Blog

Blog

9 de jun de 2013

Direto da redação - Edição da tarde!




Esquizofrenia – O transtorno do funcionamento cerebral [atualizado]

Esse post não terá tanto sangue, mas não deixa de ser bizarro. Nós faz perceber de que como uma minúscula coisa pode afetar toda nossa maneira de viver e de estar. Esse assunto foi dica do leitor Anderson.Portugal.
Só queria lembrar que eu não sou perita no assunto, mas que dei o máximo de mim pra tentar por aqui tudo do mais certo. Se tiver algo errado, por favor, podem me corrigir nos comentários (mas cuidado como vocês corrigem, sou menina e me decepciono muito facilmente OUNAO sem agressões. Tankiu veri mati)… Mais uma coisa: É ÓBVIO que o texto não é meu, pesquisei em vários sites que falavam a respeito e fiz uma mistureba tentando deixar bem claro para o entendimento de vocês. Obrigada pela atenção e hoje o  amor não será tão profundo #chateada. Besos.

O que é?

A esquizofrenia foi descrita como doença no final do século XIX, nessa época ela era conhecida como demência precoce, pois seus sintomas se assemelhavam a idosos portadores de demência (Alzheimer). No inicio do século XX o termo passou a se chamar como é conhecida hoje(esquizo=cindida; frenia=mente)
nota: cindida= separar;cortar.
A esquizofrenia acomete cerca de 1% da população mundial, independente da cultura, condição sócio-econômica ou etnia.

Quem possui?

Nos homens, o início é mais precoce do que nas mulheres, geralmente entre os 15 e 25 anos de idade, enquanto as mulheres adoecem mais tardiamente, entre os 25 e 35 anos. Não se sabe ao certo o motivo, mas há a implicação de fatores hormonais e da diferença do desenvolvimento cerebral relacionado ao sexo. Mas esse fato não é uma regra.
A esquizofrenia atinge uma parcela significativa da população em idade produtiva, sendo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a terceira doença que mais afeta a qualidade de vida da população entre 15 e 44 anos. A doença já foi a causa mais frequente de internação hospitalar. No Brasil estima-se que haja em torno de 2 milhões de pessoas portadoras de esquizofrenia.

Qual é a causa?

A esquizofrenia tem causa multifatorial. É associada ao conjunto de fatores genéticos e do ambiente que ainda não são muito bem conhecidos. Apesar de já existir o conhecimento da hereditariedade da doença desde o século passado esse fator não parece ser o determinante, pois é muito comum pais que apresentam a doença tenham filhos que não a tenham. Hoje se tem o conhecimento de que a genética é responsável por 50% da chance de adoecer e a outra metade é por fatores ambientais.
nota2: Um exemplo de como o meio influencia é a maconha. Algumas pessoas, que possuem determinado gene realacionado à doença, tem até 5 vezes mais risco de desenvolve la se usarem maconha aos 15 anos. O ambiente, neste caso, pode fazer a diferença entre a pessoa ficar ou não ficar doente, dependendo do uso da droga.
O modelo que reúne fatores genéticos e ambientais é teórico e, embora reúna muitas evidências científicas, ainda não é a conclusão definitiva sobre a origem da doença.
De acordo com esse modelo uma pessoa só desenvolve a esquizofrenia se houver um ambiente influenciando junto com a genética, o que tornaria o individuo biologicamente vulnerável ao transtorno. Seria como se um individuo com maior carga genética, por exemplo, adoecesse com insultos ambientais mais brandos enquanto um individuo com menor carga genética para a doença precisasse de um insulto mais forte. É daqui que vem as diferentes formas da doença se manisfestar.
Os fatores ambientais de risco interferem em processos do desenvolvimento e maturação cerebral, ativando genes de susceptibilidade (Disposição especial do organismo para acusar influências exercidas sobre ele ou para adquirir doenças) para a esquizofrenia e causando alterações cerebrais sutis, como a desconexão entre neurônios. Esta é a base para que disfunções cognitivas e sintomas positivos e negativos da esquizofrenia se desenvolvam.
Nota3: Disfunções cognitivas são formas de pensar distorcidas da realidade, padronizadas pelos eventos da vida.

Seria como se o cérebro possuísse vários curto-circuitos e tivesse maior dificuldade para trocar informações entre si, gerando erros no processamento e limitações cognitivas e emocionais. Isso explica, em parte, a vulnerabilidade dos pacientes ao estresse e sua dificuldade para lidar com situações que geram maior sobrecarga.

Como evolui?

A evolução ou prognóstico da esquizofrenia é tão variável quanto à própria doença. Existem pacientes que têm apenas uma crise, que retomam suas atividades e que permanecem com sintomas que pouco interferem com sua vida. Há outros que perdem mais com a crise e têm maior dificuldade para retomar seus compromissos e são mais dependentes de supervisão e apoio. E existem aqueles com um curso mais grave, muitas recaídas e menor autonomia.
A ciência ainda não descobriu todas as explicações para essas diferenças. Sabe-se que um maior número de recaídas compromete muito a evolução e as possibilidades de recuperação a longo prazo. Para cada crise, estima-se que o paciente leve de 6 a 12 meses para recuperar o nível anterior de funcionamento. Portanto, a prevenção de recaídas, através de um tratamento regular e abrangente que contemple as esferas bio-psico-sociais do indivíduo e de sua família, é fundamental.

Como tratar?


a) Medicações

Os antipsicóticos, também conhecidos como neurolépticos, são os medicamentos utilizados no tratamento da esquizofrenia. São assim chamados por possuírem efeito calmante (neuro=nervo; lepsis=apreensão) e por combaterem sintomas como delírios, alucinações, comportamento desorganizado e agitado. Eles atuam sobre um neurotransmissor (substância química responsável pela transmissão dos estímulos entre os neurônios) chamado dopamina, cujo excesso provoca os sintomas positivos e desorganizados da esquizofrenia. Bloqueando canais receptores de dopamina nos neurônios, eles evitam que o excesso da substância atinja as células nervosas, reequilibrando o sistema de neurotransmissão. Esse efeito é essencial para a duração do efeito antipsicótico por longo prazo. O efeito terapêutico pode demorar de 4 a 8 semanas, embora alguma melhora do comportamento já possa ser percebida nos primeiros dias de tratamento. É fundamental que nesse período a medicação seja administrada de forma regular. O tratamento de manutenção não é menos  importante, pois é capaz de evitar futuras recaídas e precisa ser mantido mesmo que a crise aguda tenha sido contornada. É comum o abandono do tratamento nessa fase, por acreditar estar curado, o que deixa a pessoa vulnerável a uma nova crise.

b) Reabilitação

Os sintomas negativos e cognitivos, obstáculos para que muitos possam viver uma vida produtiva e independente, mudaram pouco com os medicamentos atuais. O tratamento psicossocial, também conhecido como reabilitação psicossocial, procura melhorar esses sintomas e resgatar a autonomia, a individualidade e a capacidade de socialização e relacionamento dessas pessoas, através de oficinas terapêuticas que misturam arte, leitura, trabalhos manuais, música, dança, teatro, atividades físicas, reflexões e debates sobre a doença. O programa deve ser individualizado, levando-se em conta o potencial e as limitações de cada um.

c) A internação

A internação continua sendo hoje necessária em alguns casos, mas a grande maioria não precisa dela para seu tratamento. Internações prolongadas, como as que eram praticadas antigamente, em que o paciente ficava por meses ou anos internado, mostraram ser prejudiciais a longo prazo para a doença e seus portadores. A falta de estímulos para uma vida produtiva, a rotina manicomial, o distanciamento da família, a escassez de relações afetivas, enfim, o isolamento da sociedade e do mundo, tornavam os pacientes mais retraídos e apáticos, permitindo que os sintomas negativos da esquizofrenia se cornificassem. O retorno ao lar ficava mais difícil à medida que o tempo de internação se prolongava. Muitos pacientes relutavam em deixar os hospitais com medo da realidade distante que encontrariam lá fora. A hospitalização é necessária quando se esgotam os recursos ambulatoriais para tratamento e quando o paciente oferece risco à sua vida ou à sua integridade. A internação visa garantir o início do tratamento, abrandar os sintomas mais agudos e as alterações de comportamento que estão colocando-o em risco. A duração da internação deve ser a menor necessária para que as suas motivações sejam controladas. A família deve estar presente a todo o momento para evitar que esse período signifique uma ruptura nas suas relações, já que, na maioria dos casos, a internação é cercada de conflitos de ambas as partes.

Comentários pessoal: 

Muitos e muitos e muitos filmes de terror dão a entender que o “mocinho” é esquizofrênico. Raro, porém, são quando eles citam o termo, mas dão todas as características de um doente com tal enfermidade. Pelo o que eu reparei isso ocorre mais em filmes de demônio, não sei se isso é reflexo de uma sociedade (desde os tempos mais antigos) na qual a igreja fala/falava que pessoas com esse problema teriam que buscar à Deus, pois ela estava com demônio no corpo. Bom, é uma teoria a se  seguir, pois eu mesma não acredito que um filme não seja baseado num pensamento universal ou até mesmo de um determinado local.
Abaixo segue alguns vídeo que achei interessante:
Esse primeiro é um episodio de Policia 24 h. No vídeo o cara diz que vai se matar.  A conversa dele com o outro clara é bem interessante :D



Esse segundo mostra uma mulher tendo um surto enquanto aguarda a chegada dos bombeiros. O fato aconteceu em Porto Velho. O mais surpreendente é ver nos comentários do vídeo pessoas falando que a mulher precisa de um padre e uma igreja.




Por último quero deixar umas imagens ANTIGAS. O fato ocorreu em 2005 e as informações que eu tenho são que a jovem (24 anos) cometeu
indianasuicidioesquizofrenia indianasuicidioesquizofrenia1 indianasuicidioesquizofrenia2 indianasuicidioesquizofrenia3

Era uma vez uma mão

Um homem, ao tentar estourar fogos de artifícios, tem sua mão arregaçada. São nesses momentos em que eu parabenizo um médico, pois se fosse eu tava chorando junto com o cara dizendo “Já era cara, não tem mais jeito”.  Mas ainda bem que quero ser bióloga.
O cara se debate de dor e, reparem, que não sobrou nenhum dedo pra contar história. E depois me perguntam porque eu não gosto do ano novo u.u
Uma boa dia tarde a todos vocês e só pra não perder o costume sim, sim, sim esse amor é tão profundo 



Indiano queimado

Esse vídeo parece ser bem doloroso.
O incêndio ocorreu na índia e 8 pessoas morreram, alguns dizem que o cara da imagem veio falecer mais tarde por infecção, mas não sei se o fato é verídico. Se alguém souber mais informações post ai nos comentários.

A cena é bem tensa e não da pra imaginar a dor que ele está sentindo. Ele mesmo parece estar em estado de choque, sem nem ao menos gritar. O mais interessante é que o modo como ele anda me lembrou a cena do filme “Carrie, a estranha”. Outros disseram que lembra também a cena de “O exterminador do futuro”, mas eu não lembro qual é.


O mais legal é a tranquilidade do senhor da tanguinha sexy no canto do vídeo. Ele fica tipo paradão enquanto a pele do cara (ou o que restou dela) vai tipo caindo JAIJAJHUAHU Reparem também no moço de azul que ignora o mister torrada e continua olhando a fumaça lá como se nada tivesse acontecido.


Olha só e vê se não parece
carrie-a-estranha-3

Pai mata os dois filhos e comete suicídio


E aí, frequentadores desse baixo meretrício pessoal… belezinha? Bom, eu faço de tudo, e tento de todo jeito não beber até cair trazer apenas fotos e vídeos, sem um mínimo de informação se quer… mas no caso deste vídeo, foi isso que aconteceu. Nem imagino onde estão minhas calças aconteceu (acredito que nem seja no Brasil), nem o motivo, ou mesmo se o que está descrito no título foi o que realmente aconteceu… As únicas palavras que haviam na fonte onde encontrei o vídeo eram: Pai mata os dois filhos, e comete suicídio.
Enfim, achei minha carteira o vídeo é de uma barbaridade imensa, pois mostra um filho da besta fera homem enforcado, um jovem sem cabeça, e uma criança quase na mesma situação, e resolvi postar mesmo assim, sem mais informações. Se alguém souber de algo (ou descobrir), por favor comente, que eu atualizo o post, e darei os devidos créditos.

Que absurdo, hein, gente? Este, sinceramente, foi um dos poucos vídeos desse tipo que conseguiu mexer comigo.

Soldado Russo morto


Alguém lembra desse vídeo dos tempos de Assustador? Outra relíquia!
Eis a história!

Chechclear é o nome dado a este vídeo de decapitação de um soldado Russo. É um dos mais antigos e notórios vídeos de decapitação na internet. A identidade do soldado Russo não é clara mas algumas fontes dizem que seu nome é Evgeniy Rodyanov (algumas vezes dita como Yevgeny Rodionovo ou algum outro modo de dizer o mesmo nome). Ele tinha 19 anos quando foi brutalmente decapitado pelos rebeldes chechenos.

Como a maioria dos vídeos de decapitação, o mais perturbador é o som. O jovem soldado Russo é visto deitado no chão com uma bota em cima de sua cabeça de um terrorista Tchecheno. A decapitação se inicia perfurando a garganta do soldado Russo com uma faca e logo depois em seu pomo de Adão (gogó), e a faca fazendo o seu caminho até a carótida. O agonizo do soldado ganha um som diferente devido ao gargarejo com sangue.
É dito há uma versão maior, uma versão completa do Chechclear, exceto pelo fato de ninguém tê-lo visto. 

Aparentemente a versão completa contém abusos intermináveis e humilhação do soldado Russo antes dos Tchechenos o degolarem.

Depreciem a nossa nada doce realidade.





Suicídio de Budd Dwyer


Galerinha da tasmânia, tudo bom? Só um papo reto entre a gente aqui rapidinho pra esclarecer: Sim, eu sou menina e não, não sei porque “cudocamelo” xD Mas, deixem pra lá. Coisa de gente sem criatividade. Mas vamos ao que interessa!

O caso abaixo é antigo(sim, BEM antigo) mas acho que vale da uma conferida (ou rever, por que não?)
Tudo aconteceu em 1987 durante uma coletiva transmitida ao vivo.
Budd Dwyer era um politico republicano que foi acusado de receber um suborno de 300 mil dólares  Dwyer negou o envolvimento e jurou pela sua vida (literalmente) que era inocente. Durante as investigações a defensoria ofereceu ao acusado passar 5 anos na cadeia em troca de um testemunho de culpa. Mas Dwyer continuou afirmando que era inocente.
No começo de 1987 Budd convocou uma coletiva de imprensa, todos acharam que ele iria se confessar ali, mas não foi bem isso que aconteceu; Ao ver o vídeo reparem que são entregues três envelopes para seus assessores que, mais tarde, descobriram que nos envelopes possuíam:  Uma nota de suicídio para sua esposa, uma nota de doação de órgãos e uma carta para o governador recém-empossado.
Após dar os envelopes Budd pegou um novo envelope no qual continha um revólver Magnum 357. Suas últimas palavras foram: “Afastem-se, esta coisa vai machucar alguém”
O fato mais interessante é que, naquele dia, devido a uma tempestade de neve que ocorria na Pensilvânia muitas escolas estavam fechadas e muitas crianças viram o suicídio ao vivo;
Obs.: Sim, eu sei que é antigo. Sim eu sei que provavelmente você já viu, mas eu achei interessante e coloquei, beijos. E sim, sim sim esse amor é tão profundo!


Homem com corte na garganta


O vídeo abaixo é bastante agoniante. Um homem sofre um corte profundo na garganta e, aparentemente, não consegue respirar. Os médicos então tentam enfiar um tubo no buraco formado pelo corte para conseguir fazer o cara sobreviver.
O que é mais tenso é ver o cara se debatendo por não sentir o ar chegando aos seus pulmões. Quer sentir como é agoniante? Lembra de quando você era novinho e ia pra piscina? Ai lá você brincava de quem ficava mais tempo embaixo d’água… Com sua vontade de ganhar você ficava lá até não aguentar mais, então chegava uma hora que você começa a se debater por tentar respirar e não conseguir.  Lembrou? A diferença é que quando você não aguentava mais mesmo você ia pra superfície e beleza. Supimpa! Agora tente imaginar você lá por tempo indeterminado. FODA!
O desespero dele é contagiante! Dá até pra sentir falta de ar junto. A informação que eu tenho é que o cara não resistiu e morreu, mas se alguém tiver alguma outra informação diz ai nos comentários :)
Apreciem com moderação!

Dacriocistite

Dacriocistite é uma infecção do saco nasolacrimal. Ela causa dor, vermelhidão e inchaço sobre o aspecto interno da pálpebra inferior. É geralmente causada por uma obstrução nasolacrimal.
O tratamento dessa doença consiste em compressas quentes, descongestionantes nasais e antibióticos tópicos. Se crônico, devem ser obtidas culturas por aspiração.

Veja até onde essa parada pode chegar


Viciado executado

Eu realmente não sei se esse vídeo é fake ou verdadeiro mas aqui vai.
Não sei onde o crime ocorreu, só sei que foi no Brasil.

Depreciem!

Esse aí não vai mais precisar de drogas.

MICHAEL TSARION–O TAROT E A DEUSA



Eu sou Taróloga, então, adorei a palestra dele, sensacional!



AARON RUSSO - AMÉRICA, DA LIBERDADE AO FACISMO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

fonte-sementedomilenium