Blog

Blog

2 de set de 2013

Radarnet - Você ainda não viu tudo!







Padre católico é degolado por radicais islâmicos na Síria (Atenção! Imagem forte no VÍDEO)

O blog , como a maioria dos que acessam aqui, tem uma temática eclética. Nossa proposta é a divulgação de conteúdo cristão e informações em geral, respeitando o público que sempre nos prestigia com um aumento cada vez maior na acessibilidade do blog. Prezamos pelas postagens, sempre citando as fontes e, na medida do possível, investigando as mesmas, procurando cruzar informações, pois sabemos que é muito fácil falsificar informações na Internet, o meio de acesso à informação mais democrático que há – é verdade -, mas, ao mesmo tempo, mais suscetível às fraudes na informação. Contudo, de uma coisa TEMOS CERTEZA: a crescente e cada vez mais cruel perseguição aos cristãos no mundo, e, especificamente na Asia, tem sido alarmante. Os meios de comunicação de massa do Ocidente NADA registram para o grande público que, por sua vez, torna-se um tanto quanto cético em relação à perseguição religiosa contra os cristãos no mundo. Por muitas vezes essa perseguição se dar em áreas de conflito, em países fechados à cultura ocidental (como é o caso dos últimos bastiões do comunismo no mundo, como a Coreia do Norte e a China ou ditaduras islâmicas, como a Arábia Saudita), não é de admirar que vejamos tantas pessoas que desconheçam a realidade do que chamamos de “Igreja perseguida” no mundo. Cristãos tradicionais em áreas de conflito e eferverscência política atual, como Iraque, Síria e Egito são particularmente perigosos.

Nestes lugares, o fervor islâmico associa-se aos governos que, por sua vez, são covardes e coniventes com os grupos terroristas que promovem o terror, o aliciamento ideológico que leva ao fanatismo e à crueldade extrema. Este é o caso do vídeo, na reportagem abaixo, de execuções recentes que aconteceram na Síria, numa demonstração dos rebeldes sírios de que, tanto eles quanto o governo sírio (que é pró-Irã) rejeitam a presença cristã no país, inclusive de seus próprios conterrâneos, o que os fazem participar de cenas grotescas (como a do vídeo abaixo), num claro sinal de que professar o cristianismo em lugares assim é sinônimo de risco de vida constante e, às vezes, a morte. Sugerimos discrição por parte do internauta e aconselhamos a que você não veja o vídeo se for sensível a cenas fortes. Nosso único intuito de republicar um vídeo como esse, aqui, é de mostrar AO PÚBLICO OCIDENTAL que os direitos fundamentais do homem, como as liberdades de consciência, religiosa e de expressão são sistematicamente vituperadas em grande parte do mundo, mais especificamente na Ásia. Como a perseguição ao cristianismo em lugares assim é cruel, desumana e demente. 

Homens, em nome de uma fé estranha, perpetram os mais crueis atos contra seus semelhantes e o fazem em nome de uma fé que, muitas vezes, nem eles mesmos entendem bem.




Cenas como a que você acaba de ver, prezado internauta, só servem para nos fazer perceber que é fácil você criticar o governo, o sistema, a religião, em países em que isso é possível e até assegurado a qualquer cidadão. Muitos de nós jamais sonhamos com a perda de nossas liberdades individuais… mas, é para isso que estamos seguindo, primeiro com a perseguição imoral, crescente e irrestrita aos cristãos, de um modo geral. Se não vemos a “foice” no Ocidente (como se vê no Oriente), vê-se, atualmente, uma guilhotina ideológica, que “cortará a cabeça” de todo aquele que se puser contra o stablishment político-midiático, cujas pretensões globais incluem, sem sombra de dúvida, a aniquilação do legado judaico-cristão e a implementação de um superestado burocrático, “onipresente”, ditatorial e que terá como uma de suas maiores “ferramentas”, sem sombra alguma de dúvida, a religião islâmica… pois esta uniformiza, escraviza sob a égide da liberdade, prevarica contra os direitos universais do homem e posa, pelo lobby pró-islâ que vem se instaurando há décadas bem debaixo de nossos narizes., como uma “religião cultural de paz”. Islamismo não é “cultura”, embora possa apossar-se de qualquer cultura. O islamismo é radical na essência, pois é com radicalismo que as palavras do Corão foram organizadas e ensinadas, séculos a fio. O Corão manda, sim, converter ou matar os “infiéis” (principalmente judeus e cristãos) e, na minha percepção, começou a partir deste ponto a verdadeira disputa secular que existe no Oriente Médio: o cristianismo, contudo, estava fadado a ser praticamente erradicado em alguns países.
Mas, em todos eles, Deus sempre permite que permaneçam seus remanescentes, homens e mulheres fieis, que testemunham da sua fé a despeito de sua própria segurança. Esta é a “Igreja perseguida” sobre a qual falamos. São mártires anônimos, mas que, como toda criatura de Deus neste planeta, não viveram ou morreram em vão. Um sacerdote católico foi decapitado por rebeldes sírios em um mosteiro no norte do país, confirmou o Vaticano nesta terça-feira. O padreFrançois Murad, de 49 anos, foi morto em 23 de junho durante um ataque de militantes das guerrilhas rebeldes ao convento onde ele havia se refugiado. A agência de notícias do Vaticano informou que as circunstâncias do ataque não estavam claras. Fontes locais disseram que os combatentes tinham ligação com o grupo jihadista Frente al-Nusra. Uma sequência de vídeos que mostra a cabeça do religioso junto com outras duas pessoas não identificadas foi publicada por sites católicos. O padre havia se mudado para o convento na área de Gassabieh por razões de segurança, segundo o Vaticano. O clérigo era um membro da ordem franciscana, responsável pela custódia de locais cristãos no Oriente Médio. O padre Pierbattista Pizzaballa, líder franciscano na região, afirmou que a Síria se tornou um campo de batalha, não só entre os sírios, mas também entre os países árabes e a comunidade internacional. “Oramos para que essa guerra absurda e vergonhosa termine em breve, e os sírios possam retornar às suas vidas normais”. Correspondentes dizem que minorias étnicas e religiosas no país estão sendo afetadas pelo conflito na medida em que a luta se intensifica e assume uma natureza mais sectária. Em abril, um grupo de pessoas armadas no norte da Síria sequestrou dois bispos cristãos ortodoxos.

Fonte: Portal Padom

 A "Morte" do Ego: Compreendendo o SER


Quem vive pelo ego poderá ter seu nome imortalizado, mas apenas quem vive pelo espírito será de fato imortal. Não está na lógica a percepção de uma possível emancipação do pequeno eu. Emancipar-se é harmonizar-se. Eis então o flagelo do pseudoconsciente, acreditar que é superior ao ego, que é superior a uma parte de si mesmo, perpetuando sua fragmentação.

Sendo o pequeno eu uma extensão do Eu Profundo, nele está abrigada a própria manifestação do não-manifestado. Logo, sendo um canal para a expressão do divino, estar superior ao ego é estar, em termos diretos, não mais vivo. Vê-se então a impossibilidade de matar o ego, pois sendo a própria tradução do não linear, sua inexistência anularia completamente a vida.
Veja que me refiro à mente como um todo, não aos seus condicionamentos.

Eis então a nossa proposta para que haja uma trindade harmônica na vida de cada ser humano: O Eu Profundo, o mundo e o pequeno eu.

Quando há somente o primeiro(a existencia em si), não pode haver vida física, a linguagem é incompatível, por isso necessita de um ponto de referência. Quando esse ponto é neutro, dizemos que não existe intermediário, apenas tradutor.

Logo, a existência da mente é necessária; seu descontrole é que não. Quando descontrolada, torna-se intermediária, torna-se uma voz ativa que teima em distorcer a tradução.

O ego não existe por si só. Se você meditar profundamente sobre um determinado ego("eu"), vai perceber que ele se desvanece como uma nuvem. Ele não possui essência, não tem nada de concreto, é apenas uma associação de pensamentos que adquire uma personalidade própria. É como um fluir de pensamentos e emoções que se enredam e assumem a ilusão de ser alguma coisa real. Todos os egos são apenas associações de pensamento, assumem uma personalidade e quando estão no comando temos tanta certeza de sua existência que pensamos: este sou eu, eu sou assim, eu quero isso, eu não quero aquilo, é minha opinião. Porém, nada mais falso, são apenas pensamentos agrupados e associados que assumem vida própria e por alguns momentos acabam por assumir o comando.

O mundo, segundo elemento, não precisa de porta-voz para comunicar-se com o espírito, precisa apenas de um tradutor que mantenha a verdade incorruptível. Não é para haver tradução livre, é para haver tradução literal, pois o mundo é literal, é concreto e é por isso que o espírito quer conhecê-lo, pois o Eu Profundo não é literal, mas abstrato, fugindo de qualquer padrão identificado pela mente.

Deste modo, quem insiste em querer dissipar o ego está vivendo uma fantasia. Sendo o ego uma característica da mente, tudo o que for do pensamento parte inevitavelmente do mesmo princípio: o pequeno eu. Portanto, a ação em si já uma característica “corrompida” pela mente, impedindo que haja a separação, tão aclamada pelo pseudoconsciente, entre seu Eu Profundo e o ego. Matá-lo então é um pensamento tolo.

O ego não pode ser morto, pois não existe, é a ilusão de identificação com algum conceito que você criou de si mesmo(personalidade, corpo, status, etc.). Quando você diz que vai matar o ego, é o próprio falando. Quando você diz que se tornará superior ao ego, é o próprio falando. Quando você diz que vai lutar contra ele, é o próprio falando. Qualquer mentalização provém do ego. O que está além é a vontade pura, sem pontes para a expressão. É algo que não se descreve, não se fomenta e não se põe em movimento linear.

Portanto, matar o ego é impossível, ele sempre existirá, a não ser num estado da não-forma, no estado da divindade em si, do espírito, do total abstrato e subjetivo. Enquanto houver antropomorfização do espírito, a mente persistirá.

O que se deve fazer é harmonizar a mente, o mundo e o Ser. Esta trindade deve novamente ficar em equilíbrio, assim como ocorria na tenra infância em que o intelecto não estava presente, ou seja o intermediário, mas tão-somente o tradutor. A maturidade espiritual consiste em trazer de volta o tradutor, porém agora preenchido de consciência de si e de seu papel na evolução da matéria e na experiência do Eu Profundo.

Pois aquele que mesclar a inocência de uma criança com a consciência de um adulto estará enfim liberto das amarras do mundo. Terá finalmente sublimado Maya.



Compreenda algo de extrema importância: inteligência não tem nada a ver com conhecimento. Adquirir conhecimento é tornar-se instruído, mas não necessariamente inteligente. E veja que aqui eu nem me refiro à sabedoria, esse é outro nível. Instrução e inteligência são aspectos totalmente diferentes do entendimento humano.

Acumular conhecimento desvairado é um atributo de quem não conhece a si mesmo. Mais que isso, é um atributo de quem acha que sabe quem é. Não se trata de compreensão, trata-se de interpretação de informações concretas, uma vez que a raiz de qualquer conhecimento adquirível por vias materiais é constituída de objetivismos.

E não importa que haja pretensas abstrações em determinadas ideias filosóficas; em havendo a transcrição, haverá também uma perda quase integral do atributo original. Logo, qualquer conhecimento que possa ser aprendido pela mente concreta é contraído e limitado, pois assim é o pensamento.

Então, a principal diferença entre alguém instruído e alguém inteligente é que o primeiro, para saber o que sabe, procura ler 10 mil livros, mas o segundo aprendeu a buscar o conhecimento diretamente da fonte; por isso, mantendo-se em constante evolução, poderá tornar-se um sábio algum dia.

Não me refiro ao conhecimento apenas intelectual, vou muito além do intelecto. Falo da concepção universal do que é ter verdadeiro conhecimento, verdadeira inteligência e verdadeira sabedoria. Refiro-me ao saber baseado no autoconhecer e no autovivenciar que, para o mesmo efeito, leva cedo ou tarde ao conhecimento exterior que mais se aproxima daquilo que constituímos como verdade. Aqui, a sabedoria então pode ascender.

Mas isso só poderá vir quando o indivíduo perceber que o conhecimento não está em sua mente. Esse é o grande truque. Enquanto o intelectual busca ler tudo o que puder, o sábio acessa tudo aquilo de que ele precisa diretamente dos registros coletivos da consciência humana. E isso só pode se dar quando há espaço suficiente para a manifestação da intuição, do sopro do Eu Profundo.

Aquele em busca da sabedoria compreende que todo o conhecimento adquirido em vida se perde no momento da morte. Todos os diplomas, cursos, reconhecimentos, prêmios, conquistas, tudo isso se torna apenas uma partícula singular. Compreender isso é libertador, pois se entende que a busca exacerbada por conhecimento é desperdício de energia.

O conhecimento não está na mente, e isso é algo que pode chocá-lo. E eu lhe proponho apenas uma pequena meditação a respeito, pois sei que isso fará todo o sentido para você. A mente é apenas um referencial, um guia. O pensamento não nasce na mente física, assim como tudo o que aprendemos não fica nela armazenado.

Philosophy and the Matrix: 

Return to the Source

Você, como divindade, sabe tudo. Mas você, como pequeno eu, não tem consciência disso.

Logo, como pequeno eu, você tenta compensar esse esquecimento lendo e estudando desesperadamente para aprender tudo o quanto for possível, quando o mais sábio e eficaz seria tornar-se consciente e reconectar-se com seu lado divino que tudo sabe, tudo vê e tudo entende.

E é justamente por não compreender isso que você, ainda achando que é o pequeno eu, sofre, pois não compreende as coisas, se enraivece, pois não sabe como lidar com as pessoas e se magoa, pois não consegue entender a si mesmo. Seu estado de inconsciência produz uma avalanche de mentalizações em forma de flagelos.

Então, o grande lance é você deixar de lado essa ânsia por compreender tudo. Isso só leva a muita confusão pelo excesso de informações. Torne-se, ao invés disso, mais e mais consciente de si mesmo e do seu entorno.

Aos poucos, você estará derrubando barreiras que impedem que a intuição aflore. Pois quando ela soprar em seu pescoço, um novo universo estará ao seu alcance. Você saberá coisas que jamais pensou em conhecer; verá abstrações tão nítidas como uma xícara de café; começará a entender as mais complexas questões formuladas até então por sua mente.

Buda - A Superação do Ego




 J. Krishnamurti - Liberte-se do "Eu"


Reflexões acerca do Ego





Implante de prótese peniana inflável


       Rapaz, essa ciência é foda. É certo que, ainda, pouca gente conhece esse tipo de prótese que já está sendo feita no Brasil. Visa resolver os problemas de quem sofre com disfunção erétil.
Abaixo, um vídeo, bastante didático (diga-se de passagem), que mostra em todos os passos como é colocado a prótese, dicas e truques (sim, isso mesmo, huahuaha). Com narração e tudo mais. Claro, que aquele penis, testiculos e muito sangue pode ser bastante agoniante, rs. Eu já conhecia, mas postei pela dica da leitora Pryscilla Janoário. Saca só:

 Ah, Medicina… Como és bela e bizarra 

     
A Fifth Gear tem uma reputação para a realização de testes de colisão com veículos. Desta vez, eles foram amis rápidos do que nunca! Um Ford Focus foi direcionado à um bloco de concreto a uma velocidade de 120 mph, que convertido para km/h, temos 190. O teste é espetacularmente bem filmado, imperdível. Assista abaixo:


Imagine você dentro desse veículo. Acha que sairia vivo? Então pense bem ao trafegar em altas velocidades.

Fritando frango com as mãos!

Era mais um dia comum de trabalho do tailandês Kann Trichan. Há sete anos, ele fritava frangos enquanto um esquilo comia uma manga acima dele. O pequeno animal derrubou a grande fruta dentro do óleo fervente e o líquido quente se espalhou por todo o corpo de Kann Trichan.
Para muitos isso seria uma tragédia, mas não para ele. Quando se preparava para ir ao hospital, no dia seguinte, percebeu que não tinha nenhuma queimadura, a vermelhidão já tinha passado e sua pele estava praticamente intacta. Para a surpresa dos outros vendedores ambulantes, lá estava Trichan, de volta a labuta no dia seguinte.

Agora o vendedor é chamado de Kann “Supermãos” Trichan. Isso porque ele resolveu usar a curiosa habilidade de colocar as mãos sem nenhuma proteção dentro de óleo fervente sem se queimar. E o líquido é quente mesmo: tem aproximadamente 480 graus Celsius.

A incrível habilidade, além de ter atraído muitos clientes novos, tem dado fama internacional a Trichan. Pessoas do mundo todo que visitam a Tailândia e que passam pela cidade de Chiang Mai têm o desejo de conhecer os frangos fritos pelo homem da mão de aço.

O “Supermãos” não tem ideia do motivo pelo qual desenvolveu a habilidade, apenas agradece, pois graças a ela seus negócios vão cada vez melhor. O dom não é explicado nem pelos cientistas, por enquanto.
Trichan entrou no livro dos recordes, o Guinness, após pegar 20 peças de frango dentro de óleo aquecido em apenas um minuto.
(Será que alguém vai se aventurar a bater essa marca?)

Neopaganismo e cultura pop 



Cartaz de uma palestra recente do Pr. Mark Driscoll sobre paganismo e a cultura pop.
Na história recente, temos visto um enorme aumento do espiritualismo que, em muitos aspectos, constitui-se no renascimento de práticas ocultistas e esotéricas do passado do Homem. Tais práticas têm inundado a chamada cultura pop dos séculos XX e XXI, trazendo consigo uma enxurrada de novas e antigas formas de manifestações espiritualistas, todas, porém, com um sinistro elo que as une: uma filosofia religiosa que é intrinsecamente oposto aos valores do  Cristianismo. Nas décadas de 80 e 90 do século passado, muitos estudiosos dedicaram-se a denunciar os principais ícones da cultura pop, da contra-cultura, na literatura, cinema e na música que, desde as décadas de 50 e 60 ganhavam espaço no meio midiático internacional num movimento que ganhou o nome de Nova Era, isto porque, segundo astrólogos e ocultistas, o mundo estava prestes a passar uma “transformação de consciência universal, ao sair da Era de Peixes - marcada pelo Cristianismo e que durava há pouco mais de 2.000 anos -, para uma nova era, chamada Era de Aquário, a qual seria marcada pelo abandono das práticas cristãs e pelo ressurgimento de religiões pagãs e neopgãs”. Este período pelo qual estamos passando é, precisamente, o momento de transição, segundo estes ocultistas, entre as Eras de Peixes e de Aquário, e é por isso que tem-se visto o ressurgimento do paganismo, chamado neopaganismo, com uma tremenda influência na cultura pop de um modo geral.
Para se ter uma ideia, vejamos um dos principais musicais da Broadway, “Hair”, que inclusive virou filme. Este musical é de 1967, o período áureo da chamada contra-cultura norte-americana e europeia. A profanação de valores embutida no musical, sua descrição do uso de drogas ilegais, tratamento da sexualidade, irreverência pela bandeira nacional e cenas de nu explícito, causaram enorme controvérsia. Ele trouxe o mundo dos musicais a novos parâmetros, criando o “rock-musical”, usando a integração racial para compor o elenco e convidando a platéia a interagir com o espetáculo, subindo ao palco na cena final. Hair conta a história da “Tribo”, um grupo de hippies cabeludos politicamente ativos da ‘Era de Aquário‘, que levam uma vida boêmia em Nova York e lutam contra o alistamento militar para o Vietnã. ‘Claude’, seu bom amigo ‘Berger’, sua amiga ‘Sheila’ e outros amigos hippies, tentam equilibrar suas jovens vidas, amores e sexo livre com a rebelião pessoal contra seus pais e a sociedade conservadora norte-americana. Em última análise, ‘Claude’ precisa decidir entre rasgar seu cartão de alistamento como seus amigos fizeram ou sucumbir à pressão de seus parentes (e da América conservadora) e servir no Vietnã, comprometendo seus princípios pacifistas e arriscando sua vida.


Música original da peça de 1068, chamada Aqurius.
O neopaganismo, como fenômeno religioso, ascende nas décadas de 80 e 90, com a explosão de vários cultos, desde seitas hindus às mais recentes, que cultuam extraterrestres e divindades cósmicas, como o caso do Raelismo e da Cientologia, esta última contando com a participação efetiva de vários astros famosos de Hollywood, como Tom Cruise e Will Smith. Da literatura à música, o neopaganismo (uma insidiosa mistura de filosofias esotéricas recentes, cujos pilares encontram-se em tradições muito mais antigas) ganha força a cada dia, subvertendo os valores cristãos e tentando criar uma sociedade efetivamente erradicada de qualquer vestígio da espiritualidade e moral cristãs. Fora as sociedades de magia que eclodiram nos EUA desde a década de 50, aos cultos satanistas (como o de Anton LaVey, o fundador da “Igreja de Satanás”), e ao retorno do fascínio pela bruxaria (de acordo com alguns dados, entre os 10 livros mais vendidos do mundo nos útimos 50 anos, atrás apenas da Bìblia, estão alguns de magia ou com temática ocultista, como Harry Potter, de J. K. Rowling). Veja o gráfico abaixo:


Top 10 livros mais vendidos no mundo

Fonte: Top 10+

Estaremos postando, a partir de hoje, uma série de artigos com infográficos, vídeos e referências bibliográficas, que mostram o avanço desse novo fenômeno espiritualista, ao qual chamamos de neopaganismo. Veremos o porquê de sua penetração social, principalmente entre os jovens. Quais suas fontes? Em que se baseia a mensagem espiritualista pagã de nossos dias? Por que temáticas como vampirismo, magia negra, necromancia, demonologia e sociedades secretas estão praticamente onipresentes em toda a indústria do entretenimento? Quais os efeitos a médio e longo prazo desta “descristianização” do Ocidente? Por que alguns estudiosos já falam em um período “pós-critão”? E, nesse primeiro post, apresentamos dois vídeos de um documentário alemão sobre o neopaganismo na cultura pop. Trás informações inéditas sobre a simbologia ocultista presente nos trabalhos de alguns dos mais famosos ídolos pop dos séculos XX e XXI. Veremos também, nos vídeos abaixo, quais os significados das mensagens ocultistas empregadas em clipes, músicas, filmes e seu objetivos subliminares. Estaremos desvelando a influência neopagã na cultura pop, desde suas raízes, até seus objetivos, expostos por alguns de seus maiores ícones aqui, no blog Fatos em Foco. Esteja atento e divulgue estas informações, principalmente a grupos e estudos bíblicos, pesquisas teológicas e a todos aqueles que têm interesse em expor as nefastas faces do ocultismo renascido em nossos dias. 

Ocultismo e cultura pop: o legado do bruxo Aleister Crowley.


Ocultismo e cultura pop:  mensagens ocultas.