Blog

Blog

2 de jun de 2013

Direto da redação - O seu fim de noite!



 Não Tenha Medo do Escuro

Titulo Original: Don't Be Afraid Of The Dark
País: EUA, Austrália e México
Ano: 2011
Direção: Troy Nixey
Roteiro: Guilhermo Del Toro
Duração: 99 Minutos

Elenco - Katie Holmes (Kim), Guy Pearce (Alex), Bailee Madison (Sally), Jack Thompson (Harris), Julia Blake (Sra. Underhill), Garry McDonald (Emerson Blackwood), Dylan Young (Homunculi).

Sinopse - Sally Hurst, uma criança solitária e introvertida, acaba de chegar a Rhode Island para morar com o pai, Alex, e a nova namorada dele, Kim, na mansão do século 19 que eles estão reformando. Enquanto explora a ampla propriedade, a menina descobre um porão oculto, intocado desde o desaparecimento do construtor da mansão um século antes. Quando Sally, inadvertidamente, liberta uma raça antiga e obscura de criaturas que conspiram para dragá-la para as profundezas infinitas da misteriosa casa, ela precisa convencer Alex e Kim que não se trata de uma fantasia – antes que o mal que espreita na escuridão os consuma.

 

Critica do ID

No Filme temos a abordagem, do Universo Psicológico Infantil, recheado de seres fantásticos, e criaturas do mundo metafisico. Esses traços definem muito bem o estilo de Guilhermo Del Toro, características já vistas em O Labirinto do Fauno, e A Espinha do Diabo que agora estão de volta em Não Tenha Medo do Escuro.
Del Toro transforma toda a realidade de uma fada do dente, que em seu ponto de vista, não são assim tão simpáticas e bondosas. Del Toro criou uma personalidade assustadora para essas criaturas, transformando-as em Malvados Diabretes comedores de dentes, que por sinal tem uma aparência muito bizarra.

A pequena Sally chega à cidade para morar com o pai Alex e sua nova namorada Kim num casarão do século XIX que eles compraram há pouco tempo. O que o casal não sabe é que o filho do antigo proprietário havia desaparecido no local, sequestrado por criaturas misteriosas que se alimentam de dentes de crianças e seu pai também acabou desaparecendo pouco depois. Com a chegada de Sally, as criaturas usam a antipatia da garota pela futura madrasta e a hostilidade do pai como uma forma de atraí-la para “brincar”, antes de revelar suas verdadeiras intenções.
No incio temos uma longa narrativa, algo que segue até Sally começar a interagir com os Malvados  Diabretes presos no porão na esperança de conseguir novos amigos, depois disso a tensão vai crescendo principalmente porque a garota liberta as criaturas e estas passam a circular livremente pela casa e podem estar escondidas em qualquer lugar que seja escuro, pois as mesma não suportam a luz.
A Pequena Bailee Madison rouba a cena, tendo a melhor atuação do elenco, diferente de Katie Holmes e Guy Pearce que demonstram um certo desentrosamento protagonizando cenas um pouco forçadas e um total estado de Piloto Automático. Nos quesitos técnicos o filme merece muitos aplausos, os feixes de luz em meio a escuridão possibilitam ao espectador observar rapidamente os Diabretes dando ao filme um clima de grande misterio e suspense.
Baseado no telefilme de 1973, o filme de 2011 se mostra muito fiel a obra original ganhando até um pouco mais de detalhes e credibilidade. É Claro que o filme poderia ter sido melhor, carecendo um pouco em detalhes mais macabro mas isso é coisa minima. 



 Sexta-Feira 13 

Titulo Original: Friday the 13th
Titulo no Brasil: Sexta-Feira 13
Direção: Sean S. Cunningham
Roteiro: Victor Miller, Ron Kurz
Gênero: Suspense/Terror
Pais de Origem: EUA
Duração: 95 Minutos
Ano: 1980

Elenco: Betsy Palmer (Pamela Voorhees), Adrienne King (Alice Hardy), Harry Crosby (Bill), Laurie Bertram (Brenda), Jeannine Taylor (Marcie Cunningham), Kevin Bacon (Jack Burrell) Mark Nelson (Ned Rubenstein), Robbi Morgan (Annie), Peter Brower (Steve Christy) Walt Gorney (Crazy Ralph).

Sinopse: Depois de muito tempo fechado, alguns monitores vêm passar uns dias no local que por muitos ficou conhecido como o "Acampamento Sangrento". Ignorando os avisos, eles preferem se divertir e passar o final de semana cantando e fazendo amor. Mas não esperavam que alguém fosse brincar de "Mate o Monitor". Assim, um por um eles vão morrendo sem que os outros descubram.

Critica do ID

O Filme  que eu ja mais esquecerei e provavelmente que assistir jamais esquecera, meu eu tinha 9 anos quando ganhei um estojo com dois filmes quando eu abri aquele estojo lah estava Sexta-Feira 13 e O Exorcista, ai eu me pergunto sera que minha mãe quis realmente me assustar? sei lah mas agradeço a minha mãe pelo melhor presente que ja ganhei.

Bom o filme traz boas doses de suspense, e muito mistério. A premissa do filme: Um grupo de jovens vão até um acampamento onde anos atraz teriam ocorrido assassinatos brutais, onde a maioria acreditava ser o espirito do menino Jason que teria morrido afogado no lago por negligencia dos monitores e agora retornava para vingar sua morte.

Vocês sabem como é né, um grupo de jovens sempre esta buscando novas aventuras, e também sempre levam consigo o lema "tudo que é perigoso é mais gostoso" ai depois de alguns começarem a sumir e mais tarde seus corpos aparecerem nossa o filme vira por parte das vitimas um grande desespero um teste de sobrevivência.

Tipo o filme foi sensacional em varios detalhes desde o cenário até as causas da morte de Jason.


Sexta-Feira 13 é dono de um ótimo suspense, porque no inicio vc não sabe quem realmente esta matando, claro vc deve pensar ser Jason Voorhees, mas ai pintam as surpresas quem realmente é a psicopata é sua mãe Pamela Voorhees buscando vingança contra os monitores, os acusando da negligencia na morte do filho.

Killer Mamy 
Tipo Sexta-Feira 13 é de 1980 não se tinha muitos filmes do gênero, alias só tinha um que era Halloween, ai então Sexta-Feira 13 chega para abalar as estruturas e colocar de vez um inicio na onda de filmes de Psicopatas.


Pessoal vale muito a pena ver o filme, compre alugue ou baixe pois se vc é fã do gênero tem que ter Sexta-Feira 13 na sua lista.
O sangue é real na verdade é de um carneiro

Curiosidades

A Principio Sexta-Feira 13 ia ser um filme único, mas como o sucesso foi grande resolveram continuar a filmar a trilha do assassino.

O verdadeiro nome do acampamento Crystal Lake é Noby Boscout, uma abreviação de North Burgon Boyscout.

Outra coisa interessante, é que para adicionar mais suspense, é a música que se tornou um ícone dos filmes de terror. O “chá chá chá” é na verdade uma fala da personagem de Betsy Palmer em uma cena de “Kill Her Mommy”. Somente foi feito uma repetição das iniciais de cada palavra “Ki, Ki, Ki”, “Ma, Ma, Ma”. Quem já assistiu ao filme, pode se lembrar bem dessa música incidental.

A cena final em que a mãe de Jason é decapitada foi bem trabalhosa, pois teve de ser feita uma cabeça de mentira, que foi segurada pelos ombros de Tom Savini.

Betsy Palmer (Pamela Voorhees), Adrienne King (Alice Hardy), Harry Crosby (Bill), Laurie Bertram (Brenda), Jeannine Taylor (Marcie Cunningham), Kevin Bacon (Jack Burrell) Mark Nelson (Ned Rubenstein), Robbi Morgan (Annie), Peter Brower (Steve Christy) Walt Gorney (Crazy Ralph).


Sinopse: Depois de muito tempo fechado, alguns monitores vêm passar uns dias no local que por muitos ficou conhecido como o "Acampamento Sangrento". Ignorando os avisos, eles preferem se divertir e passar o final de semana cantando e fazendo amor. Mas não esperavam que alguém fosse brincar de "Mate o Monitor". Assim, um por um eles vão morrendo sem que os outros descubram.

Critica do ID

O Filme  que eu ja mais esquecerei e provavelmente que assistir jamais esquecera, meu eu tinha 9 anos quando ganhei um estojo com dois filmes quando eu abri aquele estojo lah estava Sexta-Feira 13 e O Exorcista, ai eu me pergunto sera que minha mãe quis realmente me assustar? sei lah mas agradeço a minha mãe pelo melhor presente que já ganhei.

Bom o filme traz boas doses de suspense, e muito mistério. A premissa do filme: Um grupo de jovens vão até um acampamento onde anos atraz teriam ocorrido assassinatos brutais, onde a maioria acreditava ser o espirito do menino Jason que teria morrido afogado no lago por negligencia dos monitores e agora retornava para vingar sua morte.



 Anjos da Noite 4

Titulo Original: Underworld Awakening
Direção: Björn Stein e Måns Mårlind
País: Estados Unidos
Duração: 88 Minutos
Distribuidora: Sony Pictures
Estréia: 02 de Março de 2012
Tema: Vampiros/Ação

Elenco - Kate Beckinsale (Selene), Scott Speedman (Jacob), India Eisley (Eve), Sandrine Holt (Lida), Kris Holden Ried (Quint), Theo James (David), Ron Wear (Jack Fletcher), Charles Dance (Thomas), Michael Ealy (Detetive Sebastian), Sthephen Rea (Dr. Jacob Lane), Catlin Adams (Olivia), Jacob Blair (Oficial Kolb).

Sinopse - Em 'Anjos da Noite 4: O Despertar', a vampira Selene (Kate Beckinsale) acorda após ser mantida em estado de coma durante doze anos, e descobre que tem uma filha, chamada Eve. A garota é uma perigosa mistura das duas raças. Quando encontra sua filha, precisa defende-la de um grupo assassino de lobisomens modificados criados pela BioCom.

Critica do ID

Um dos filme mais esperados do ano. O Despertar chega para continuar a história do segundo filme, sendo que o terceiro havia voltado as origens de vampiros, e lycans. No Brasil o filme só chegara em 02 de Março as salas de cinema, e é claro que eu estarei la para ver o filme novamente,  só que em 3D.
Logo no inicio do filme temos uma breve introdução sobre os acontecimentos dos filmes anteriores, permitindo que o espectador melhor se situe no que ira acompanhar. Na quarta parte da saga, temos Selene acordando do coma em uma instalação de pesquisa onde era mantida como Cobaia. E também acaba por descobrir que tem uma filha Hibrida, chamada Eve.
O Que gosto em Anjos da Noite , é que seus efeitos especiais são muito bem produzidos, o que é diferente de Resident Evil 4 que nos traz um péssimo uso desses recursos. Em o Despertar as cenas de ação se tornam bem mais constantes, colocando uma dose extra de adrenalina em toda a trama.
Toda a Saga, nos traz a marca da heroína Selene como a vampira sensual, vestida em sua roupa preta colada e suas duas pistolas na mão estilo Lara Croft. Entendendo a grande jogada da gata sexy de olhos azuis, detonando lobisomens a torto e a direita. Selene ja se tornou um grande simbolo sexual, restando agora um ensaio para a Playboy.
Bom como o filme ainda nem lançou se eu contar demais não terá graça depois. Então vou deixar pra quem quiser ver um link com um documento de texto para que você acesse por conta propiá. Não quero ser condenado por Spoiler.

Curiosidades

A atriz Kate Beckinsale, que viveu a vampira Serena nos primeiros filmes da franquia 'Anjos da Noite', retorna. Beckinsale não esteve presente no terceiro filme.
John Hlavin, roteirista da série policial de TV The Shield, é responsável pelo roteiro. Björn Stein e Måns Mårlind ('Tempestade') dirigem.







 A Corrente do Mal 


Titulo Original: Chain Letter
Direção: Deon Taylor
País: Estados Unidos
Ano: 2010
Duração: 92 Minutos
Produtora: Deon Taylor Enterprises
Gênero: Suspense/Terror

Elenco - Nikki Reed (Jessie Campbell), Patrick St. Esprit ( Dean Jones), Michael J. Pagan (Michael Grant), Noah Segan (Dante), Brian Tee (Brian Yee), Michael Bailey Smith (Chain man), Matt Cohen (Johnny Jones), Cody Kasch (Neil Conners), Cherilyn Wilson (Rachael Conners), Bai Ling (Jai Pham), Betsy Russell (Sergeant Hamill), Brad Dourif (Mr. Smirker), Keith David (Det. Jim Crenshaw), Terrence Evans ( Mr. Bradford).
Sinopse - O mundo está repleto de correntes, um sistema irritante usado para propagar mensagens absurdas usado a superstição das pessoas. Mas e se a pessoa que começou uma dessas correntes fosse um serial killer pronto para matar qualquer um que tentar interferir em seu planos. Elos devem ser mantidos.

Critica do ID

Um Filme muito bem divulgado, feito para o publico adolescente. O Titulo original da trama é Chain Letter, porém em português se chama A Corrente do Mal, e pode confundir muita gente, pois em 2008 a Playarte lançou o filme The Daisy Chain que saiu no Brasil também com o nome A Corrente do Mal. Então tomem cuidado para não cometer tal erro na hora de alugar ou baixar.
O Roteiro do filme nos leva a perceber todo o perigo que se esconde por traz das novas tecnologias, desde um computador até ao mais moderno celular. Correntes são enviadas todos os dias e milhares de lendas urbanas são criadas em torno das mesmas, com a intenção de assustar ou até mesmo matar.
As criticas sobre esse filme na maioria são ruins, mas eu particularmente achei o filme bom e acredito que o publico mais Teen também vai curtir. O Tema podia ter sido melhor explorado e aprofundado, nos levando a um melhor entendimento de toda essa crise moderna que envolve a tecnologia, e os crimes que assolam a rede.
Com um roteiro precário a qualidade do filme depende muito de violência e tensão, e nesse ponto A Corrente do Mal vai muito bem. As Mortes são brutais e os efeitos são de primeira linha, não deixando espaço para criticas em relação a sua qualidade gráfica, e visual. O Elenco tem alguns nomes famosos como Nikki Reed, mas não chega a dar uma boa impressão.
Sobre o Assassino não sabemos nada, apenas que tem o rosto queimado e manda bem em computadores. Sua origem, e objetivos não são apresentados, estando ele ali apenas para matar. Algumas teorias são apresentadas, dizendo que as mortes tinham relação com uma seita Anti-tecnologia, mas nada pode se entender e interpretar vemos ali apenas um vazio sem explicação.
O Final do filme fica em aberto, o crime não é resolvido e o assassino nem ao menos é perturbado. As cenas iniciais são completadas, exibindo a morte de Jessie como fechamento. Então lembre-se nunca quebre a corrente, mantenha os elos intactos.






 Splice - A Nova Espécie 


Título Original: Splice
Diretor: Vicenzo Natali
Roteiro: Vincenzo Natali, Antoinette  Bryant
Estúdio: Copperheart Entertainment
País: França/Canadá
Ano: 2010
Duração: 104 Minutos
Tema: Ficção Científica
Elenco - Sarah Polley (Elsa Kast)Adrien Brody (Clive Nicoli), Delphine Chanéac (Dren), Brandon McGibbon (Gavin Nicoli), Simona Maicanescu (Joan Chorot), David Hewlett (William Barlow), Abigail Chu (Child Dren).

Sinopse - Clive Nicoli (Adrien Brody) e Elsa Kast (Sarah Polley) ficaram famosos no meio científico pelas suas experiências na combinação do DNA de vários animais, gerando criaturas bizarras. Eles são apaixonados, tanto pelo trabalho que fazem quanto um pelo outro. Agora eles querem dar um passo adiante e combinar o DNA de animais com o de seres humanos, só que seus financiadores vetam a idéia. Eles seguem adiante com a iniciativa, em segredo. O resultado desta experiência é Dren (Delphine Chanéac), um ser cujo ciclo de vida extremamente rápido faz com que atinja a fase adulta em questão de meses. Clive e Elsa tentam manter Dren em segredo, mas logo a ligação entre eles deixa de ser meramente científica para se tornar pessoal.

Crítica ID – Vanessão

Então. A turma caiu de pau nesse filme. Sou sincera em dizer que não achei tão ruim assim. Muitos disseram que o final é completamente fora da casinha, mas se analisarmos, a ciência muitas vezes toma rumos completamente diferentes do objetivo inicial. Sempre foi assim.

Mas vamos lá. Clive e Elsa são um casal de pesquisadores geneticistas. A grande atração deles é manipulação genética a fim de produzir criaturas híbridas das mais inusitadas. Algumas experiências dão certo, e em outras o tiro realmente sai pela culatra. É a vida......

Até que um dia..... eles conseguem gerar uma criatura com DNA de morcego, salamandra, ornitorrinco, boitatá e, claro, DNA humano. É esse bichinho de vestido alí no cartaz. Tá, só porque é uma abominação com cara de fuinha e se apóia nas pontas dos dedos, agora a guria não pode usar um vestidinho e um pouco de maquiagem. Tá....
Os geneticistas dão pulos de alegria quando vêem o sucesso do projeto. Mal sabem eles o que está por vir. A princípio, a sede de conhecimento científico nubla a visão de qualquer um diante de um fenômeno único de hibridização de material genético. Mas com o passar do tempo, e o tempo neste caso passa bem rápido, as coisas mudam completamente de figura.

Clive e Elsa não encaram mais Dren (deram até nome para a criação) como o resultado maravilhoso de uma experiência que deu certo. Ela passa a ser colega, depois amiga, depois uma quase-filha, até que chegamos a um ponto, em que a criatura começa a se interessar sexualmente pelos criadores. Primeiro pelo homem. Depois, pela mulher (devo acrescentar que bruscas mudanças ocorrem na anátomo-fisiologia de Dren). 
O resultado final de tudo isso, é a princípio, trágico. Mas, nada que os cientistas não possam utilizar para pesquisas futuras (nada se cria, tudo se explora). Dren se dá mal. Quanto aos humanos, podemos vislumbrar o que ocorre conosco quando mexemos com quem está quieto.
Pessoalmente, classifico Splice como uma obra mediana. Congratulo pela idéia original e enredo diferenciado. Mas coloco na mesma situação que Centopéia Humana: não chega ao ápice em praticamente nenhum sentido. Dá mesma forma que CH, talves Splice se saia melhor no prólogo.



Ciência Nua e Crua

Bom Pessoal fiquei devendo a vocês mais um capitulo de Refugio Maldito, que por um serio problema não pode ser publicado domingo. Amanhã Quinta-Feira terei o dia de folga e com toda certeza estarei publicando pra vocês.

A Postagem de hoje foge um pouco do terror e entra em uma nova área que quero começar a explorar e divulgar no blog. E Para isso preciso de sua ajuda e sua opinião. A Nova areá que pretendo explorar é a que também estou estudando - A Ciência.

Traremos a vocês diversos experimentos, e também muitas coisas sobre sobrevivência como por exemplo como transformar água salgada em água potável. Se você gostar da nova idéia se manifeste com um comentário, se você não gostar faça o mesmo.

O que trago a vocês nesse post é uma série que assisto desde os meus 13 anos, e que acho fantástica. A Série era exibida pela TV Escola (Não sei se ainda exibe), e se chama "Ciência Nua e Crua", onde um grupo de cientistas - Botânica, Químico, Engenheiro Físico, e uma Geóloga se reúnem em lugares isolados para tentar resolver soluções de uma forma primitiva e totalmente improvisada.

Episódio de Hoje - Limpeza
 

 Tabuleiro de Ouija

Usado na comunicação entre homem e espirito
Os dedos são colocados sobre o pequeno triangulo que se move e trás mensagens e respostas

No Brasil o tabuleiro ganhou formas virou jogo do copo, e tmb jogo do compasso  

História

O tabuleiro tem uma origem datada em 1848 apenas depois que duas jovens irmãs norte-americanas Kate e Margaret Fox, supostamente se comunicaram com o vendedor de uma loja que havia morrido um ano antes.




Mas os registros tmb indicam que em 1843 um espiritualista  M.Planchette teria aperfeiçoado e inventado o indicador de madeira

Muitos cientistas atribuíram o poder do tabuleiro ao efeito ideomotor. Segundo eles, as pessoas participantes da sessão involuntariamente exercem uma força imperceptível sobre o indicador utilizado, e a conjunção da força exercida por várias pessoas faz o objeto se mover

Além das tradicionais críticas dos céticos, o tabuleiro Ouija também é criticado entre os espiritualistas. O famoso Edgar Cayce declarou-os perigosos. Críticos avisam que maus espíritos poderiam enganar os participantes e possuí-los espiritualmente.

Vídeo


O tabuleiro em aparições famosas

Apareceu logo no início do livro 4 da série Diários do Vampiro , onde a personagem Bonnie, uma suposta médium, tenta se comunicar com a amiga Elena após sua morte.

No filme O Exorcista de 1973, Regan Macneil é possuída depois de utilizar um tabuleiro Ouija.

Na série Televisiva "Charmed", o aparecimento é constante. 

 Na serie Sobrenatural,Sam usa um tabuleiro Ouija para se comunicar com seu irmão,Dean quando este se encontrava em coma

No filme Atividade Paranormal de 2009, as personagens tentam contato com um suposto fantasma ou demônio utilizando este tabuleiro.

O Livro Tibetano dos Mortos 


O Livro Tibetano dos Mortos prevê que, após a morte, durante a passagem da alma para o plano astral, alguns problemas podem acabar surgindo, mas também afirma que eles podem ser resolvidos e até contornados por aquelas pessoas que estiverem informadas a respeito dos seus preciosos ensinamentos.
Este documentário produzido e apresentado pelo canal The History Channel apresenta como o reencarnacionismo no Budismo Tibetano é meticuloso. O Livro Tibetano dos Mortos é um documento de extrema importância que desafiou a passagem do tempo e busca oferecer uma resposta elaborada a um dos mais intrigantes questionamentos dos seres humanos: O que acontece após a morte?


O texto descreve as experiências da consciência humana após a morte, e busca servir como um guia para a jornada compreendida entre a morte e um novo nascimento.
Este intervalo é conhecido no Tibete como Bardo. O texto ainda inclui capítulos sobre os sinais da morte, além de rituais que devem ser realizados quando a morte se aproxima.
Em uma série de entrevistas com Lamas Tibetanos, especialistas em Religião e praticantes do Budismo, este documentário traz de volta à vida este poderoso e misterioso texto.
Através de gráficos de última geração produzidos por computador, este mundo exótico e misterioso é recriado, e podemos visualizar e seguir o caminho da alma desde a morte até o renascimento. No Tibete, a arte de morrer é tão importante quanto a arte de viver.
Assista abaixo ao documentário completo:
(dublado)