluir o percurso de ida e volta, que tem pouco mais de 50 metros, em menos tempo. O uso de equipamento próprio (snorkel e pé de pato) é obrigatório – para dificultar, claro – mas a roupa de mergulho é opcional.

Onde é praticado: Na Grã-Bretanha, onde foi criado, em agosto, mas também na Austrália e Irlanda.


 5. Chutando Canelas

O que é: Uma luta cuja única proteção é um monte de feno – que os competidores colocam dentro das calças para proteger o alvo do oponente: sua canela. Por isso, o uso de calças é obrigatório – e inteligente (se é que a palavra cabe). A única regra é que os chutes são restritos a essa parte do corpo. Vence quem derrubar o adversário no chão.

Onde é praticado: É tradição na Inglaterra, entre maio e junho, mas americanos também praticam.

 4. Buzkas

O que é: Não tem tradução, mas em português seria algo como “agarramento de cabra”. A carcaça do animal (sem a cabeça) é jogada no campo e os competidores (só homens podem praticar) devem correr em seus cavalos para agarrá-la e colocar-se a salvo ou jogá-la em um espaço determinado, dependendo da variação. Todos usam chicotes para se defender e agredir os adversários.

Onde é praticado: É muito comum na Ásia Central, e mais tradicional no Afeganistão, onde a disputa ocorre às sextas-feiras e pode durar dias.

 3. Boxe Xadrez


O que é: Uma competição de agilidade mental e força (não necessariamente nesta ordem). O duelo começa com uma partida de quatro minutos de xadrez, seguida de um round de boxe que dura três minutos. E vai se intercalando até um máximo de onze rodadas (seis de xadrez e cinco de luta). A decisão acontece tanto por nocaute quanto por xeque-mate – o que vier primeiro, obviamente – ou por pontos, de acordo com a decisão dos juízes.

Onde é praticado: O local muda a cada campeonato mundial, realizado em julho.


2. Carregamento de mulheres


O que é: Uma corrida de obstáculos, sempre com a mulher (que pode ser a esposa, namorada ou uma amiga) a tiracolo. Os homens devem concluir todo o percurso no menor tempo possível, sem deixar que ela caia. A única função delas é se manter na posição correta: de cabeça para baixo e com as pernas entrelaçadas no pescoço dele.

Onde é praticado: Na Finlândia, onde começou, e em várias outras partes do mundo, incluindo EUA e China.


 1. Corrida do Queijo


O que é: Uma corrida morro abaixo, onde o importante é chegar primeiro – mesmo que seja rolando. O queijo é jogado de cima de uma colina, e os competidores seguem correndo (e caindo) atrás. Quem chega primeiro ganha… o queijo! A ideia original era que eles pegassem o queijo, mas como o terreno é muito irregular, isso acaba sendo praticamente impossível. Tem sempre uma equipe de primeiros-socorros de plantão, claro.

 ARTUR BERLET E A REVELAÇÃO (UMA CIDADE COM 90 MILHÕES DE HABITANTES) NOSSO PLANETA O PRÓXIMO ALVO?







Aliás, todas as evidências indicam que existe mesmo uma certa raça malévola dos tripulantes de OVNI que tem um grande interesse em destruir a nossa civilização, muito possivelmente para se apoderar da Terra - um verdadeiro paraíso infelizmente tão desprezado e maltratado por nós mesmos! Nada, nada mesmo, impede que certas criaturas, tal como nos falam os relatos bíblicos sobre a "Tentação da Serpente", de tempos em tempos se aliem com algumas nações, fornecendo tecnologia e assim estimulando nos bastidores, e graças à nossa estupidez, o nosso próprio fim! Artur Belet, um brasileiro seqüestrado para exames por tripulantes de um OVNI no Estado do Rio Grande do Sul, ouviu de um deles precisamente isto: "Chegamos à conclusão que vocês não suportarão por durante muito tempo a curiosidade de ver o estrago que fazem todas as suas armas. E quando isso acontecer, não poderão escapar dessa devastação, porque com poucas bombas daquelas (nucleares) contaminarão todo o globo que habitam. Isso acontecido, poderemos apoderar-nos tranqüilamente de todo o globo terrestre, porque os poucos que restarem não nos oporão resistência... Aliás, seria inútil tentar. Quanto à contaminação radioativa dessas armas, para nós não constitui problema, porque temos aparelhagens que neutralizam os efeitos da poeira nuclear..... Nós entraremos em ação assim que a guerra acabar"

Assim como Pau Ferro, o também tratorista Artur Berlet vivenciou uma experiência sem igual. Raptado para uma espaçonave que o levou a outro planeta, fez contato com seres que por razão desconhecida falavam o alemão. Acompanhe agora este caso histórico pesquisado pela SBEDV, Jorge Geies e Carlos de D. Gomes.
No dia 14 de maio de 1958, Artur Berlet tratorista da Prefeitura de Sarandi, Rio Grande do Sul, regressava do interior do município, viajando ora a pé ora de carona, quando, às 19 horas, ao passar pela Fazenda do Dr. Dionisio Peretti, viu uma luz estaranha no mato à beira da estrada a uns 200 metros de onde se encontrava. Curioso, atravessou a cerca de arame para ver o que era aquilo e, chegando a 3 0metros do foco, constatou que a claridade opaca provinha de um enorme objeto circular, de uns 30 metros de diâmetro, cuja forma lembrava duas bandejas, viradas uma contra a outra. Receoso, pensou em fugir, mas a curiosidade foi mais forte e ele se aproximou alguns passos.
Raptado

Ao recuperar a consciência, encontrava-se atado num leito tipo cama de hospital. Algumas pessoas se movimentavam, aparentemente alheias à sua presença. Eram altas, mais do que o normal na Terra, claras, cabelos cor de palha.


"Procurei dirigir-me a elas em diversos idiomas. Umas me olharam indiferentes, outras sequer olhavam..."


Pouco depois, Berlet foi desamarrado por dois indivíduos que o levantaram e o levaram a um outro compartimento, onde lhe vestiram uma capa comprida. Sempre amparado pelos flancos, porque ele se sentia muito fraco, os homens o conduziram através de várias salas até uma porta de saída. Surpreso, constatou que a nave estava pousada em solo firme, numa cidade estranha. Sentiu então, grande mal-estar.


"- Tive a impressão de que havia perdido metade de meu peso e, ao mesmo tempo, de que meus ombros haviam aumentado de volume."


Amparado pelos dois tripulantes, saiu do disco e foi levado, a pé por uma rua estreita, com altos edifícios de cores variadas e intensamente luminososas, até um grande prédio, onde entraram . Alí, foi alimentado com uma espécie de carne e pão. Depois, foi conduzido a outra sala, onde haviam muitas pessoas reunidas.

Tentaram estabelecer conversação com ele, mas não se compreendiam mutuamente. Berlet falou-lhe em Português, Espanhol, Italiano e Alemão. Quando falou nesta última, um deles levantou-se, demonstrando grande alegria, e disse:

"- Deutsch?"

Terminada a reunião, esse homem, que só sabia falar umas três ou quatro palavras em alemão levou-o a um outro edifício. Ali, Berlet tomou um banho de "água tão leve como gás", vestiu novos trajes que lhe deram e foi conduzido a uma sala, onde várias pessoas, sentadas ao redor de uma mesa retangular, conversavam animadamente.




"- Ao notarem nossa presença, todos, como por encanto, calaram-se e se voltaram para mim!"

Seu acompanhante falou algo com eles e, então levantou-se um homem alto e forte, dizendo-lhe em correto alemão:

"- Sente-se."

Daí em diante esse indivíduo, de nome Acorc, passou a ser seu cicerone, levando-o a visitar aquela e outra cidades de Acart - o nome daquele mundo - explicando-lhe tudo que via e perguntava.


 EX AGENTE DA CIA REVELA SEGREDOS SOBRE OVNIS