Blog

Blog

17 de abr de 2013

Baalbek (O Mistério do Líbano)


A impressionante construção da milenar Baalbek ou Balbek (Heliópolis para os romanos), que é uma cidade histórica situada no Líbano. È um antiga cidade da Fenícia, no conhecido vale do Bekaa, tornou se colônia romana conquistada sob Augusto.
Plataforma das "Ruínas de Baalbek" no Líbano
A acrópole da cidade conserva importantes vestígios romanos. As gigantescas ruínas de Baalbek se encontram em meio à planície de Beqaa, entre as cordilheiras do Líbano e do Anti-Líbano. Foi chamada Heliópolis, "cidade do sol", pelos gregos e romanos.

Sua origem recua até perder-se nas lendas antigas de Baal, que era considerado "o controlador do destino humano".

Durante os primeiros séculos da era cristã, Baalbek foi muito próspera e famosa. Seus edifícios, como os conhecemos agora, tiveram sua construção iniciada pelo Imperador romano Antonino Pio (138-161 d. C), e continuada por Septímio Severo e outros imperadores até Caracala (211-217 d.C.).

Os romanos construiram Baalbek para honrar a Júpiter, a Baal e a Baco, e para impressionar as nações do Oriente com o poder e a grandeza de Roma. Na condição de centro de adoração do Sol, ela tornou-se conhecida como a morada de um oráculo (centro de adivinhações). A cidade foi visitada pelos principais governantes da época e por pessoas importantes que vinham de todas as partes.

Comparativo de Baalbek - relacionada a sua posição "indo
ao monte Ararat" em Iğdır, Turquia
A base do templo possui pedras entre 900 e 1400 toneladas alinhadas, perfeitamente encaixadas e apoiadas entre 5 e 10m de altura sobre outras pedras menores.

Seu formato e tamanho das pedras também é comparado com o Templo de Jerusalém onde, em seu centro, existe o Domo da Rocha do Islamismo, no exato local onde estaria construído o Santo dos Santos (centro do templo israelita), sobre uma rocha segundo a qual os deuses visitavam a terra e ficavam sobre ela, chamada Pedra Sagrada.

Comparativo de Baalbek, quando é relacionada a sua posição, seguindo um traço (linha) que dá direto ao monte Ararat, do mesmo jeito que as outras cidades anti-diluvianas dos Anunnaki estavam alinhadas, porque formavam um linha reta que terminava no nas proximidades do monte Ararat (o lugar onde os Anunnaki - haviam construído um gigantesco completo na época a sua primeira visita a terra).


As oitos cidades perfeitamente alinhadas numa Seta
-reta, apontado para o Monte Ararat.
A imagem acima: as cidades posicionadas em linhas que haviam sido construídas pelos Anunnaki, que antecederam a inundação que as destruiu na suméria.

Também é uma conscidência ou um simples engano, como é afirmado por aqueles que não querem reconhecer nada com real, por acha que as construções serviram apenas para adoração dos "deuses" por aqueles que não podiam compriender sobre as Divindades (extraterrestres), também há um forte relação nas escrituras chamada de sagrada da Bíblia - a Mitológica.

O Tempo do Monte em Jerusalém e sua semelhança com
a Plataforma de Baalbek, no Líbano.

Se quiser conhecer mais afundo tais ruínas: é preciso adentrar nos livros escritos por Zecharia Sitchin que é parte de "As Crônicas da Terra". Ele explica tudo passo-a-passo: desenrolando o entrelaçado desta enigmática construção. De acordo com as suas pesquisas feitas nas Tábuas Sumerianas, as plataformas foram erguídas logo após a Inundação (O tal Dilúvio da mitológica Bíblia). Para substituir o que havia sido destruído antes e que estava localizada na suméria.

Abaixo segue um vídeo da série alienígenas do passado sobre esta construção:

Assista:


Fonte do vídeo: SeteAntigos7