Blog

Blog

28 de set de 2013

Você ainda não viu tudo! - Fique sabendo!




 OVNIs e Dimensões Cósmicas


A série “UFOs And Cosmic Dimensions”, produzida em três episódios. Inclui uma fantástica coleção de entrevistas de cientistas e pesquisadores de todo o mundo, impressionante computação gráfica, fotos incríveis e vídeo de OVNIs em vôo.


OVNIs e Dimensões Cósmicas
Descrição:

Prepare-se para embarcar em uma viagem de flexão da mente, através dos mundos da ciência, espiritualidade, culturas alienígenas antigos e o futuro da nossa moderna era tecnológica. Ao longo desta jornada você vai visitar os locais sagrados.mais dramáticos, explorar os mundos maiores mistérios alienígenas, e vê o futuro da vida na Terra.

Em 1947, um piloto em Yakima, Washington viu nove “Pires-como” naves movendo-se a mais de 1200 mph em todo o céu do meio-dia. Sua história e muitas outros como esta cativou a imaginação do mundo, dando início à era moderna dos Disco Voador e o fenômeno OVNI que existe hoje.

Agora, com base em novas descobertas chocantes das maiores mentes científicas do mundo, esta série épica investigativa apresenta prova factual de OVNIs e influências alienígenas, hoje, que têm história e forma de evolução humana por milhares de anos. Incluindo relatos chocantes de testemunhas oculares, filme impressionante de OVNIs, as informações classificadas explosiva, declarações incríveis de grandes cientistas e especialistas internacionais e é o perfil mais completo de OVNIs já lançados para o público.

Em última análise, a sua percepção da realidade vai ser virada do avesso pelos fatos apresentados nesta série ganhadora de programas de premiação
.

Antes de assistir, ative a legenda para o português.

Parte 1:

UFO - Da Lenda à Realidade

Este episódio explora as origens da vida na Terra, desde o início da história registrada, revela a forma como vemos e define a realidade e como as influências extraterrestres continuam a moldar o desfecho da história humana.





Parte 2:
Acima do Top Secret

Este filme explora a história da nossa moderna era Tecnológica, os avanços da Ciência, a questão dos OVNIs, e como os nossos Governos do Mundo têm controlado o fluxo de informações para o público sobre a verdade sobre os OVNIs. Nikola Tesla, Energia Livre e Antigravidade também são investigadas.

Parte 3:

Contato: Uma Chance Para 

Humanidade

Este episódio explora as evidências de Contatos com Extraterrestres e os conhecimentos que eles trazem, bem como sua possível influência sobre o destino futuro da história humana.




Fonte dos vídeos: Huge1234, UFOTVstudios,

Para quem ainda tinha dúvidas (atualizado)





“O alvo do Ocidente é o Irão, não a Síria”, garante Robert Fisk  

 

Robert Fisk é um premiado
jornalista britânico,
que já cobriu várias guerras.

Antes que comece a mais estúpida de todas as guerras ocidentais da história do mundo – falo, é claro, do ataque contra a Síria que ainda tenhamos de engolir – talvez se deva dizer que os mísseis cruzeiro que tantos esperam com confiança que chovam sobre as mais ancestrais cidades que a humanidade ergueu, nada têm a ver, absolutamente nada, com a Síria.

Todos eles visam a ferir o Irão. 


Estão mirados contra a República Islâmica, agora que já tem novo e vibrante presidente – em tudo diferente de Mahmoud Ahmadinejad, o doido – e quando pode bem estar um pouco mais estável. O Irão é o inimigo de Israel. Irão, pois, naturalmente, é o inimigo dos EUA. Assim, fogo nos mísseis contra o único aliado árabe do Irã. Não se trata de defender o regime sírio. Nem me interessa absolvê-lo antecipadamente na questão das bombas de gás. Mas tenho idade suficiente para lembrar que, quando o Iraque – aliado dos EUA – usou gás contra os curdos de Hallabjah em 1988, nós não atacamos Bagdá. O ataque teria de esperar até 2003, quando Saddam já não tinha gás algum nem qualquer dessas armas que habitam nossos pesadelos. 

Também lembro muito bem que a CIA inventou, em 1988, que o Irã seria responsável pelos ataques químicos em Hallabjah, mentira completa, focada no inimigo dos EUA contra o qual, então, Saddam lutava em nosso nome. E milhares – não centenas – morreram em Hallabjah. Mas, sabem como é. Mudam os tempos, mudam os critérios. 

E acho que vale a pena lembrar que quando Israel matou mais de 17 mil homens, mulheres e crianças no Líbano em 1982, numa invasão supostamente provocada por uma tentativa de assassinato contra o embaixador israelense em Londres (supostamente levada a cabo por membros da OLP, mas quem organizou a matança foi o parceiro de Saddan, Abu Nidal, não a OLP, mas não importa), os EUA limitaram-se a pedir que os dois lados praticassem a “moderação”. E pouco antes daquela invasão, Hafez al-Assad – pai de Bashar – mandara seu irmão a Hama para varrer de lá milhares de rebeldes da Fraternidade Muçulmana, e ninguém achou ruim. Meu velho conhecido Tom Friedman falou, cinicamente, de “Leis de Hama”.

Seja como for, há hoje uma Fraternidade diferente – e Obama não conseguiu nem gritar “buuuuu”, quando o Irmão presidente eleito foi derrubado.
Ei, esperem! Mas o Iraque – quando era “nosso” aliado contra o Irão – também não usou gás contra o exército iraniano? Usou. Vi os feridos nesse ataque ensandecido, comandado por Saddam – e oficiais dos EUA, sim senhor, andaram depois pelo campo de batalha e informaram Washington –, e nós não dissemos sequer um palavrão contra aquilo. Milhares de soldados iranianos na guerra 1980-88 morreram envenenados por essa arma vil.
Viajei de volta a Teerão, à noite, num trem que transportava militares feridos e senti o cheiro, e abríamos as janelas dos corredores do trem, para nos livrar do fedor do gás. Aqueles jovens tinham feridas sobre feridas – literalmente. Sobre as feridas cresciam bolhas ainda mais dolorosas. Quase indescritível. E quando aqueles soldados chegaram a hospitais ocidentais para tratamento, os jornais chamavam aqueles feridos – apesar das provas muito mais convincentes que as que talvez se obtenham nos arredores de Damasco – de “supostamente atingidos por gás”.

Assim sendo, o que estamos fazendo, santo deus? Depois que milhares incontáveis morreram na horrenda tragédia síria, de repente – de fato, depois de meses, de anos de prevaricação –, começamos a nos perturbar por causa de umas poucas centenas de mortos. Terrível. Inconcebível. Indecente. Sim, é verdade. Mas já deveríamos estar traumatizados, horrorizados e em acção contra essa guerra desde 2011. E durante 2012. Porquê agora?
Acho que sei porquê. Acho que o impiedoso exército de Bashar al-Assad está afinal derrotando os ‘rebeldes’ que nós secretamente armamos. Com a ajuda do Hizbollah libanês – aliado do Irão no Líbano –, Damasco quebrou os ‘rebeldes’ em Qusayr e pode já estar perto de quebrá-los no norte de Homs. O Irão está cada vez mais profundamente envolvido na protecção ao governo sírio. Assim, a vitória de Bashar é a vitória do Irão. E o ocidente não admite vitórias iranianas.
E já que falamos de guerra, o que aconteceu àquelas magníficas negociações palestino-israelenses de que John Kerry tanto falava? Enquanto manifestamos nossa angústia pelos terríveis ataques a gás na Síria, a terra palestina continua a ser roubada. A política likudista de Israel – negociar a paz, enquanto ganha tempo até conseguir roubar toda a terra dos palestinianos – prossegue a passos rápidos, e esse é o pesadelo do rei Abdullah da Jordânia (pesadelo pior que as “armas de destruição em massa que inventamos em 2003), que só cresce: que toda a “Palestina” logo estará na Jordânia, não mais na Palestina.
Mas, a dar-se crédito aos absurdos que vêm de Washington, Londres e Paris e do resto do mundo “civilizado”, é só questão de tempo, e nossa espada vingadora degolará os damascenos.
Ver lideranças do resto do mundo árabe a aplaudir essa destruição é talvez a mais dolorosa experiência histórica pela qual a região jamais passou. E a mais vergonhosa. Exceto pelo fato de que estaremos atacando muçulmanos xiitas e seus aliados, sob aplausos de muçulmanos sauditas. Disso se faz a guerra civil.

fonte do artigo: Com Texto Livre


«O sionismo irá sem dúvida desencadear uma guerra religiosa hedionda na Palestina e teremos mais desse progresso onde os tratados têm mais valor que o gênero humano. O observatório romano (Vaticano), aponta entre os judeus imigrantes, um grupo de fanáticos que planeia destruir relíquias cristãs. Isso não é tudo. O sionismo trouxe a guerra social. Os judeus vindos da Rússia, Polónia e Romênia, estão a exigir a partilha das terras e a expulsão dos nativos. O sr. Nathan Strauss, um multimilionário americano, grosseiramente disse: "Os islâmicos procurarão outras regiões para viver. Que forma admirável de reunião no Médio Oriente e além: Todo o Islão contra o Ocidente.»

Madre Teresa de Calcutá, o Anjo Negro


“Madre Teresa desviava dinheiro de Hospitais para o Vaticano”


"Casas para doentes"
da missionária eram
chamadas por
médicos de "necrotério
s"
Madre Teresa de Calcutá (1910-1997), na ilustração ao lado, recebeu de doadores centenas de milhões de dólares para seus hospitais — aos quais ela chamava  “casas para doentes” —, mas o grosso (ou parte significativa) desse dinheiro  mandou para o Vaticano, deixando os doentes em estado precário, sem remédios e cuidados.
Os médicos classificaram esses locais de “casas da morte” ou “necrotérios”. No âmbito da OMS (Organização Mundial da Saúde) houve denúncias de que as “casas” eram locais de epidemias. Uma ex-voluntária escreveu que faltava até AAS para amenizar a dor dos doentes.


Essas são algumas das revelações do estudo “O Lado Escuro de Madre Teresa” feito por Serge Larivee, Carole Senechal e Geneviève Chenard, da Universidade de Montreal, Canadá.
Em 1979, ela foi premiada com o Nobel da Paz e em 2003 beatificada pela Igreja Católica. A missionária já se tinha tornado um símbolo da caridade cristã.

Mas os pesquisadores canadianos, após examinar mais de 500 documentos, constataram que o alegado altruísmo e generosidade de Madre Teresa não passavam de fantasia vendida como verdade pela imprensa internacional.
A rigor, ela foi “inventada” pelo jornalista Malcolm Muggeridge, da BBC, que lhe dedicou em 1969 o documentário “Algo bonito para Deus”, apresentando ao mundo a figura frágil de uma missionária que se dedicava aos pobres e doentes da Índia. Em 1971, o jornalista publicou um livro com o mesmo título.


A missionária abriu centenas de “casas de doentes” em vários países, mas não as tornava em hospitais de facto, a ponto de os doentes serem mantidos em agonia em esteiras no chão. Fotos na imprensa desses doentes ajudaram Teresa a arrecadar milhões, inclusive de ditadores sanguinários, como François Duvalier, o Papa Doc do Haiti.


Para Larivee, Madre Teresa colocou em prática a sua convicção de que o sofrimento humano é fundamental para a salvação. Ela acreditava que os sofredores estavam mais perto do céu e de Cristo.
O jornalista britânico radicado nos Estados Unidos Christopher Hitchens (1949- 2011) já tinha denunciado o embuste que era Teresa ao publicar em 1995 o livro “A Intocável Madre Teresa de Calcutá”.
Diz um trecho do livro: “Tenho em mente que a receita global da Madre Teresa é mais do que suficiente para equipar várias clínicas de primeira classe em Bengala. A decisão de não fazê-lo [...] é deliberada. A questão não é o alívio do sofrimento honesto, mas a promulgação de um culto baseado na morte e sofrimento e subjugação."


Na época, Hitchens foi ”crucificado” pelos católicos por ter criticado a boa e santa velhinha.
Um facto pouco conhecido é que a missionária acobertou um padre pedófilo, o ex-jesuíta Donald McGuire.
Em 1993, o sacerdote, que era amigo de Teresa, estava afastado das suas actividades por abusar de um garoto. A missionária usou sua influência para que McGuire voltasse à ativa.
Nos anos seguintes, oito outras queixas de pedofilia foram apresentadas por fiéis à Igreja e às autoridades. E McGuire acabou condenado a 25 anos de prisão.
Documentário "Hell's Angel - Mother Teresa of Calcutta" ("Anjo do Inferno - Madre Teresa de Calcutá") do jornalista Christopher Hitchens, baseado em seu livro "The Missionary Position".

O que está por trás da Nova Ordem Mundial?

Winston Churchill dizia da União Soviética que era 
“um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma”. A eleição de Barack Hussein Obama e os desenvolvimentos da política globalista são um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. Para o cidadão com alguma estatura intelectual, e mesmo para os políticos de países mais pequenos como Portugal e países do terceiro-mundo, o que se está a passar nos areópagos internacionais é um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. O que é Nova Ordem Mundial?
Ainda recentemente , Henry Kissinger dizia publicamente que a China é o exemplo a seguir em termos de política global, apesar dos chineses recusarem a redução das emissões de CO2 porque não são burrinhos de todo e sabem da política de propaganda escatológica (fim dos tempos, apocalipse) do poder globalista.
A forma encontrada pelos mais poderosos do mundo é a síntese entre o fascismo e o neo-marxismo. Podemos chamar a esse novo sistema político de “marxismo-fascista” ou Nova Ordem Mundial.

Através do “marxismo-fascista”, os poderosos comprometem-se a dar o poder político totalitário ou para-totalitário, em troca de um sistema similar ao chinês: um país totalitário neo-marxista aberto às   multinacionais. Ademais, os poderosos exigem dos políticos locais, a obediência incondicional à ONU, que será reforçadamente controlada pelos Bilderbergers, e que terá poderes acrescidos em algumas áreas cruciais como a Educação, Cultura e políticas de Reprodução.

Outra das condições impostas aos políticos (vendilhões) locais é a progressiva extinção da classe média em todo o Mundo: passará a existir uma pequena e rica elite nacional ligada ao poder totalitário, e uma classe operária  A China é o paradigma de Bilderberg.

O fascismo é um sistema político através do qual as corporações controlam o Estado, enquanto que
no marxismo, o Estado controla as corporações. 
inston Churchill dizia da União Soviética que era “um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma”. A eleição de Barack Hussein Obama e os desenvolvimentos da política globalista são um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. Para o cidadão com alguma estatura intelectual, e mesmo para os políticos de países mais pequenos como Portugal e países do terceiro-mundo, o que se está a passar nos areópagos internacionais é um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. O que é Nova Ordem Mundial?

Ainda recentemente , Henry Kissinger dizia publicamente que a China é o exemplo a seguir em termos de política global, apesar dos chineses recusarem a redução das emissões de CO2 porque não são burrinhos de todo e sabem da política de propaganda escatológica (fim dos tempos, apocalipse) do poder globalista.
A forma encontrada pelos mais poderosos do mundo é a síntese entre o fascismo e o neo-marxismo. Podemos chamar a esse novo sistema político de “marxismo-fascista” ou Nova Ordem Mundial.

Através do “marxismo-fascista”, os poderosos comprometem-se a dar o poder político totalitário ou para-totalitário, em troca de um sistema similar ao chinês: um país totalitário neo-marxista aberto às   multinacionais. Ademais, os poderosos exigem dos políticos locais, a obediência incondicional à ONU, que será reforçadamente controlada pelos Bilderbergers, e que terá poderes acrescidos em algumas áreas cruciais como a Educação, Cultura e políticas de Reprodução.

Outra das condições impostas aos políticos (vendilhões) locais é a progressiva extinção da classe média em todo o Mundo: passará a existir uma pequena e rica elite nacional ligada ao poder totalitário, e uma classe operária  A China é o paradigma de Bilderberg.
O fascismo é um sistema político através do qual as corporações controlam o Estado, enquanto que
no marxismo, o Estado controla as corporações. 


Podemos facilmente imaginar um fascismo global em que as grandes corporações multinacionais com sede em paraísos fiscais controlam os Estados, e em troca, os poderosos da finança internacional permitem a existência de países —  ou "federações" como a União Europeia e outros que se formarão — onde uma elite dirigindo o Estado controle as corporações.
Podemos facilmente imaginar um fascismo global em que as grandes corporações multinacionais com sede em paraísos fiscais controlam os Estados, e em troca, os poderosos da finança internacional permitem a existência de países —  ou "federações" como a União Europeia e outros que se formarão — onde uma elite dirigindo o Estado controle as corporações.

Portanto, a Nova Ordem Mundial é basicamente uma mistura original entre neo-marxismo aplicado a nível nacional e de um neo- fascismo global. Pretende-se um mundo neo-fascista a nível macro-económico global, e totalitário neo-marxista a nível da micro-economia de cada país. Já se perguntaram para que é que vão votar? É que o lema continua a ser dividir para reinar.
Este é o plano de Bilderberg, Trilateral, Maçonaria e comandita.


celulas desconhecidas

Chuva vermelha como sangue trouxe células misteriosas ao Sri Lanka


No ano passado uma bola de fogo cruzou o céu do Sri Lanka e dias depois ocorreu uma chuva vermelha e muito misteriosa. Durante a busca por uma explicação racional, os investigadores encontraram evidências de células estranhas e vivas sem comparação terrena, ou seja possivelmente células extraterrestres. O vídeo impressiona, se alguém puder traduzir, ou até mesmo legendar o vídeo, seria muito interessante para compartilharmos com os amigos do blog.