Blog

Blog

18 de out de 2013

De tudo um pouco - Fique sabendo!




 Mergulhadores Resgatam Meteorito Que Explodiu Sobre a Rússia

Parte do meteoro encontrado no
lago Chebarkul, na Rússia
De acordo com a postagem no site apolo11: Os mergulhadores russos resgataram do fundo de um lago em Chelyabinsk, na região dos Urais, é o que se acredita ser o maior fragmento do meteorito que atingiu a Terra em 15 de Fevereiro de 2013.

Negra e irregular, a rocha mede cerca de 1.5 metros de comprimento e pesa mais de meia tonelada.
A rocha é a maior peça entre os fragmentos que já foram recuperados após a explosão na atmosfera e segundo as testemunhas que acompanharam o resgate teve uma parte da estrutura fragmentada ao ser retirada do lago.
De acordo com um dos cientistas que participaram da empreitada, o peso da rocha ultrapassou o limite da escala da balança usada na medição, que quebrou ao atingir 570 quilos. Segundo ele, o peso total do meteorito ultrapassa 650 quilos.
Ainda não se tem absoluta certeza de que a rocha seja de fato parte do meteorito que caiu na Rússia, mas os sinais exteriores mostram assinaturas evidentes de que a rocha passou por um intenso processo de aquecimento recente, apresentando uma crosta de fusão vítrea, negra e brilhante formada tipicamente quando as porções exteriores da rocha derretem.
O meteorito de Chelyabinsk é uma mistura de diferentes tipos de condritos ordinários, meteoritos rochosos de alta densidade que caem na Terra na maioria das vezes.

Muita Energia

A queda do meteorito ocorreu em 15 de fevereiro de 2013 e produziu uma onda de choque tão intensa que pelo menos 17 estações que monitoram e detectam testes nucleares ao redor do mundo registraram o evento. Após a explosão do meteoro muitos números foram divulgados, mas na medida em que os dados científicos foram sendo apresentados, novos valores sobre a magnitude da explosão foram estimados.
Analisando os dados das estações de infrassons, os cientistas puderam calcular que o bólido liberou cerca de 500 kilotons de TNT de energia, o equivalente a 25 vezes a força da bomba atômica que foi lançada sobre Hiroxima em 1945.
Além da energia cinética, a massa e velocidade do objeto também puderam ser determinadas e os cálculos mostram que o meteoro entrou na atmosfera da Terra a 60 mi km/h. No momento da entrada a rocha tinha aproximadamente 17 metros de diâmetro e pesava 10 mil toneladas.

Assista o vídeo:



Artes no topo:

Imagem em alta resolução mostra o grande fragmento do meteorito após ser retirado do lago na região de Chelyabinsk, no sul dos Montes Urais. Acima, modelo computacional mostra o caminho que o meteorito russo fez desde o instante da ruptura até a explosão sônica sobre a cidade de Chelyabinsk. Créditos: RIA, AGI, Apolo11.com.

Fonte do vídeo: Latest News





O Guia Completo: Cobras


Dependendo da região do mundo em que estamos, temos duas reações típicas frente às serpentes: adoração ou ódio. A adoração vem, na maioria das vezes, acompanhada por explicações religiosas. O ódio também vem acompanhado, mas pela falta de informação frente a estes seres. A imagem que carregamos das cobras é de que são seres perigosos, que só oferecem risco aos seres humanos, e que devem ser mortas. Não é bem assim.

 O Universo - Marte: O Planeta Vermelho Documentário



BRASIL, GUERRILHA E TERROR - A Verdade Escondida.




A verdade sobre a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos 2016






Pacote Hiroshima

“Meu Deus, o que foi que nós fizemos?” Eram 8h e 16min do dia 6 de agosto de 1945. A interrogação foi a primeira reação de um dos tripulantes do Enola Gay, após presenciar a devastação produzida pela primeira bomba atômica jogada sobre uma cidade povoada. Enola Gay foi o nome dado ao avião norte-americano B-29 pelo seu comandante em homenagem à própria mãe. A cidade era Hiroshima, no Japão, que desapareceu em baixo de uma nuvem em forma de cogumelo. As notícias sobre a cidade eram desencontradas, e ninguém sabia exatamente o que ocorrera. No dia 9 outra bomba atômica foi lançada sobre a cidade de Nagasaki. Os norte-americanos haviam treinado durante meses uma esquadrilha de B-29 para um ataque especial. Nos aviões, quase ninguém sabia o que transportava.

Luz Branca/Chuva Negra: A Destruição de Hiroshima e Nagazaki