Blog

Blog

5 de mai de 2013

Direto da redação - Edição da tarde!






O Vaticano




11/9 – World Trade Center: Provas da Verdade!




Documentário parte da Série “Prepare se” mostra claramente a farsa criada em 11 de Setembro. Ao pesquisar sobre o melhor apanhado de entrevistas, vídeos e provas, estes três vídeos que resumem todo o acontecimento e deixaram você com mais respostas que a TV mostrou…
Os 3 vídeos são incríveis, então assista os três e entenderá o que ocorreu naquele fatídico dia. 







Seres Alienígenas Estariam Visitando Morador de Município no Ceará


Homem afirma estar em contato com ETs em Maranguape.

Um artesão na cidade de Maranguape (CE) afirma estar mantendo contato com seres estranhos, de cabeça em formato de pêra, olhos grandes e azuis. Segundo ele, seria um casal e disseram-lhe para não ter medo. Após conversar por cerca de 10 vezes com tais visitantes, que apareceriam em seu lar, decidiu contar aos amigos mais próximos, mas a história se espalhou pela redondeza.
Paulo Cesar da Silva, 61 anos, conforme moradores, é uma pessoa idônea, trabalhou por mais de 30 anos num posto de combustível, se aposentou e possui uma oficina de artesanato em sua própria casa. Seus amigos acreditam na história, mas ninguém compreende o que possa realmente estar acontecendo na residência do senhor Paulo Silva.
No entanto, praticamente todo mundo no município diz que são extraterrestres. A equipe de reportagem do programa Gente na TV, da TV Jangadeiro, foi até o local saber detalhes desse caso. O homem, segundo o próprio apresentador do programa, está convicto e seguro do que tem presenciado.
Assista a reportagem:






 Ovnis na Biblia



Casos de OVNIs na Bíblia?

Geralmente existe, entre as teorias sobre discos voadores e o que poderia ser chamado de misticismo, uma ligação estreita. 
Muitos dos integrantes das sociedades que estudam o assunto são extremamente religiosos, chegando a se valer de trechos da Bíblia para fundamentar suas opiniões. Dizem, por exemplo, que muitos dos milagres contados pela Bíblia não são mais que versões religiosas de visitas de seres espaciais. 
Um exemplo de trecho bíblico que pode ser associado a OVNIs, diz respeito a Elias, quando este foi levado para o céu numa carruagem de fogo, e Ezequiel afirmou ter visto tal carruagem. No primeiro capítulo do Livro de Ezequiel, esse profeta fala de uma visão que teve. É muito difícil explicar, mas ele menciona quatro criaturas de aparência humana, cada uma delas com quatro faces, quatro asas e com cascos. Estavam acompanhadas de       rodas dentro de rodas maiores que se moviam constantemente causando um enorme barulho. O que foi que ele viu? Podemos concluir que o Livro de Ezequiel menciona a aparição de um OVNI? 
Abaixo segue trecho do Livro de Ezequiel que com um pouco de imaginação podemos retratar a visão do profeta como uma cena de filme de ficção científica:  









Atlantida teria sido encontrada na costa de Cuba

Atlantida teria sido encontrada: esfinges  e pirâmides gigantes no fundo do oceano no Triângulo das Bermudas foram encontrados e fotografados
Talvez a descoberta de Atlântida venha a eclipsar as descobertas de Troia e a tumba do rei Tutancamom. Agora, dois ousados cientistas, Paul Weinzweig e Pauline Zalitzki, afirmam que encontraram Atlântida. Eles descobriram as ruínas submersas da antiga cidade na costa de Cuba. 
Tradução e imagens: Thoth3126@gmail.com
Segunda-feira, 1 outubro, 2012 –  19:27 horas
Atlantida foi encontrada no Triângulo das Bermudas
No passado distante, a região era terra seca (e conectada com a Península do Yucatan, no México), mas agora só a ilha de Cuba permanece acima da linha d’água. A antiga cidade esta a 600 metros abaixo do oceano. A equipe de pesquisadores liderada por Weinzweig e Zalitzki estão convencidos de que é a lendária Atlantis/Atlântida (ou parte dela)  - a cidade perdida há mais de 10.000 anos.


As ruínas encontradas seriam finalmente a perdida, mas nunca esquecida Atlântida? Parece que eles tomaram os dados de sonar e com sucesso reconstruída uma imagem 3D da estrutura existente no fundo do oceano ao largo de Cuba. Isto é completamente sólido e muito convincente.

Dois cientistas, Paul Weinzweig e Pauline Zalitzki, trabalhando na costa de Cuba e usando um submarino robô, confirmaram que ruínas de uma cidade gigantesca existe no fundo do oceano. O local da antiga cidade - que inclui várias esfinges e pelo menos quatro pirâmides gigantes, além de outras estruturas , surpreendentemente fica dentro dos limites do lendário “Triângulo das Bermudas”.

De acordo com um relatório da Arclein da Terra Forming Terra, denominado de Cuban Subsea Pyramid Complex , as evidências apontam para a cidade ter sido simultaneamente inundada com a subida das águas e pelo afundamento de terras sob o mar. Isso se correlaciona exatamente como relatado na lenda de Atlântida.

Abaixo: assista o filme Underwater City Off of Cuba Part 1 (The Discovery)


O desastre pode ter ocorrido no final da última Idade do Gelo. Como a calota do Ártico (Polo Norte) derreteu catastroficamente, o que causou para que o nível do mar subisse rapidamente em todo o mundo, afetando especialmente o Hemisfério Norte.

Todas as linhas costeiras mudaram; terras foram perdidas; ilhas (continentes até insulares) desapareceram (n.t. mas novas terras também surgiram, como a maior parte da Europa).


O filósofo grego Platão escreveu sobre a perdida Atlântida

No final da última Idade do gelo os níveis do mar eram cerca de 400 metros mais baixo do que os níveis atuais. Uma vez que as águas começaram a subir, elas se levantaram rapidamente.

É concebível, sem tecnologia, então, ou mesmo agora, poder ter salvo a Atlântida de sua sepultura no oceano. A evidência de que havia terra no que é agora o Mar do Caribe que também afundaram no mar ao mesmo tempo parece bastante certo.

Arclein observa: “Na época porções erguidas das montanhas submarinas do Atlântico Médio diminuiram incluindo também a mítica Lyonese, dos contos do Rei Arthur (https://en.wikipedia.org)  e as ilhas que a circundavam e a massa de terra ao redor dos Açores. Mesmo que isso não tivesse acontecido, este afundamento foi amplamente grande o suficiente. 
A descoberta das ruínas submersas foi publicada pelo jornal Sunday Reader, da Flórida-EUA, em entrevista dada pelos dois cientistas Paul Weinzweig e Pauline Zalitzki
Atlantis, o Continente perdido:  Isso teria produzido uma pressão ortogonal forçando subsidência a leste e a oeste. Desde que o topo da crista de montanhas submarinas entre Cuba e a Península do Yucatán é o ponto natural de fraqueza entre a bacia de subsidência do Golfo do México e da bacia de subsidência do Mar do Caribe, que naturalmente diminuiu profundamente. O gatilho para tudo isso foram as mudanças hidrostáticas trazidas pela movimentação da crosta do planeta (deriva continental)  de 12.900 anos atrás, que eu chamei de Não Conformidade do Pleistoceno e o soerguimento lento da Bacia do leito do rio Hudson provocada pelo fim da Idade do Gelo “.
Crise dos mísseis cubanos nos anos 60 pararam as pesquisas

Segundo o jornalista Luis Mariano Fernandez a cidade foi descoberta décadas atrás, mas todos os acessos ao local da descoberta foi barrado durante e após a crise dos mísseis cubanos durante os anos de 1960.


Uma das pirâmides encontradas no local

“O governo dos EUA teria descoberto o lugar alegadamente durante a crise dos mísseis em Cuba, nos anos sessenta, os submarinos nucleares de cruzeiro no Golfo (em alto mar) encontraram estruturas piramidais. Eles imediatamente desligar o site e tomou o controle dele e dos objetos, a fim de que eles não caíssem nas mãos dos soviéticos russos. “

A equipe científica de especialistas de águas profundas do oceano, arqueólogos e oceanógrafos encontraram ruínas de edifícios antigos 600 metros abaixo do oceano. Eles dizem que a cidade é Atlantis/Atlântida. Olhe com cuidado, na água uma pirâmide gigante é visível .

No destaque o local das descobertas das ruínas submarinas ao largo da costa de Cuba, coordenadas 85º latitude Norte e 22º longitude Oeste.

Pirâmides e esfinges maiores que as do Egito

A prova de que a ilha de Cuba é o vestígio de uma cultura outrora poderosa é suportado pela descoberta de Zalitzki na ilha de símbolos extremamente antigos e pictogramas idênticos aos observados nas estruturas subaquáticas.

Usando submersíveis de exploração, eles descobriram estruturas piramidais incrivelmente enormes e muito semelhantes (mas maiores do que) as pirâmides de Gizé, no Egito. Eles estimam que as pirâmides de Atlantis são construídas com pedras pesando centenas de toneladas.

Uma segunda pirâmide gigante foi fotografada pelo veículo R.O.V. 

Incrivelmente a cidade antiga também tem esfinges magníficas e “pedras que estão dispostos como em  Stonehenge, Inglaterra, e uma linguagem escrita gravada nas pedras”, relata Fernandez.

Pirâmide Atlante de Cristal também foi encontrada no Triângulo das Bermudas.

Outra pirâmide gigante encimada com o que parece ser um cristal foi descoberto por mergulhadores no Triângulo das Bermudas [Ver: pirâmide gigante de cristal descoberta no Triângulo das Bermudas ]

A estrutura gigantesca, também, talvez maior do que a Grande Pirâmide de Quéops, no Egito, e inicialmente identificado por um médico na década de 1960, foi verificada independentemente por equipes de mergulho da França e dos EUA

Uma descoberta que reescreveria a história do mundo

Isso poderia ser visto como uma descoberta que provocaria mudança da história da Humanidade? Sim, poderia mudar tudo.

Fernandez escreve : “Ele confirmou que as pedras foram cortadas, esculpidas e polidas para fazê-las se encaixarem e, assim, formar estruturas maiores. Sobre as estranhas inscrições, algumas delas semelhantes aos hieróglifos egípcios, muito pouco se sabe, exceto que elas são muito abundantes e encontradas em quase todas as partes do campo de pesquisa. Nele também apareceram símbolos e desenhos cujo significado ainda é desconhecido. “


Robotic Ocean Vehicle (ROV) utilizado nas filmagens.

A exploração da Atlântida, chamado Projeto Exploramar , está se expandindo para descobrir mais sobre os mistérios da mega-cidade encontrada.

Falando com um cientista sobre a possibilidade de que as ruínas são realmente Atlantida, Fernandez relata que o perito respondeu:

“ … nas culturas indígenas da península do Yucatan, hoje é possível encontrar o que ainda resta dos aborígenes desses lugares, talvez, dos olmecas ou alguma civilização muito primitiva da península do Yucatan, a parte norte da América Central - originada de acordo com suas lendas em uma ilha que afundou por um cataclismo. Esta ilha é chamada de Atlanticú“.

Isso também se encaixa as histórias sobre o súbito desaparecimento das maravilhas de Atlântida.  O nome Atlanticú, Atlantis . Os nativos aborígenes ainda a chamam desse nome que é parte de sua história.  Durante uma entrevista sobre a exploração do mega-cidade, Fernandez perguntou à cientista Pauline Zalitzki sobre o civiização que a construiu.

“Quando publicamos a primeira notícia desta descoberta”, disse ela, “a Universidade de Veracruz ficou interessada em nosso trabalho e nós haviamos gravado imagens destas estruturas no fundo do mar. Especificamente, o Instituto de Antropologia da Universidade das escavações me convidou. Eles estavam fazendo [estudos] em peças e ruínas da civilização olmeca.


Isso poderia ser visto como uma descoberta que provocaria mudança da história da Humanidade? Sim, poderia mudar tudo.

Fernandez escreve : “Ele confirmou que as pedras foram cortadas, esculpidas e polidas para fazê-las se encaixarem e, assim, formar estruturas maiores. Sobre as estranhas inscrições, algumas delas semelhantes aos hieróglifos egípcios, muito pouco se sabe, exceto que elas são muito abundantes e encontradas em quase todas as partes do campo de pesquisa. Nele também apareceram símbolos e desenhos cujo significado ainda é desconhecido."


Outra imagem de uma mega-estrutura Atlante [Imagem: LMF ]

“Quando eles viram estas imagens submarinas [eles] encontraram semelhanças e paralelos com as ruínas encontradas em escavações que o Instituto estava empreendendo. 

“Os olmecas e outros povos nativos têm morfologia primária marcando a sua chegada vindos deste continente. Isso significa vindo da direção de Cuba, e teve que ocorrer após um terremoto muito grande, quando sua terra afundou. A sua morfologia indica que eles pertencem a três famílias que foram salvas. Uma dessas famílias vieram para a costa de Veracruz, que supostamente são os olmecas. Outros vieram para a América Central e viajaram para a costa do Pacífico, e essas famílias criaram a civilização das Américas como a conhecemos hoje, porque eles distribuíram todo o seu conhecimento.

“Quando esses antropólogos viram imagens subaquáticas desta cidade , e viram alguns monólitos de pedra, alguns símbolos e inscrições, eles identificaram com motivos olmecas. Eles ficaram muito surpresos. “
Abaixo: Parte dois do filme Underwater City Off Cuba Part 2 (Atualizado)



Os olmecas eram autônomos dos sobreviventes da Atlântida, uma cultura muito superior que foi destruída por inundações no fim da Idade do Gelo . O mundo foi reformulado e uma super civilização foi destruída, sendo lembrada por milênios somente pelas lendas e uma referencia  pelo filósofo Platão.

Mas a Atlântida era real, é real: os cientistas Paul Weinzweig e Pauline Zalitzki alegam tê-la encontrado.

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.




























 O abrigo de Sementes do Fim do Mundo!

Um cofre que visa abrigar sementes de todas as variedades conhecidas no mundo de plantas com valor alimentício está sendo inaugurado na Noruega, já no Círculo Ártico [texto de 25/2/2008] .

Apelidada de o cofre do fim do mundo, a Caixa Forte Internacional de Sementes, uma joint-venture da Noruega e da ONU, foi construída em uma ilha remota, Svalbard, em uma parceria entre o governo norueguês e a Organização das Nações Unidas (ONU).

A caixa forte, que começou a ser construída em março de 2007, fica a uma profundidade de 120 metros dentro da montanha de Spitsbergen, uma das quatro ilhas que compõem Svalbard. 
O diretor do projeto, Kerry Fowler, afirmou que a iniciativa visa salvaguardar a agricultura mundial no caso de catástrofes futuras, como guerras nucleares, queda de asteróides e mudanças climáticas.

Este é o plano B, a rede de segurança, a política de seguro. E sabemos que grande parte da diversidade está sendo perdida mesmo em bons bancos genéticos, disse.

BILHÕES

Ao construir uma caixa forte dentro da montanha, o solo permanentemente gelado continuaria a fornecer refrigeração natural em caso de falha do sistema mecânico, explicou Fowler.
A Caixa Forte Internacional de Sementes é composta por três câmaras com a capacidade de guardar 4,5 bilhões amostras de sementes.

O professor Tore Skroppa, diretor do Instituto de Florestas e Paisagens da Noruega, que também participa do projeto, afirma que a mudança climática é um dos motivos da criação do banco de sementes, mas não é o único.

O professor disse à correspondente da BBC em Svalbard, Sarah Mukherjee, que mais de 40 países tiveram parte ou a totalidade de seus bancos de sementes destruídos nos últimos anos. Seja devido à guerra, como no Afeganistão e Iraque, ou devido a inundações ou outros desastres naturais, como nas Filipinas.

Embora a caixa forte norueguesa tenha sido projetada para proteger espécies de acontecimentos catastróficos, ela pode ser usada também como fonte de realimentação de bancos de sementes nacionais.

                                
                                                 

Operação Prato: Defesa vai Liberar Documentos sobre OVNIS!!

A ação de 1977 é tratada como um dos maiores esforços militares em busca de objetos voadores não identificados no Brasil.
O Ministério da Defesa promete revelar, em junho, documentos secretos de uma das maiores operações militares envolvendo objetos voadores não identificados no Brasil. A Operação Prato, de 1977, que levou a Força Aérea Brasileira (FAB) para verificar ocorrências extraordinárias no Pará, produziu um grande volume de material, em relatos, fotografias e vídeos, grande parte secreta até hoje. A decisão foi tomada após reunião com membros da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) e representantes das Forças Armadas, no dia 18 de abril. 

Documentos

O Brasil é um dos pioneiros na investigação de objetos voadores não identificados. Oficialmente, de 1969 a 1972, a Força Aérea Brasileira teve até um órgão dedicado a esse propósito. Desde a regulamentação da Lei de Acesso à Informação (LAI), alguns documentos da Força Aérea, que relatam eventos de 1950 até 2010, foram liberados. Mas os ufólogos afirmam que grande parte do material produzido nessa busca por óvnis ainda não veio a público. Por isso, eles principiaram, em 2004, uma campanha chamada “UFOs: Liberdade de Informação Já”, com o objetivo de pedir ao governo a liberação desses arquivos.

Os ufólogos acreditam que haja milhares e milhares de documentos sobre o assunto em posse da Marinha e do Exército. “Da Marinha, existe o caso da Corveta Mearim, de UFOs que perseguiram embarcações brasileiras da Marinha e deixaram seus equipamentos inutilizáveis, alguns por um determinado período. E o caso Ilha da Trindade, de 1958, sobre um óvni que teria sido visto pela tripulação de uma embarcação da Marinha”, explica Ademar Gevaerd, jornalista e editor da revista UFO.

Já do Exército, os ufólogos esperam documentos oficiais sobre o Caso Varginha, de 1996, que teve repercussão nacional. Segundo Gevaerd, esse caso teve uma investigação secreta e contou com envolvimento dos militares. “Esses documentos o exército nunca entregou, e eles existem. Nós entrevistamos militares que descrevem detalhes da captura dos dois seres e de restos da nave espacial. Temos o áudio dessas entrevistas, inclusive. Não vamos revelar nomes, mas nós temos esse registro”, afirma.

O coronel Alexandre Emilio Spengler, coordenador do Serviço de Informações ao Cidadão do Ministério da Defesa, alegou que, com exceção da Operação Prato, o restante dos documentos solicitados se encaixa em uma destas categorias: 1) encontra-se à disposição nos arquivos da Marinha e do Exército e no arquivo Nacional; 2) não foi encontrado; 3) foi destruído;  4) nunca existiu.

Conforme Spengler, a Operação Prato, do Comando da Aeronáutica, é a pasta secreta que faltava revelar. “O último documento sigiloso, e ainda não entregue aos ufólogos, é o da Operação Prato, que poderá ser aberto já em 1º de junho de 2013. Os demais documentos solicitados pelos ufólogos ou não foram encontrados, ou não existiram, ou foram destruídos, como é previsto em lei”, afirma. Ele se refere ao ao decreto nº 79.099/77, que regulamentava a salvaguarda de documentos sigilosos e permitia sua destruição, assim como dos eventuais termos de destruição, pela autoridade que os elaborou ou por quem detivesse sua custódia.

Operação Prato

Em 1977, a Força Aérea Brasileira deslocou mais de 20 militares para uma operação especial: registrar e verificar ocorrências de luzes hostis e manifestações misteriosas na cidade de de Colares, no Pará. Armados com câmeras fotográficas e filmadoras, os agentes não presenciaram nada extraordinário nos dois primeiros meses. Depois, no entanto, de acordo com os relatos, o cenário se alterou completamente: objetos luminosos se movimentando erraticamente, naves maiores do que prédios de 30 andares e depoimentos chocantes da população ribeirinha.

A Operação Prato, como ficou conhecida, resultou em 2 mil páginas de documentos, 500 fotos e 16 horas de filme. Porém quase tudo permanece arquivado, segundo Gevaerd. “Ainda falta 80% do material, centenas de fotos, vídeos que foram registrados, relatórios dos pilotos, que fizeram a perseguição - nada disso foi liberado”, esclarece.

Da liberação

Segundo o art. 45 do Decreto 7.724, de 16 de maio de 2012, que regulamenta a Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, as informações desclassificadas nos últimos 12 meses devem ser publicadas, anualmente, até 1º de junho de cada ano. A Comissão Permanente de Avaliação de Documentos Sigilosos (CPADS) do Ministério da Defesa é quem avalia os documentos sigilosos do Ministério da Defesa. “Na reunião do dia 18 de abril de 2013, o representante do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) informou que os documentos referentes à Operação Prato (Pará) estão sendo reavaliados por essa Comissão e que poderão perder o sigilo (secreto) já em 1º de junho de 2013”, declara Spengler.

Interesse

A reunião, realizada no dia 18 de abril, foi um marco no diálogo entre ufólogos e militares. “É a primeira vez na história, não só do Brasil, mas do mundo, que o Ministério da Defesa chamou os ufólogos para conversar e expressar os seus pontos de vista. Saímos da reunião sem nenhum documento adicional, mas com a promessa de que eles vão ser liberados”, destaca Gevaerd. 

Essa medida atende a um interesse da população, já que a ufologia açula a curiosidade dos terráqueos. Ao todo, houve 107 solicitações de informações sobre óvnis (cinco da administração central do Ministério da Defesa, nove do Comando da Marinha, 26 do Comando do Exército, 65 do Comando da Aeronáutica e dois da Escola Superior de Guerra). “Foi a maior demanda sobre um único assunto recebida pelo Ministério da Defesa”, ressalta Spengler.

Para Gevaerd, revelar todos os documentos demonstraria transparência e responderia muitas questões. “Ainda existe uma dúvida se os óvnis existem ou não. As pessoas torcem o nariz e perguntam: ‘Será?’”, comenta. “Com a liberação dos documentos, deixa de haver um mistério, passa a haver transparência, e é isso que as pessoas querem”, insiste. Pelo menos em relação à Operação Prato, as dúvidas serão respondidas em junho.