Blog

Blog

20 de abr de 2013

"Canta" Brasil




MÚSICA PARA DEFINIR O QUE TEMOS QUE SENTIR POR TODAS MULHERES...

Esta homenagem é para todas minhas amigas, que me apoiaram e continuam me apoiando... Dispensa muitas palavras.

Apenas uma poesia. Uma música.



Mulher

Mulher, eu quase não consigo expressar
Minhas emoções confusas na minha negligência
Afinal de contas, estou eternamente em dívida com você
E mulher, eu tentarei expressar
Meus sentimentos interiores e gratidão
Por me mostrar o significado do sucesso
Ooh, bem, bem
Doo, doo, doo, doo, doo
Ooh, bem, bem
Doo, doo, doo, doo, doo


Mulher, eu sei que você entende O interior pequena criança do homem
Por favor, lembre-se minha vida está em suas mãos
E, mulher, mantenha-me próximo do seu coração
No entanto distante não nos mantenha separados
Depois de tudo o que está escrito nas estrelas



Ooh, bem, bem
Doo, doo, doo, doo, doo
Ooh, bem, bem
Doo, doo, doo, doo, doo
Wellll

Mulher, por favor deixe-me explicar
Eu nunca quis te causar tristeza ou dor
Então deixe-me dizer-lhe de novo e de novo e de novo

Eu amo você, yeah, yeah
Agora e para sempre
Eu amo você, yeah, yeah
Agora e para sempre
Eu amo você, yeah, yeah
Agora e para sempre
Eu amo você, yeah, yeah


Djavan me  faz lembrar bons tempos...






Valeu...


NÃO SONHE QUE TERMINOU...

Agora que 2013 esta engrenando é bom lembrar que a vida avança, que nossos projetos nunca acabam, por isso mesmo proponho esta bela canção do Crowded House, Don't Dream It's Over para uma reflexão de que nada que plantamos é em vão.



Não Sonhe Que Terminou

Há liberdade interior, Há liberdade exterior
Tentando conter o dilúvio dentro de uma taça de papel
Há uma batalha pela frente, Muitas batalhas são perdidas
Mas você nunca verá o fim da estrada
Enquanto estiver viajando comigo

Hey agora, hey agora
Não sonhe que terminou
Hey agora, hey agora
Quando o mundo vem
Eles vem, eles vem
Para construir uma muralha entre nós
Nós sabemos que eles não ganharão

Agora tô guinchando meu carro, há um buraco no teto
Meus haveres estão me gerando suspeitas, mas não há provas
No jornal de hoje, os contos da guerra e do desperdicio
Mas você vai direto para a página sobre T.V.

Hey agora, hey agora
Não sonhe que terminou
Hey agora, hey agora
Quando o mundo vem
Eles vem, eles vem
Para construir uma muralha entre nós
Nós sabemos que eles não ganharão

Agora ando mais uma vez ao ritmo de um tambor
E estou contando os passos até a porta do teu coracão
Apenas as sombras à frente, mal clareando o teto
Descobrindo a sensação de liberacão e alívio

Hey agora, hey agora
Não sonhe que terminou
Hey agora, hey agora
Quando o mundo vem
Eles vem, eles vem
Para construir uma muralha entre nós
Jamais permita que eles vençam

Não deixe eles vencerem.

NÃO DEIXEM DE FORMA ALGUMA...


 IVAN LINS E O NOVO TEMPO




Novo tempo
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver


Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos



De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos



De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança



No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos



A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança


O REI, EU GOSTO DELE ASSIM: NEGRO GATO... DETONANDO...

Num especial da Rede Globo

Esta é uma canção emblemática, tem um pouco de cada um de nós...não é?



E que rock...


MIAAAAAAAAAUUUUU!

Eu sou um negro gato de arrepiar
E essa minha vida
É mesmo de amargar
Só mesmo de um telhado
Aos outros desacato
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!...

Minha triste história
Vou lhes contar
E depois de ouví-la
Sei que vão chorar
Há tempos eu não sei
O que é um bom prato
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!...

Sete vidas tenho para viver
Sete chances tenho para vencer
Mas se não comer
Acabo num buraco
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!...

Um dia lá no morro pobre de mim
Queriam minha pele para tamborim
Apavorado desapareci no mato
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!...

Auuuuuuuuuuuuu!
Oh! Oh! Oh!
MIAU! MIAU!...

Sete vidas tenho para viver
Sete chances tenho para vencer
Mas se não comer
Acabo num buraco
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!...

Um dia lá no morro pobre de mim
Queriam minha pele para tamborim
Apavorado desapareci no mato
Eu sou um Negro Gato!
Eu sou um Negro Gato!
MIAAAAAAAAAUUUUU!
Eu sou um Negro Gato!



ROLLING STONES COMEMORA 50 ANOS DE ROCK ALEGRE, DIVERTIDO E IRREVERENTE. 


Então vamos ao emblemático som dos Rolling Stones.




Todo show é uma festa...Lady Jane é inesquecível, eu ficava esperando tocar no rádio...




Quem ou viu Route 66 só com Depeche Mode, então conheçam esta versão...



Para encerrar a bela She`s a Rainbow (Ela é Um Arco Íris)...



Para os eternos corações apaixonados...

JEAN-LUC PONTY VIOLINO JAZZ

O violino que tem suas origens no século XVI na Itália evoluindo de antecessores como a rebeca, a vielle e a lyra da braccio. Sua criação é atribuída ao italiano Gasparo de Salò.[6] Durante duzentos anos, a arte de fabricar violinos de primeira classe foi atributo de três famílias de Cremona: Amati, Guarneri e Stradivarius. Toda a invenção do violino foi conduzida pelas raízes do instrumento milenar chines erhu, as raízes deste instrumento foram os instrumentos de cordas friccionados por arco mais antigos já descobertos.
O violino propriamente dito manteve-se inalterado por duzentos anos. A partir do século XIX modificou-se apenas a espessura das cordas, o uso de um cavalete mais alto e um braço mais inclinado. Inclusive, a forma do arco consolidou-se aproximadamente nessa época. Originalmente com um formato côncavo, o arco agora tem uma curvatura convexa, o que lhe permite suportar uma maior tensão das crinas, graças às mudanças feitas pelo fabricante de arcos François Tourte, a pedido do virtuose Giovanni Battista Viotti, em 1782. O violino tem longa história na execução de músicas de raiz popular, que vem desde os seus antecessores (como a vielle). A sua utilização tornou-se mais expressiva a partir da segunda metade do século XV.
Jean-Luc Ponty foi pioneiro na utilização de um violino elétrico a 5 cordas, equipado de 1 corda baixa afinada em Dó. Utilizou também um violino elétrico a 6 cordas chamado Violectra, com baixos em Dó e em Fá. Mas não foi só isso, Ponty estudou como violinista clássico profissional no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris. Sua atração pelo jazz é devida às músicas de Miles Davis e de John Coltrane. E tem mais além de jazz, tem bossa nova. Ouçam e curtam.



Se você e refletir sobre esta música vai imaginar que ela é realmente o fundo musical de uma miragem.


Bom som...quando as coisas não estão bem, para relaxar, música gente, música.



O anos era 1984, a turma de história da PUCCAMP de 1983 da qual eu fazia parte fez uma excursão de ônibus pelas cidades históricas de Minas Gerais.
Pouco antes do ônibus partir de Campinas, eu que tinha um toca fita portátil com fone de ouvido recebi emprestado da amiga e colega de classe Dione uma fita cassete com gravações de músicas indianas, era Ravi Shankar.
Enquanto o ônibus serpenteava pelas estradas nas montanhas de Minas Gerais eu ouvia o som viajante de Ravi Shankar, ali nasceu mais um fã desse maravilhoso músico indiano e do mundo.
Ouçam...








Isso era e é Ravi Shankar, um músico digno das dividades. Depois de ouvir ele sua vida musical não será mais a mesma, pode acreditar.

APESAR DAS FRUSTRAÇÕES NOSSAS DE CADA DIA LEMBREM-SE SEMPRE: ROMA NÃO FOI CONSTRUÍDA EM UM SÓ DIA...




Você e eu fomos feitos pra
Andarmos livres em harmonia
Um belo dia, voaremos pra longe
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?

Hoje em dia é tão fácil se estressar

Porque as pessoas são estranhas e você nunca pode prever isso
Para amarmos, criança, nós temos que ser fortes
Eu fui pega no fogo cruzado, por que não podemos nos entender?

Porque você e eu, fomos feitos pra

Andarmos livres em harmonia
Um belo dia, nós voaremos pra longe
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?

Sonhando acordada, nós estamos chegando a algum lugar

Estou beijando seus lábios e passando a mão nos seus cabelos
Estou tão nervosa quanto você sobre fazer a coisa certa
Embora soubéssemos que nós estávamos errados, não podemos desistir da luta
Oh no

Porque você e eu fomos feitos para

Andarmos livres em harmonia
Um belo dia nós correremos para longe
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?

Você e eu, fomos feitos para

Andarmos livres em harmonia
Um belo dia nós voaremos para longe
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?

Você e eu (você e eu), fomos feitos para (fomos feitos para)

Andarmos livres (andarmos livres), em harmonia (em harmonia)
Um belo dia (um belo dia) vamos fugir (vamos fugir, vamos fugir)
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?

Você e eu (você e eu), fomos feitos pra (fomos feitos pra)

Andarmos livres (andarmos livres), em harmonia (em harmonia)
Um belo dia (um belo dia) nós voaremos para longe (nós temos que fugir, nós temos que fugir)
Você não sabe que Roma não foi construída em um dia?



O TEATRO DOS VAMPIROS NOSSO DA CADA DIA

Teatro dos vampiros é uma metáfora das coisas que acontecem no dia a dia. Em cada canto tem um vampiro pronto pra atacar tudo e qualquer coisa, principalmente se o negócio for dinheiro. Então, dispensa comentários.
Para refletir o verdadeiro teatro dos vampiros em forma de canção, de filosofia...



Teatro Dos Vampiros

Legião Urbana


Sempre precisei de um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto.
E destes dias tão estranhos
Fica a poeira se escondendo pelos cantos

Esse é o nosso mundo:
O que é demais nunca é o bastante
E a primeira vez é sempre a última chance.
Ninguém vê onde chegamos:
Os assassinos estão livres, nós não estamos.

Vamos sair, mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos estão procurando emprego
Voltamos a viver como há dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas.

Vamos lá, tudo bem - eu só quero me divertir.
Esquecer, dessa noite ter um lugar legal pra ir...
Já entregamos o alvo e a artilharia
Comparamos nossas vidas
E esperamos que um dia
Nossas vidas possam se encontrar.

Quando me vi tendo de viver comigo apenas
E com o mundo
Você me veio como um sonho bom
E me assustei

Não sou perfeito
Eu não esqueço
A riqueza que nós temos
Ninguém consegue perceber
E de pensar nisso tudo, eu, homem feito
Tive medo e não consegui dormir

Vamos sair, mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos estão procurando emprego
Voltamos a viver como há dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas

Vamos lá, tudo bem - eu só quero me divertir.
Esquecer, dessa noite ter um lugar legal pra ir...
Já entregamos o alvo e a artilharia
Comparamos nossas vidas...

E mesmo assim não tenho pena de ninguém...


DEPOIS DE TEMPOS ESTOU DE VOLTA, PENSEI EM UM TEXTO MAS ENQUANTO ESCREVO VOU DE MÚSICA.. FAZ PARTE DO MEU SHOW...


Fiquei pensando no que deveria escrever na minha volta ao blog, mas tinha estabelecido que voltaria a escrever de fato somente depois do final do Segundo Turno da Eleição Municipal deste ano quando para mim um ciclo deverá se encerrar e outro começar.

Enquanto isso acho que as pessoas deveriam conhecer um pouco daquilo que eu chamo de básico do meu pensamento e isto está em uma composição de Cazuza e Renato Ladeira, Faz Parte do Meu Show.....leiam a poesia e depois ouçam a bela bossa nova.

Te pego na escola e encho a tua bola com todo o meu amor
Te levo pra festa e testo o teu sexo com ar de professor
Faço promessas malucas tão curtas quanto um sonho bom
Se eu te escondo a verdade, baby, é pra te proteger da solidão

Faz parte do meu show
Faz parte do meu show, meu amor

Confundo as tuas coxas com as de outras moças
Te mostro toda a dor
Te faço um filho
Te dou outra vida pra te mostrar quem sou
Vago na lua deserta das pedras do Arpoador
Digo 'alô' ao inimigo
Encontro um abrigo no peito do meu traidor

Faz parte do meu show
Faz parte do meu show, meu amor

Invento desculpas, provoco uma briga, digo que não estou
Vivo num 'clip' sem nexo
Um pierrot retrocesso
meio bossa nova e 'rock'n roll'

Faz parte do meu show
Faz parte do meu show, meu amor

Meu amor, meu amor, meu amor...

E também o vídeo: