Blog

Blog

13 de dez de 2012

O centenário de Luiz Gonzaga

Luiz Gonzaga nasceu em Exu, Pernambuco, em 13 de dezembro de 1912. Foi um compositor popular. Aprendeu a ter gosto pela música ouvindo as apresentações de músicos nordestinos em feiras e em festas religiosas. Quando migrou para o sul, fez de tudo um pouco, inclusive tocar em bares de beira de cais.

Ele foi o primeiro músico assumir a nordestinidade representada pela a sanfona e pelo chapéu de couro. Cantou as dores e os amores de um povo que ainda não tinha voz. Quando morreu em 1989 tinha uma carreira consolidada e reconhecida. Ganhou o prêmio Shell de Música Popular em 87 e tocou em Paris em 85. 
Seu som agreste atravessou barreiras e foi reconhecido e apreciado pelo povo e pela mídia.
Assista em TELE CHEIA

Obrigado, João Paulo II   






DIA DO NORDESTINO!

Parabéns a esse povo de cultura muito particular, que eu adoro!

Sou fã do forró, da maxixada, da tapioca, da macaxeira, do artesanato, do sotaque e da simplicidade do nordestino.

Encontrei na internet esse vídeo e achei tão bacana que resolvi compartilhar com você. São trechos do programa Proposta com Luiz Gonzaga e participação  de Gonzaguinha no quadro Arquivo do Radiola na TV Cultura.



Nem se despediu de mim - Luiz Gonzaga

12- A TRISTE PARTIDA - Luiz 

Gonzaga - 50 anos de chão - disco 4         

Xote Ecológico  



Frei Damião   

Assum Preto. Lenine e Zeca Baleiro homenageiam Luiz Gonzaga

No último dia 28 de julho, Zeca baleiro e Lenine estiveram em Salvador, no Bahia Café Hall, para apresentar-se perante o público soteropolitano no evento Conceito.com. Eles tem carreiras e estilos diferentes, mas ambos são nordestinos (Zeca, do Maranhão, Lenine, de Pernambuco), e têm um público fiel e que acompanha suas carreiras.  

Zeca, mais irreverente e com suas letras inteligentes e mordazes; Lenine, com seu ritmo, bom humor e a sensação que nadora estar ali fazendo música

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Assum Preto. Lenine e Zeca Baleiro homenageiam Luiz Gonzaga

Primeiro Zeca, depois, Lenine, cada um a seu estilo, fizeram o público cantar junto com eles muitas de suas canções. O público, a despeito do atraso no início da apresentação, estava visivelmente feliz com a experiência. 

Mas se resolveram estar juntos no mesmo dia, no mesmo palco, resolveram eles fazer uma homenagem juntos para seu público, qual seria a homenagem mais significativa? Uma homenagem aos 100 anos de Gonzagão, nascido em 1912, quando ambos, de improviso, cantaram "Assum preto", uma das mais belas, líricas e tristes letras de Humberto Teixeira para a música de Gonzagão. 

 

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Assum Preto. Lenine e Zeca Baleiro homenageiam Luiz Gonzaga

O canto do assum preto é triste, doloroso, pois o assum preto ficou "cego dos óio", não se sabe por ignorância ou maldade, na esperança de que assim ele venha a cantar melhor. 

O assum preto, cego como ficou, não pode voar. Por isso vive solto...  antes a sina da gaiola, que assim poderia ver o céu ... e por fim, a comparação da cegueira do assum preto com a cegueira do eu-lírico, que perdeu seu amor, a luz dos seus olhos.

Numa apresentação em que ambos os cantores estavam felizes de ali estar, uma homenagem numa música triste. Bom de se ver, de se ouvir

LUIZ GONZAGA -NO FANTASTICO-

2012.COMPLETO   

01- A VIDA DO VIAJANTE - Luiz 

Gonzaga - 50 anos de chão - disco 5   

LUIZ GONZAGA 58 MUSICAS