Blog

Blog

12 de fev de 2013

Aztecas, Incas e Maias e sua origem extraterrestre






Estes crânios encontram-se expostos no Museu de Antropologia de Lima (Peru). Ainda causam controvérsia, pois não se encaixam nas técnicas das "deformações cranianas", empreendidas pelos antigos, que as usavam esses procedimentos com fins mágico-religiosos e estéticos.

É possível deformar o crânio sim, mas não aumentar o volume interno. E estes comprovadamente tem volume 40 a 50% superiores ao do homem normal.Além disso, deformações nunca seriam tão siméricas, vertical, horizontal e radialmente!E nem totalmente iguais uma as outras. Ademais, deformaçao não explica nada; só constata o fato de que a nobreza ou clero estaria tentando parecer superior. Porém, com base em quê 'modelo'superior? A quem pretendiam imitar, se assemelhar, PARA parecerem superiores? Por fim a face, os olhos e especialmente os ossos da mandíbula não podem ser deformados. E são claramente distintos do homem comum. Exceto se pertencerem a uma raça humana desconhecida.


DUAS EMIGRAÇÕES DE EXTRATERRENOS

Os textos sagrados hindus revelam que os antepassados dos Arianos não tinham nascido na Terra, mas numa estrela da Via Láctea (Sírio é uma estrela da Via Láctea) “O Caminho de Ariaman é o caminho que vai duma estrela a Terra” (texto védico) A segunda ingerência atestada por numerosos textos, foi a dos venusianos.
Durante muito tempo, os astrônomos pensaram que o planeta Vênus pertencia ao sistema solar desde há milhares de anos. Conseguimos, graças aos nossos documentos, que o observatório de Paris admitisse que o caso de Vênus merecia ser reconsiderado. E sabemos que alguns astrônomos, antecipando-se a verdade que em breve acabara por impor-se, admitem facilmente a irrupção de Vênus-cometa no nosso sistema solar. 


A tradição Inca diz que quando Orejona aterrou sobre a Pedra Sagrada da Ilha do Sol, no lago Titicaca, ele trouxe do seu planeta vegetais, animais, e “outras coisas” De acordo com a lenda pré-colombiana, o deus Tvira mandou erigir em honra a Orejona, sobre o local do rochedo sagrado, um templo onde estavam guardadas várias “pedras negras”. Essas pedras chamadas Kala e associadas ao Deus-Sol de forma misteriosa desapareceram do lago Titicaca. Essas Kala, em numero de três serão as que atualmente se veneram na Kaaba de Meca ou estarão encerradas na parede? Assim como a pedra de Lúcifer e as “pedras negras’ dos Andes, as das Arábia teriam uma origem celeste: teriam vindo do céu, como dádiva do anjo Gabriel a Abraão em recompensa da vitória do patriarca sobre o demônio; uma outra tradição afirma que caíram de Vênus. A grafite da cave do Kohistan, nas índias, com idade de 14.000 anos e que representa a Terra ligada a Vênus por um caminho de traços. As descrições na Bíblia, e nas tradições de todos os paises da conquista da Terra por seres vindos de algures de Vênus e da Lua.     



O POPOL VUH  FOI TRAFICADO

O Mais importante desses documentos, o Popol Vuhu ou livro do conselho, que relata acontecimentos anteriores ao dilúvio, foi transcrito em latim no século XVI por um sábio quiche que muito provavelmente, era um espanhol católico. Possuímos uma notável tradução do francês devida ao erudito abade Brasseur de Bourbong e também alguns extratos de uma exegese publicada rcentemente pelas edições Payot.
É do conhecimento do público eu o planeta Vênus regia a religião Maia, sem duvida após o aparecimento deste planeta no nosso céu visível, há 5000 anos. A maioria das pirâmides é-lhe dedicada; Quetzacoatl e Kukulka, os dois maiores deuses do panteão Maia, são personificações do planeta brilhante; em todos manuscritos Maias, os sinais de Vênus florescem em cada página... Ora, fato extraordinário, excetuando o abade Brasseur de Bourbong, todos os autores obedecendo sem duvida a recomendações de Black-out, silenciam o papel de Vênus na civilização Maia e, as vezes, conseguem até nem mencionar o nome do planeta. Coincidência curiosa, na Bíblia manifestam-se as mesmas instruções de prudência ------a respeito da “ESTRELA” que os Hebreus reincidentes tinham a desagradável tendência, sem duvida hereditária, para quererem adorar ao mesmo tempo que o touro(impropriamente chamado Bezerro de Ouro). E acontece que essa estrela é precisamente Vênus. e que esse touro, símbolo dos anjos, genitores, representa também os Iniciadores venusianos, nos Maias, nos Fenícios, nos Assírio Babilônios e nos Incas.
Em resumo, tudo se passa como se desde há três mil anos uma conjuração se empenha-se em esconder uma verdade perigosa para as nossas instituições e as nossas religiões. Uma verdade cuja chave seria o planeta Vênus.                     




Chan Chan, a capital do império Chimu, declarada pela UNESCO como Herança Cultural da Humanidade, com uma importância comparável às do Egito, Mesopotâmia, Índia, China e de
Teotihuacán no México.