Blog

Blog

13 de dez de 2012

Mistérios que intrigam a humanidade


 Mistérios que intrigam a humanidade
Já fazia algum que não fazia-mos posts de mistérios aqui no , pois bem! para o deleite daqueles leitores que gostam de mistérios, gostam de ver além das entrelinhas, eu trago hoje mais alguns para você, creio que a maioria deles os leitores que nos acompanham desde o início.
Aqui no de pandora, nós amamos mistérios. Tanto assim, que temos produzido inúmeras listas até o momento.
O mistério em si nos indaga  sobre o fato relatado e nos faz pensar de uma forma diferente.
Porém o que difere está lista em particular desta vez são alguns mistérios desconhecidos do , ou seja aqueles mistérios pouco divulgados ao .
Falha na Matrix? HAARP? OVNI? Vortex?


Nunca vi nada parecido, mas posso afirmar que não é na lente, nem refração de .
Se alguém tiver alguma idéia…
Tubo Metálico em Saint-Jean de Livet, França, superior a 65 milhões de anos de idade:
untitled Mistérios que intrigam a humanidade
Y. Druet e H. Salfati anunciaram em 1968 a descoberta de tubos metálicos semi-ovóides, de formatos idênticos, mas tamanhos diferentes, no calcário Cretáceo. O leito calcário, exposto numa escavação em Saint-Jean de Livet, na França, é avaliado como tendo pelo menos 65 milhões de anos de idade. Tendo considerado e eliminado várias hipóteses, Druet e Salfati concluíram que seres inteligentes viveram 65 milhões de anos atrás. Quem trouxe e deixou estes tubos metálicos na França mais de 65 milhões de anos antes do aparecimento do ser humano?
Impressão de Sapato no Xisto de Utah, 505 a 590 milhões de anos de idade:
untitled2 Mistérios que intrigam a humanidade

Em 1968, William J. Meister, desenhista e colecionador amador de trilobita, registrou a descoberta de uma impressão de sapato em Wheeler Shale, perto de Antelope Spring, Utah. Esta reentrância em forma de sapato e seu feitio foram revelados quando Meister abriu um bloco de argila xistosa. Claramente visíveis dentro da impressão, estavam os restos de trilobitas, artrópodes marinhos extintos. A argila xistosa portadora da impressão e dos fósseis de trilobita é do Período Cambriano, e deste modo, teria de 505 a 590 milhões de anos de idade. Meister descreveu a antiga impressão em forma de sapato num artigo publicado na Creation Research Society Quarterly: A impressão do calcanhar estava afundada na rocha cerca de um quarto de centímetro a mais do que a sola. A pegada era nitidamente aquela do pé direito, porque a sandália estava bem gasta do lado direito do calcanhar de forma característica. Nesta época da história do nosso planeta não havia planta ou vidaem terra, mesmo os mais antigos tipos de nadando nos oceanos não haviam evoluído. Deve ter sido uma paisagem estéril que este visitante do passado viu ao caminhar pela terra. Como ele chegou numa época tão distante do nosso passado?
Existem dezenas de descobertas deste tipo! Estas foram algumas das quais mais me impressionaram.
Desta forma, vemos que é absolutamente possível e palpável a teoria de termos sido visitados anteriormente por outras civilizações. Abrindo inclusive a idéia de não sermos a única e mais avançada civilização na história de nosso planeta. Existem muitas evidências que corroboram essas , mas que acabam por ser desacreditadas ou relegadas a segundo plano pela . São provas, meu amigos! Provas reais, analisadas científicamente, catalogadas e expostas em museus ou centros de estudos! Me pergunto, por que essas evidências não mudaram drasticamente o pensamento de nossa sociedade? Por que não nortearam nossa história e mudaram nossa percepção de universo? Será que é por que muitos não as conhecem? Ou será por que muitos optam por defender o status quo de nossa sociedade e cegam-se propositalmente?

Achados arqueológicos questionam origem da civilização chinesa


jinsha5 Mistérios que intrigam a humanidade


A descoberta de restos arqueológicos no vale do rio Yangtzé, que seriam pertencentes ao reino de Liangzhu (Neolítico), questionam a ideia de que a civilização chinesa tenha se formado nas planícies centrais do rio Amarelo e de que a Xia tenha sido a primeira dinastia.

Segundo o jornal China Daily, em 2007, arqueólogos chineses encontraram vestígios de um núcleo urbano que poderia ser a perdida do reino de Lianghzu, que tem entre 4.000 e 5.300 anos de idade e que seria, portanto, à dinastia Xia, de entre 2100 ea.C. atrás.
Os novos estudos são feitos pelo de Arqueologia da Chinesa de Ciências Sociais e liderados por seu , Wang Wei.
Segundo ele, agora estão sendo usados métodos mais empíricos, em vez de se basear no que textos antigos revelam.
Desde 2004, o está tentado determinar a cronologia pré-histórica da civilização chinesa através de métodos multidisciplinares.
“Tínhamos aceitado que a cultura chinesa se originou na bacia do rio Amarelo, mas à medida que avançamos em nossos estudos descobrimos que a evolução de núcleos regionais também contribuiu no desenvolvimento da civilização chinesa”, explicou Wang.
Em 2001, foram achadas as ruínas da de Jinsha, perto de Chengdu, da província de Sichuan, que se estima ter três mil anos de idade. O novo achado se encontra a mais de 1 mil quilômetros de distância da bacia do rio Amarelo.
Para o pesquisador Andrew Lawler, as descobertas recentes são uma oportunidade para questionar a origem da China, um confuso e complicado nos círculos acadêmicos do país.
Embora o ainda não esteja finalizado, parece que revelará que, ao contrário do que até agora se pensava, a cultura chinesa se formou através da união de diferentes culturas milenares.
O Incidente de Dyatlov Paz

O incidente Passe 

Dyatlov refere-se a um evento que resultou na morte de nove caminhantes  nas montanhas do norte dos Urais. O incidente aconteceu na noite de 02 de fevereiro de 1959 no ombro leste da montanha Kholat e da montanha Syakhl (um nome Mansi, o que significa Montanha dos Mortos). A passagem da montanha onde o incidente ocorreu foi nomeado Dyatlov Passe pelo   do grupo, Igor Dyatlov. As circunstâncias misteriosas e investigações posteriores da morte dos caminhantes tem inspirado muita especulação.Investigações das mortes sugerem que os caminhantes rasgaram sua barraca de dentro, partindo os pés descalços na neve, enquanto os cadáveres não mostram sinais de , uma vítima teve uma fratura no crânio, dois tinham as costelas quebradas, e um estava faltando a sua língua. Alguns foram encontrados embrulhados em recortes de roupas rasgadas, o que parecia ser cortados daqueles que já estavam mortos. Traços do acampamento mostraram que todos os membros do grupo (incluindo aqueles que foram encontrados feridos) deixaram o por vontade própria, a pé. Segundo fontes, a roupa da vítima continha altos níveis de radiação – embora este foram provavelmente acrescentados numa data posterior, uma vez que não é feita referência a ela na documentação e somente em documentos posterior. Um que investiga o caso sugeriu que os ferimentos fatais dos três corpos não poderiam ter sido causado por outro ser humano, devido à força extrema a que tinham sido submetidos. Investigadores Soviética determinaram apenas que “uma força irresistível desconhecida” havia provocado a morte, impedindo a entrada da  por alguns  anos .
A causa do incidente ainda não está clara.
Você acredita em fantasmas ?



Muita gente jura que consegue ver fantasmas e histórias misteriosas não faltam. São mentiras, produtos da imaginação, ou as assombrações realmente existem? algumas dessas histórias em uma reportagem especial
adaptado de
aborigine42,portaldoplaneta,larosadelosvientos