Blog

Blog

5 de jun de 2013

Direto da redação - Edição da tarde!


    

 Meio Ambiente e Patrimônio Histórico e Cultural         


Meio Ambiente: o meio ambiente é definido como o "conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas". Constitucionalmente, cabe ao Ministério Público o dever de defender e preservar o meio ambiente para as presentes e futuras gerações.

As ações do Ministério Público Federal para proteção do meio ambiente encontram-se listadas abaixo(ver tabela). Nessas matérias, o Mistério Público Federal atuará, de regra, quando o ecossistema atingido encontrar-se em área do patrimônio da União, suas autarquias ou empresas públicas, ou quando o dano ambiental for praticado por esses entes (seja por ação ou omissão dos mesmos), ou ainda quando o licenciamento ambiental for de responsabilidade do IBAMA.

Patrimônio Histórico e Cultural: conforme o artigo 1º, III da Lei 7.347/85, patrimônio cultural abrange todos os "bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico". Todo bem cultural deve ter preservadas suas características essenciais. Quando isso não é respeitado, o MPF entra em ação, na esfera judicial ou fora dela. Atua, nas matérias abaixo elencadas (ver tabela), quando o bem for tombado pelo IPHAN, ou quando a degradação ou responsabilidade pela manutenção do patrimônio for de responsabilidade da União, autarquias e empresas públicas, ou quando esses entes forem interessados na sua proteção.































 Stephen Hawking diz que humanidade deve evitar contato com alienígenas





Alienígenas predadores
  
O renomado físico britânico Stephen Hawking sugeriu que os seres humanos devem evitar fazer contato com seres extraterrestres.

Em uma série de documentários a ser exibida em maio no Discovery Channel, Hawking diz que é "perfeitamente racional" acreditar que pode existir vida fora da Terra, mas adverte que os alienígenas podem simplesmente roubar os recursos do planeta e irem embora.

No passado, foram enviadas sondas para o espaço levando artefatos com diagramas e desenhos mostrando a localização da Terra.


Exemplo humano

"Se os alienígenas nos visitassem, as consequências seriam semelhantes às (que aconteceram) quando (Cristóvão) Colombo desembarcou na América, algo que não acabou bem para os nativos", afirma.
"Nós só temos que olhar para nós mesmos para ver como vida inteligente pode evoluir para alguma coisa que não gostaríamos de encontrar."

Aparência dos ETs

Hawking diz que a probabilidade matemática é de que existam seres vivos em outros lugares do universo mas "o verdadeiro desafio é imaginar como poderia ser a aparência dos alienígenas".

O programa especula sobre várias espécies de extraterrestres, inclusive herbívoros de duas patas e predadores semelhantes a lagartos.

Hawking admite, contudo, que a maior parte dos seres em outras partes do universo provavelmente não passará de micróbios.

Vida fora da Terra


Em uma série exibida recentemente na TV da BBC - Wonders of the Solar System (Maravilhas do Sistema Solar) - o físico britânico da Universidade de Manchester, Brian Cox, também sugeriu que pode haver vida em outra parte do nosso sistema solar.

Segundo Cox, pode haver organismos sob a camada de gelo que envolve Europa, uma das luas de Júpiter. A sonda Cassini identificou "ingredientes da vida" na lua Encélado, de Saturno.

Cox afirmou que aumentam os indícios de que pode haver vida em Marte. "Nós só saberemos com certeza quando a próxima geração de naves espaciais, adaptadas para procurar vida, for lançada para as luas de Júpiter e as planícies áridas de Marte nas próximas décadas." Cientistas brasileiros também afirmam que é possível haver vida na lua de Saturno.

O Dr. David Kipping, da Universidade College London, defende que vida fora da Terra pode estar nas luas dos planetas extrassolares.

Cientistas austríacos estão estudando as possibilidades da existência de vidas exóticas no espaço, diferentes da vida que conhecemos na Terra.

Em uma reunião internacional, que juntou 2 mil astrônomos de 70 países no Rio de Janeiro em 2009, defendeu-se que a busca por vida fora da Terra será o foco das pesquisas espaciais no futuro próximo.

 Sobre o Recrutamento de Membros para a Maçonaria







A maçonaria, uma irmandade secreta, usa clubes sociais tais como o Kiwanis International, Rotary International e outros como organizações alimentadoras ou centros de recrutamento para alistar novos membros em acréscimo a orientações pelos seus próprios membros. No topo do espectro secreto estão três organizações inter-relacionadas que capitalizam em seu relacionamento reservado com todo o universo da maçonaria. O grupo fundador na Alemanha (Illuminati – Universidade de Ingolstadt), o grupo americano (Sociedade Skull and Bones – Universidade de Yale. NOTE: George H. Bush, William Clinton e George W. Bush são todos membros), e o Grupo Inglês (Cecil Rhodes Scholars – Oxford University. NOTE: O Primeiro-Ministro da Inglaterra, Tony Blair, é um membro desse grupo.) estão inter-relacionados. Não é de se surpreender que tanto Clinton quanto Bush tenham camaradagem com Blair.

Há mais de 8,400 clubes Kiwanis com mais de 600,000 membros em mais de 70 nações e áreas geográficas. Ele foi fundado em 1915 e situado em Indianapolis, Indiana. Como uma organização de serviço eles se comprometeram a um objetivo mais ilustre, iluminando os efeitos devastadores de desordens por deficiência de iodo (IDD). A sociedade consiste de negócios ativos ou isolados e homens e mulheres profissionais. A media de um membro dos Kiwanis é 55.1 anos, um curso superior, casado e uma dona de casa. Ele ou ela é um proprietário ou gerente de uma firma em $25 millhões ou menos.

Rotary International é uma organização de negócio e líderes profissionais unidos por todo mundo com um propósito declarado de prover serviço humanitário, encorajando altos padrões éticos em todas as vocações, e ajudando a construir boa vontade e paz no mundo. Em mais de 160 países do mundo todo, aproximadamente 1,2 milhões de Rotarianos pertencem a mais de 30,000 Rotary clubs. Os Rotary clubs do mundo encontram-se semanalmente e são não-políticos, não-religiosos e abertos a todas as culturas, raças e credos.

 Somebody Else is on The Moon (Alguém Mais Está na Lua) 


styl& � o t ` � �� 0pt;line-height:115%;font-family:"Monotype Corsiva"; color:black'> 

Em uma série exibida recentemente na TV da BBC - Wonders of the Solar System (Maravilhas do Sistema Solar) - o físico britânico da Universidade de Manchester, Brian Cox, também sugeriu que pode haver vida em outra parte do nosso sistema solar.

Segundo Cox, pode haver organismos sob a camada de gelo que envolve Europa, uma das luas de Júpiter. A sonda Cassini identificou "ingredientes da vida" na lua Encélado, de Saturno.

Cox afirmou que aumentam os indícios de que pode haver vida em Marte. "Nós só saberemos com certeza quando a próxima geração de naves espaciais, adaptadas para procurar vida, for lançada para as luas de Júpiter e as planícies áridas de Marte nas próximas décadas." Cientistas brasileiros também afirmam que é possível haver vida na lua de Saturno.

O Dr. David Kipping, da Universidade College London, defende que vida fora da Terra pode estar nas luas dos planetas extrassolares.

Cientistas austríacos estão estudando as possibilidades da existência de vidas exóticas no espaço, diferentes da vida que conhecemos na Terra.

Em uma reunião internacional, que juntou 2 mil astrônomos de 70 países no Rio de Janeiro em 2009, defendeu-se que a busca por vida fora da Terra será o foco das pesquisas espaciais no futuro próximo.

 Sobre o Recrutamento de Membros para a Maçonaria












O nosso satélite, que conhecemos como Lua, apresenta os seus intrincados mistérios. Desde as primeiras missões espaciais, as espantosas fotografias revelavam (vejam bem: mesmo antes de o primeiro homem lá colocar os pés), uma intensa movimentação na sua árida superfície. Estranhas máquinas foram pilhadas se movimentando em diversas crateras, até mesmo deixando as marcas das suas esteiras! Objetos voadores, ou melhor OVNI, foram vistos e até fotografados pelos astronautas, pousados ou mesmo chegando e partindo do solo lunar. Porém, aquilo que sugere uma intensa atividade exploratória executada por seres desconhecidos no nosso satélite natural, que talvez seja mineração, torna-se ainda mais surpreendente quando se sabe que certas fotos “malditas” mostram igualmente a existência de bizarras edificações espalhadas pelos mais diversos pontos da Lua! O primeiro pesquisador a se dar ao trabalho de bisbilhotar as fotos oficiais e a botar a boca no trombone foi o notável George Leonard, autor em 1977 do raríssimo, e hoje disputado a tapas e a peso de ouro, livro intitulado Somebody Else is on The Moon (Alguém Mais Está na Lua), onde dezenas de fotografias mostram coisas verdadeiramente surpreendentes, tais como: canais, pontes, restos de veículos desconhecidos abandonados em crateras, setas direcionais, cúpulas, cruzes, tubulações, estranhos caracteres e insígnias voltados para o espaço, máquinas em plena e muito febril atividade, e muitas outras coisas mais!

Isso despertou a atenção dos demais pesquisadores que logo passaram a encarar com mais atenção as fotos da NASA, nelas descobrindo coisas ainda mais impressionantes e que talvez inadvertidamente estiveram por algum tempo à disposição dos interessados.

 A MAIOR FRAUDE DA HISTÓRIA





A maior fraude da história
Nehemias Gueiros Jr *


FONTE: Jornal Pravda






"Deixe-me emitir e controlar o dinheiro de uma nação e não me importarei com quem redige as leis."
Mayer Amschel (Bauer) Rothschild





Todo aquele que controla o volume de dinheiro de qualquer país é o senhor absoluto de toda a indústria e comércio, e quando percebemos que a totalidade do sistema é facilmente controlada, de uma forma ou de outra, por um punhado de gente poderosa no topo, não precisaremos que nos expliquem como se originam os períodos de inflação e depressão."

James Garfield

Presidente americano, 1881.

Poucas semanas após proferir estas palavras (da segunda citação), dirigidas aos moneychangers, o presidente Garfield foi assassinado. E não foi o único presidente norte-americano morto por eles, como veremos adiante. Para podermos entender melhor quem são os moneychangers (ou argentários), é necessário retornar no tempo até cerca de 200 A.C., quando pela primeira vez** tem-se registro da "usura". Entre as várias definições do Aurélio para usura encontramos juro exorbitante, exagerado, lucro exagerado, mesquinharia.

Dois imperadores romanos foram assassinados por terem pretendido implantar leis de reforma limitando a propriedade privada de terras ao máximo de 500 acres e liberando a cunhagem de moedas, que era feita pelos especuladores. Em 48 A.C., Júlio César recuperou o poder de emitir moeda, tornando-o disponível para qualquer um que possuísse ouro ou prata. Também acabou assassinado. Em seguida, as pessoas comuns perderam suas casas e seus bens, da mesma forma como temos assistido acontecer na crise americana das hipotecas.

Na época de Jesus, há dois mil anos, o Sanhedrin (a Suprema Corte da antiga Israel) controlava o povo através da cobrança de taxas representadas pelo pagamento de meio shekel. Vários historiadores estimam que os cofres dessa corte continham vários milhões de dólares em dinheiro de hoje. O povo judeu, totalmente oprimido e controlado pelo Sanhedrin, vivia escravizado pelos dogmas da religião imposta por esses líderes. Como todos sabemos, Jesus foi o primeiro a ousar desafiar esse poder e expor a conduta sacrílega de Israel e também acabou morto na cruz.

Nos séculos seguintes, os moneychangers continuaram a expandir a arte da usura em todos os segmentos da vida, criando expansões e contrações financeiras, de geração em geração enfrentando monarcas e líderes políticos que queriam erradicá-la. Sempre em vão. A cada bem-sucedida (e rara) tentativa de eliminá-la, a usura voltava com mais força ainda, respaldada pela ganância e o poder dos fortes e ricos contra os fracos e pobres. Na Idade Média, o Vaticano proibiu a cobrança de juros sobre os empréstimos, e com base nos ensinamentos e na doutrina eclesiástica de Aristóteles e São Tomás de Aquino, afirmou que "o propósito do dinheiro é servir à sociedade e facilitar a troca de bens necessária à condução da vida." De nada adiantou, eis que a própria Igreja conspirava com o Estado para acumular dinheiro e poder através dos séculos e controlar os oprimidos com os "castigos" e as "bênçãos" do Todo Poderoso. Os argentários usavam os juros para praticar a usura, que hoje é consagrada por lei através da prática bancária. Já naquela época, vários religiosos e teólogos condenavam a escravização econômica resultante da usura mas como podemos observar a situação mudou muito pouco nos últimos 500 anos.

Na medida em que a usura foi se instalando em todas as camadas sociais, os moneychangers foram ficando cada vez mais ousados em suas manipulações financeiras e foi assim que surgiu o famigerado conceito do fractional reserve lending, ou "empréstimo baseado em reserva fracional" ou "empréstimo sem cobertura ou lastro". Embora de enunciado complexo, a prática é muito simples. Significa emprestar mais dinheiro do que se tem em caixa e transformou-se na maior fraude de todos os tempos, principal responsável pela vasta pobreza que assola o mundo até hoje e pela redução sistemática do valor do dinheiro. A descrição dos economistas sobre os chamados "ciclos econômicos", nada mais é do que a identificação dos períodos de expansão e retração determinados pelos bancos em todo o mundo, através do fractional reserve lending. Eles simplesmente adotaram as regras do passado e continuaram a praticá-las até hoje.

A prática do "empréstimo sem lastro" continuou se expandindo antes mesmo do surgimento dos bancos, alimentada pelos ourives e mercadores de ouro e prata, que guardavam os metais nobres da população em custódia para não serem roubados. Logo esses negociantes — na realidade meros agiotas — perceberam que a maioria das pessoas morria e não voltava para buscar seus bens, legando-os à herança familiar. Foi quando começaram a emprestar dinheiro a juros, geralmente em quantias muito superiores ao ouro e prata que possuíam guardados em custódia. O recibo da custódia foi provavelmente o primeiro embrião do dinheiro de papel que temos hoje, pois com ele, a pessoa podia adquirir mercadorias e bens no grande mercado. Com a contínua expansão desse negócio ilícito e usurário, logo os moneychangers puderam abrir lojas específicas para empréstimos,  advindo daí a origem dos bancos modernos.

O usuário e a sua mulher - Quentin Matsys, 1514 - Óleo sobre madeira - Museu do Louvre - Paris

O primeiro banco central de um país a praticar o fractional reserve lending, ou FRL foi o Bank of England (Banco da Inglaterra), constituído em 1694 e de natureza privada. Era controlado por acionistas fraudulentos e mal-intencionados que utilizaram o mote "people’s bank" (banco do povo), para praticar toda sorte de fraudes visando unicamente o lucro. As dívidas com o Banco da Inglaterra de centenas de gerações posteriores, representadas ou pela própria monarquia inglesa ou pelo governo, foram asseguradas através da criação de taxas impostas à população, que viriam a se transformar no Imposto de Renda como hoje o conhecemos. O modelo do Banco da Inglaterra rapidamente se transformou no modelo para os bancos centrais de todos os países no mundo atual. Os agiotas descobriram que é muito mais lucrativo emprestar para monarcas e governos do que para cidadãos comuns. Através da dívida, tornavam-se literalmente credores e soberanos de nações inteiras.

O MISTÉRIO DO CHI   氣


 http://img3.imageshack.us/img3/6891/thefountains.jpg

 http://www.ppow.com.br/portal/wp-content/uploads/2011/04/POST_ten-chi.jpg

John Chang – Chi kung, Qigong, Mestre dos Poderes da Mente