Blog

Blog

14 de dez de 2012

NASA: Por que o mundo não acabou ontem!


A Nasa está realmente preocupada com o grande número de pessoas escrevendo a respeito do fim do mundo.

Com os relatos de pessoas pensando até em suicídio, incluindo crianças, a agência espacial norteamericana já declarou oficialmente que não há razões para se acreditar nisso. Imagine só se o ultra-brilhante recém-descoberto cometa ISON, que vai ser visível em 2013 (a olho nu), passasse por aqui em 2012?
Acho que a coisa seria bem mais feia.

Mesmo escapando do LHC (por enquanto) sempre há uma nova ameaça (fundamentada ou não) ou profecia que coloca uma pulga atrás da orelha da humanidade.

De qualquer modo, segue a transcrição do vídeo tranquilizante:


Caso não esteja conseguindo ver as legendas siga esses passos:

1. Ponha o vídeo para rodar.
2. Procure o botão Ativar Legendas no rodapé do vídeo.
3. Clique e escolha Português (Brasil)
Por que o mundo não acabou ontem, apresentado por Science @ NASA.
22 de dezembro de 2012.
Se você está vendo este vídeo, isso significa uma coisa: O mundo não acabou ontem.
De acordo com relatos da mídia de uma antiga profecia Maia, o mundo deveria ser destruído em 21 de dezembro de 2012.
Mas olhe ao redor de você. A coisa toda foi um equívoco desde o início, diz o Dr. John Carlson, diretor do Centro de Arqueoastronomia.

O calendário maia não termina em 21 de dezembro de 2012, e não houve profecias maias que prenunciam o fim do mundo nesta data. A verdade, diz ele, é mais interessante do que a ficção.

Carlson é um cientista intransigente - um astrônomo de rádio que ganhou seu diploma estudando galáxias distantes. Ele ficou interessado no fenômeno de 2012, há 35 anos
quando participou de uma reunião da Associação Americana para o Avanço da Ciência
e aprendeu sobre os Maias.

Onde as florestas tropicais da América Central estão agora, uma grande civilização floresceu certa vez. As pessoas da sociedade maia construíram grandes e vastas cidades com uma densidade populacional comparável à moderna Los Angeles.

Eles dominaram a astronomia e desenvolveram uma linguagem escrita elaborada.
O mais impressionante, para Carlson, era seu sentido amplo de tempo. O tempo para os Maias reduz o atualmente usado ​​pelos astrônomos modernos, explica ele. De acordo com nossa ciência, o Big Bang ocorreu 13,7 bilhões de anos.

Há datas em ruínas maias que remontam um bilhão de bilhões de vezes mais do que isso.
O Calendário de Contagem Longa Maia foi projetado para manter o controle de tais intervalos longos. É o sistema de calendário mais complexo já desenvolvido.
Escrito usando tipografia moderna, o calendário de longa contagem lembra o hodômetro de um carro.

Como os dígitos a girar, o calendário pode 'rolar' e repetir-se; esta repetição é a chave para o fenômeno de 2012.

Segundo a teologia Maia, o mundo foi criado 5125 anos atrás, em uma data correspondente a 11 de agosto de 3114 aC.

Na época, o calendário maia era assim: 13.0.0.0.0. Em 21 de dezembro de 2012, será exatamente o mesmo: 13.0.0.0.0.

Na linguagem dos estudiosos dos maias, '13 'Bak'tuns decorrido entre as duas datas.
Este foi um intervalo significativo na teologia Maia, mas, ressalta Carlson, não um cataclisma.

Nenhuma das milhares de ruínas, quadros, e pedras que os arqueólogos têm examinado
predizem um fim do mundo.

A ciência moderna concorda. Especialistas da Nasa se reuniram recentemente em um hangout do Google para compartilhar suas descobertas.

Don Yeomans, diretor do Programa de Objetos Próximos à Terra da NASA, declarou que não há asteróides ou cometas conhecidos em rota de colisão com a Terra. Nem há um planeta errante que vem para nos destruir. Se houvesse alguma coisa lá fora, como um planeta dirigido para a Terra, disse astrobiólogo David Morrison da NASA, Já seria [um dos] objetos mais brilhantes do céu.


Todo mundo na Terra poderia vê-lo. Você não precisa pedir ao governo, apenas saia e procure. Ele não está lá.

Lika Guhathakurta, diretor do programa Vivendo com uma Estrela da Nasa, disse que tampouco o sol é uma ameaça. O sol tem se consumido a bilhões de anos - muito antes dos Maias sequer existirem. E nenhuma vez destruiu o mundo.

Agora que o sol está se aproximando ao apogeu de seu ciclo de atividade de 11 anos, acrescentou, Mas é o mais fraco ciclo solar dos últimos 50 anos.

Relatórios ao contrário, são exagerados. Para Carlson, 21 de dezembro de 2012, não é um dia de medo. Pelo contrário, diz ele, Eu estava esperando para experimentar este dia, por mais de 30 anos.

Para ele, experimentar o 21 de dezembro de 2012 significa visitar a terra natal dos maias em Yucatán, e refletir sobre a grandeza da civilização maia, quando os seres humanos antigos contemplavam extensões de tempo em ordens de magnitude além dos horizontes modernos.

E, é claro, apreciando o fato de que o mundo não acabou ontem.

Tem mais perguntas sobre 21 de dezembro de 2012? Verifique www.nasa.gov/2012 de respostas.

E para obter notícias quentinhas de ciência, fique atento para science.nasa.gov.

Legendado por Blog Brasil acadêmico.

[Via BBA]