Blog

Blog

13 de set de 2013

Boa noite Brasil! Fique por dentro!



































 Artista brasileiro implanta partes de cachorro em seu corpo

O artista brasileiro Rodrigo Braga de 37 anos, chocou o mundo após o lançamento de galerias de imagens incrivelmente realistas que mostram sua transformação bizarra do homem em um cão.
Nas fotos, é possível ver o passo-a-passo da cirurgia plástica e do transplante do focinho, orelhas e outras partes do cachorro, além da cabeça humana. O resultado é mais do que um homem-cão, é repugnante.
As fotos fazem parte da série “Fantasia de compensação”, do artista, realizada em 2004.
 Para criar sua arte, foi usado silicone, cabeça humana e partes de um cão de um abrigo para animais abandonados, que, infelizmente, ninguém queria adotá-lo.
 Um grande número de empresas para a proteção dos animais condenaram a obra do artista brasileiro. Segundo o artista, o objetivo de seu projeto foi apresentar uma série de fotografias que retratam o conflito entre o homem, a natureza e os animais.



Mais provas de conspiração de 11 de setembro



Na noite de ontem, se estendendo pela madrugada de hoje, foi ao ar pela TV Bandeirantes, o programa Agora é Tarde, com Danilo Gentili. O apresentador entrevistou um dos ícones da ufologia brasileira e mundial, Ademar Gevaerd. ETs & ETc… traz até aos amigos esta entrevista. Peço aos amigos que tentem relevar um pouco o tom excessivamente humorístico de Gentili e concentrem-se mais nas informações passadas pelo ufólogo. É claro que trata-se de um programa de entrevistas, humorístico, mas que, na fala de Gevaerd, podemos extrair elementos notadamente sérios e carregados de comprometimento com a ufologia. Já do lado de Gentili, só podemos esperar humor a qualquer preço e até mesmo um certo ar de deboche em alguns momentos, mas é o que temos para o momento. 






Imagem mais profunda já feita do universo mostra que erramos a contagem das galáxias em, ao menos, 75 bilhões


Na astronomia, lidamos com objetos muito mais tênues do que a vista humana consegue captar, às vezes tão tênues que mesmo um olho artificial, como uma câmera fotográfica, tem que ficar aberto durante horas para registrar o objeto: é a chamada fotografia de longa exposição. O Telescópio Espacial Hubble é capaz de fazer fotografias de longa exposição, mas de um tipo que não poderia ser feito aqui na Terra. Para tanto, o telescópio seleciona uma pequena região do céu onde aparentemente não há nada, um trecho completamente escuro. Em seguida, seu sensor aponta para aquela região por 11 dias. O resultado final é incrível, e já gerou imagens belas, como as do Campo Ultra Profundo Hubble (HUDF).
Na imagem abaixo, cada ponto de luz é uma galáxia: são cerca de 10.000 somente naquele pequeno trecho do céu.