Blog

Blog

28 de abr de 2013

O Universo – Vida e morte das estrelas



Cada estrela que vemos brilhar no céu é uma esfera luminosa de gás superaquecido, maior do que qualquer planeta, e cada uma tem uma história para contar. Um nascimento traumático, a vida por um triz e uma morte que abala o firmamento, resultando em um clarão ofuscante – a maior explosão do universo.



O Universo – Nebulosas

As nebulosas são caóticas e surpreendentes, e sua beleza se forma a partir do vazio do espaço. Sopros de matéria, por vezes se unindo e por vezes se distanciando. Véus diáfanos, malhas encapeladas, algumas escuras, outras reluzindo em cores brilhantes, muitas tomando a forma de coisas estranhamente familiares.

Nebulosa Cabeça de Cavalo
Com seus diversos formatos e cores, as nebulosas são um dos elementos mais encantadores do universo. Agora, o universo revela sua incrível demonstração de nascimento e morte estelares, e o
ciclo de criação dentro delas, as nebulosas.

 Assista em TELA CHEIA




Formação de um planeta alienígena é observada pela 1ª vez

Astrônomos registraram pela primeira vez uma imagem direta de um planeta alienígena em processo de formação ao redor de uma jovem estrela.

Estrela HD 100546
Concepção artística da estrela HD 100546

A imagem do protoplaneta gigante foi registrada pelo Very Large Telescope, do ESO, e mostra uma tênue mancha incorporada em um espesso disco de gás e poeira ao redor da estrela  HD 100546, localizada à 335 anos-luz de distância da Terra. Segundo os cientistas, o objeto é um gigante gasoso bebê, que no futuro se tornará semelhante à Júpiter.
Veja a animação do sistema de HD 100546 abaixo:



“Até então, a formação de planetas tem sido estudada somente em simulações de computador,” disse o astrônomo Sascha Quanz, líder da equipe de pesquisa. “Se a nossa descoberta for de fato um planeta em formação, permitirá aos cientistas estudar pela primeira vez o processo de formação e interação de um planeta em seu ambiente natal”.
A estrela HD 100546 também pode abrigar outro planeta gigante, que a orbita seis vezes mais longe do que a Terra do Sol. O novo planeta observado está ainda mais distante – cerca de 10 vezes a distância de seu irmão, isto é,  70 vezes o trecho entre a Terra e o Sol.
As estrelas nascem em nuvens de gás e poeira denominadas nebulosas, e depois formam um disco de material que as orbita  [Como as estrelas nascem?]. A partir deste disco, os planetas começam a tomar forma. 


Meteoro cruza o céu de Nova York e outras cidades 


Um brilhante meteoro ofuscou brevemente o céu de Nova York,  Washington D.C. e outras diversas cidades da costa leste dos EUA e do Canadá ontem (22/03).
O fenômeno aconteceu por volta das 20h (horário local). Ao todo, foram mais de 500 relatos no país, que descreviam o objeto como sendo muito brilhante.
Segundo os pesquisadores, a bola de fogo foi formada por algum fragmento de meteorito ou cometa que entrou em chamas após entrar na atmosfera terrestre.
Fenômenos semelhantes acontecem todos os dias na Terra, mas geralmente são vistos longe das 
grandes cidades e com um brilho menos intenso.





A maioria dos objetos espaciais se desintegram ao entrar em contato com a atmosfera de nosso planeta, que não é capaz de reter objetos maiores, como o que explodiu na Rússia dia 15/02