Blog

Blog

1 de ago de 2013

Direto da redação - O seu fim de noite!



Filmes Bizarros  – Doce Vingança

        

O filme de hoje nem é bizarro ta mais pra esquisito. Mas lembro que, quando eu vi, morri de rir (tudo bem que com uma sobrancelha erguida do tipo “oi, diretor? Ta tudo bem?”) Apesar do enredo ser do tipo triste o modo como o rumo do filme se leva é bem interessante. Ah, não é o tipo de filme que você irá querer ver com os seus pais.
Data de lançamento: 1 de maio de 2010 (Estados Unidos)
Direção: Steven R. Monroe
Trilha sonora: Corey A. Jackson
Roteiro: Stuart Morse
Elenco:  Sarah Butler, Chad Lindberg, Daniel Franzese, Jeff Branson,Andrew Howard, Tracey Walter, Rodney Eastman, Mollie Milligan, Saxon Sharbino, Amber Dawn Landrum.
Gêneros: Terror, Thriller, Romance policial

E hoje galerinha eu não esqueci do Link (palmas):



Quero deixar claro que o filme não é longo para fazer um post explicando sobre ele; Tem muito sangue e mortes, cenas de sexo e é muito bom para se divertir com os amigos e não para acrescentar em algo na sua vida. Ou seja, esse post será pequeno. Como é final de semana de feriado é bom para dar uma relaxada em tantos filmes EXTREMAMENTE bizarros que existe por ai.
Jennifer Hills é uma escritora que resolve se mudar para um lugar tranquilo (no meio do mata, sem nenhum vizinho, numa cidade que nunca foi ninguém conhecido dela… Claro, super tranquilo) para se dedicar ao seu novo livro que está sendo construído. Por ser muito bonita (e também por não existir tantas mulheres nesse lugar) sua presença é percebida pelos rapazes do posto de gasolina local. Logo antes dos 10 minutos de filme já começa tudo dar errado naquele lugar e Jennifer percebe que não foi uma ideia muito boa lá (mas essas meninas americanas tem um espirito de super herói que só Jesus). A casa parece não funcionar, ela ouve barulhos e, se me permitem deixar uma opinião, ela é bem lerda pra continuar ali e por continuar num lugar longe de tudo. O mais engraçado é que eu não consigo entender o motivo de uma mulher morando sozinha no meio do nada quando escuta um barulho fora de casa vai pra varanda e grita “Oi?”. Mas tudo bem, vamos continuar. Você percebe que a merda começa a ser feita quando a personagem deixa o celular cair no vaso.

Depois disso o filme passa a ser considerado porno, na minha opinião, pois fica mais da metade dele só da personagem sendo estuprada. Não considerarei isso como um spoiler, pois é o tipo de filme que você já sabe o inicio meio e o fim.
Jennifer sofre diversos tipos de violências. Verbais, físicas e psicológicas. Tudo isso durante mais de 45 minutos quando, finalmente, o diretor pensa em acrescentar alguma coisa. Vejam, não estou dizendo que é um filme ruim, mas que sim é o tipo de filme pra você ver com os amigos e rir.

A mulher consegue fugir e então corre para o lugar mais obvio para conseguir ajuda… Onde? A policia local. Mas ela logo, infelizmente, descobre que o policial nada mais é do que chefe da gangue (?). Após mais algumas cenas de estupro ela novamente consegue escapar e dessa vez é pra valer. O filme muda o rumo completamente (porém, não de forma inesperada). Ao invés de correr para outra cidade em busca de ajuda e então sim voltar com uma policia mais confiável a mulher simplesmente quer vingança feita pelas próprias mãos. Apesar de achar o filme meio que irreal, eu gosto dessa ideia de vingança. Parece que alimenta em você uma torcida por ela e te faz desejar a morte de todos os participantes do crime tanto quanto Jennifer.

Confesso que daí pra frente o filme começa a tomar um rumo do estilo de jogos mortais (o que eu adoro). Para vocês se localizarem irei dividir o filme em três etapas:  filme clichê hollywoodiano. Mocinha, sozinha, homens a fim, escritor indo morar no campo pra melhor inspiração…  Filme porno com sexo violento. Estilo Sadomasoquismo .  Jogos mortais style.

Não vejo nenhuma intenção do filme além de chocar o expectador. Nada mais a acrescentar do que pura violência. O filme é um remake de “A vingança de Jennifer” no qual o diretor afirma que pensou no filme após ter ajudado uma menina que sofreu tais abusos. Não sei se foi uma homenagem ou apenas um “roubo” na história da menina.

Acredito que o filme seja apenas para diversão. Dou nota : 5 se você quiser ver sozinho e nota: 10 se você ver com os amigos pra zoar.  OBS: Não estou falando em zoar a menina ser estuprada.

Obsoutro: Apesar de não ter visto “A vingança de Jennifer” o filme aparenta ser melhor. Parece ter mais história e não ser focado apenas no estupro e na vingança. Se você quiser ver o filme original aqui esta o link (também no youtube):



 Histórias Extraordinárias - A Viagem ao Planeta Acart


Esta é a história magnífica do tratorista Artur Berlet, que realizou uma viagem espacial a outro mundo, sendo levado pelos alienígenas ao  planeta deles: Acart, numa viagem com seu cicerone Acorc, lá ele visitou a capital de 90 milhões de habitantes.
Descrição:
No dia 14 de maio de 1958, Artur Berlet tratorista da Prefeitura de Sarandi, Rio Grande do Sul, regressava do interior do município, viajando ora a pé ora de carona, quando, às 19 horas, ao passar pela Fazenda do Dr. Dionisio Peretti, viu uma luz estranha no mato à beira da estrada a uns 200 metros de onde se encontrava.
Curioso, atravessou a cerca de arame para ver o que era aquilo e, chegando a 30 metros do foco, constatou que a claridade opaca provinha de um enorme objeto circular, de uns 30 metros de diâmetro, cuja forma lembrava duas bandejas em superposição, Pensou em fugir, mas a curiosidade foi mais forte e ele se aproximou alguns passos.
Foi quando mais de dois vultos e um forte jato de luz atingiu-o, fazendo perder os sentidos. A partir daqui o que segue é uma impressionante e detalhada narração sobre uma viagem a outro planeta, outra cultura, outro pensamento, com certeza muito mais evoluido do que aqui no planeta Terra.
Artur Berlet, conta em detalhes como foi a sua viagem, sua chegada, como conseguiu comunicar-se com os habitantes do planeta Acart, também descreve o que os Acartianos fazem para viver, seu modo de vida, seus problemas e seus planos para o futuro.

Assista:




Fonte do vídeo: André Luíz Arruda

 Mistérios do Espaço - Alienígenas (Dublado)

Mistérios do Espaço - Alienígenas (National Geographic)
O documentário: segue a velha pergunta? somos únicos ou se temos com quem compartilhar as maravilhas que nos cercam?. Para nós, que só observamos a beleza toda do nosso pequeno mundo azul, a Terra. Ficamos na dúvida ou na certeza?

Pois a certeza, esta de que eles existem e não necessitamos de provas desnecessárias da existência deles! Já que muitos dos "objetos vistos em todo o mundo" que nos visitam teriam sim, uma origem não terrestres.

Quem se atreve a duvidar disso?

De uma resposta tão certa! Se fosse diferente, seria o mesmo que renegar a nós mesmos. Isso é um mistérios como a nossa própria existência na Terra - não temos como confirmar isto ou aquilo.

Nós temos muito para aprender, antes de pensarmos no direito de achar que estamos preparados para tal "façanha" da descoberta ou do encontro com estes seres oriundos de outros pontos cósmicos - eles existem Sim! Já que diversos ciêntistas afirmam a existem de outras "civilizações" dentro do nosso próprio Sistema Solar - você concorda ou? Absolutamente, eu não discordaria disto, jamais!

Então - “As estrelas brilham em busca daqueles que as contemplam de seus mundos, porque não 'para os filhos da superfície terrestre" de mundos como a Terra“...

Se negar que o universo é tão (cheio de vida) é parte da evolução - é como negar que os nossos oceanos não suportem a vida ou base necessária para ela, nossos mares comprovam isto nas suas exuberâncias. Não precisamos buscar em lugares distantes para ter certeza do que esta perto de nós. Não é sonho, é um simples fato daquilo que surgiu antes 'lá fora" e depois fora trazido para a Terra - a Vida.


Mosaico de imagens

Existe vida fora da Terra? Alguns dos cientistas mais respeitáveis dizem que sim. Vamos levar você ao avançado mundo do SETI, um programa de busca por inteligência extraterrestre, onde astrônomos, astrofísicos e astrobiólogos estão procurando novas formas de vida nos confins do espaço e bem perto da Terra”.


Assista:

Fonte do vídeo: 1001Documentarios

 Documentário: Planetas Alienígenas

National geographic - Planetas Alienígenas
O documentário ”Alien Worlds” é uma ficção científica, originalmente transmitido pelo National Geographic, enfatiza as descobertas de exoplanetas: mundos localizados fora do sistema solar, com formas totalmente diferente do nosso mundo.

Sinopse:

”A ciência está finalmente ao alcance de um dos seus ”santos graal” - a localização de uma Terra alienígena. Na busca por este paraíso intergalática, os astrônomos ficaram chocados com a grande variedade de planetas em torno de outras estrelas próximas.

Alguns eram tipos de planetas totalmente desconhecidos antes desta última década, incluindo gigantes gasosos monstruosos, enormes ”mundos de água”, e pesados ”super-terras” de três a cinco vezes mais massivo do que o nosso próprio planeta.

Os cientistas descobriram planetas que se comportam de maneiras estranhas: um mundo está em uma órbita altamente elíptica, enquanto alguns planetas podem ter escapado de suas estrelas-mãe por completo, e estão à deriva nas faixas escuras da Via Láctea.

Alguns planetas são tão estranhos que nunca poderiam ser previsto antes, como os zumbis planetários que surgem a partir dos túmulos de supernova de estrelas mortas. E a pergunta que assombra cada um desses mundos é ”a vida pode existir lá?” Em muitos casos a resposta é não, mas, em alguns mundos, a resposta pode ser diferente. Para encontrar ET, é preciso descobrir onde ele/ ela/ eles vivem primeiro.

Com o lançamento da missão Kepler, os astrônomos esperam encontrar no nas últimas décadas, um gêmeo da Terra - uma Terra alienígena - Natgeo

Assista:




Fonte do vídeo: Bittitb

 Mundos Internos e Mundos Externos

Documentário: Mundos Internos e Mundos Externos
O documentário que você verá “The Inner Worlds And The Outer Worlds” de Shahrukh Khan”, nesta apresentação nos traz um profundo ensinamento com estudos e conhecimentos sobre os vários campos de enérgia que permeia toda a criação.

Sinopse:

Existe um campo vibratório que liga todas as coisas. Ele tem sido chamado de Akasha, Logos, o OM primordial, a música das esferas, o campo de Higgs, energia escura, e milhares de outros nomes ao longo da história. Os antigos mestres ensinavam via Nada Brahma, o universo é vibração.
O campo vibratório é a raiz de toda real experiência espiritual e investigação científica. É o mesmo campo de energia que os santos, Budas, yogis, místicos, sacerdotes, xamãs e videntes têm observado olhando dentro de si mesmos. Na sociedade contemporânea, a maioria da humanidade esqueceu esta sabedoria antiga.
Nós nos perdemos muito longe no reino do pensamento; o que percebemos ser o mundo exterior da forma. Perdemos nossa conexão com os nossos mundos internos. Esse equilíbrio, o que o Buda chamou o caminho do meio, o que Aristóteles chamou a doutrina do meio-termo, é o direito natural de todo ser humano. É o elo comum entre todas as religiões, e da relação entre nossos mundos internos e os nossos mundos exteriores.

A verdadeira crise no nosso mundo não é social, política ou econômica. Nossa crise é uma crise de consciência, uma incapacidade de experimentar diretamente a nossa verdadeira natureza, e uma incapacidade de reconhecer essa natureza em todos e em todas as coisas.

Mundos Internos e Mundos Externos:
(“Existe uma origem que se move através de todos.“)

Ou se preferir dividido em quatro vídeos:

Parte 1:


Akasha

Akasha
Akasha é o não-manifestado, o “nada” ou o vazio que preenche o vácuo do espaço. Como Einstein percebeu, o espaço vazio não é realmente vazio. Santos, sábios e yogues que olharam dentro de si também perceberam que no vazio há um poder incomensurável, uma teia de informações ou energia que conecta todas as coisas. Esta matriz ou web tem sido chamada de Logos, o Campo de Higgs, o OM Primordial e mil outros nomes ao longo da história.

Na primeira parte dos mundos interiores, vamos explorar a fonte vibratória que se estende através de todas as coisas, através da ciência da cimática, o conceito do Logos, e o conceito védico de Nada Brahma (o universo é som ou vibração). Quando percebemos que há uma fonte vibratória que é a raiz de toda a investigação científica e espiritual, como podemos dizer “minha religião”, “meu Deus” ou “minha descoberta”.

Parte 2:
A Espiral


A espiral
O filósofo pitagórico Platão sugeriu enigmaticamente que havia uma chave de ouro que unificava todos os mistérios do universo. A chave de ouro é a inteligência do logos, a fonte do OM primordial.

Poderia se dizer que é a mente de Deus. A fonte desta simetria divina é o maior mistério da nossa existência.
Muitos dos maiores pensadores da história, tais como Pitágoras, Keppler, Leonardo da Vinci, Tesla e Einstein chegaram ao limiar desse mistério.

Todo cientista que olha profundamente no universo e todo místico que olha profundamente dentro de si, eventualmente, fica cara a cara com a mesma coisa: A Espiral Primordial

Parte 3:
A Serpente e a Lótus



A Serpente e a
Lótus
A espiral primordial é o mundo manifestado, enquanto Akasha é o não-manifestado, ou vazio em si. Toda a realidade é uma interação entre essas duas coisas; Yang e Yin, ou consciência e matéria. A espiral tem sido muitas vezes representada pela serpente, a corrente descendente, enquanto o pássaro ou a flor de lótus tem representado a corrente ascendente ou transcendência. As antigas tradições ensinaram que um ser humano pode se tornar uma ponte que se estende do exterior para o interior, do bruto ao sutil, dos chakras inferiores para os chakras superiores.

Para equilibrar o interior e o exterior é o que o Buda chamou o caminho do meio, ou o que Aristóteles chamou de a doutrina do meio-termo. Você pode ser essa ponte. O despertar pleno da consciência e energia humana é o direito natural de cada indivíduo no planeta. Na sociedade contemporânea, perdemos o equilíbrio entre o interior e o exterior. Estamos tão distraídos com o mundo exterior da forma, pensamentos e idéias, que nós já não dedicamos tempo para nos conectarmos aos nossos mundos internos, o reino do céu que está dentro.



Parte 4:

Além do Pensamento

Além do Pensamento
Vida, liberdade e a busca da felicidade… Nós vivemos nossas vidas buscando a felicidade “lá fora” como se fosse uma mercadoria. Nós nos tornamos escravos de nossos próprios desejos e ânsias.

A felicidade não é algo que pode ser buscado ou comprado como um terno barato. Esta é Maya, ilusão, o jogo interminável da forma. Na tradição budista, Samsara, ou o ciclo interminável de sofrimento é perpetuado pela ânsia pelo prazer e aversão à dor. Freud se referiu a isto como o “princípio do prazer”. Tudo o que fazemos é uma tentativa de criar prazer, para ganhar algo que queremos, ou para afastar algo que é indesejável, e que nós não queremos.

Mesmo um organismo simples, como o paramécio faz isso. Isso é chamado de resposta a estímulos.

Ao contrário de um paramécio, os seres humanos têm mais escolha. Somos livres para pensar, e esse é o coração do problema. É o pensamento sobre o que queremos que ficou fora de controle. O dilema da sociedade moderna é que buscamos compreender o mundo, não em termos da arcaica consciência interna, mas pela quantificação e qualificação o que consideramos ser o mundo externo através de métodos científicos e da lógica. Esse tipo de pensamento patológico que é desconectado da nossa realidade interior, só levou a mais e mais perguntas.

Procuramos conhecer as forças mais profundas que criaram o mundo e guiam o seu curso. Mas nós concebemos esta essência como exterior a nós mesmos, e não como uma coisa viva, intrínseca à nossa própria natureza. Foi o famoso psiquiatra Carl Jung, que disse: “quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta.”. Não é errado desejar estar desperto, ser feliz. O que é errado é buscar a felicidade fora quando ela só pode ser encontrada no interior.




Fonte dos vídeo: Bill Orwell, AukaMalen

Esse é para compartilhar! Scott Waring mostra em HD imagens espetaculares de estruturas na Lua - Imperdível!





Rat up ass

Saudações,
mulheres de tromba
senhoras e senhores! Se eu morresse, e revivesse 3 ou 4 vezes durante toda a eternidade, ainda não me passaria pela cabeça tamanha bizarrice. Esse vídeo chegou por email, enviado pelo leitor Paulo,  e eu lhes garanto: É algo bizarro além da conta. Segundo o texto enviado pelo Paulo, ele achou esse material peregrinando pela Deep Web. Trata-se de um
louco; maluco; filho da puta
homem, que resolve fazer algumas travessuras sexuais com UM RATO. Isso mesmo, um Rato. Já sei: Você está se perguntado “Como seria possível?”. Para descobrir, e mudar sua vida de uma forma complexa, assista o vídeo a baixo.



E mais uma vez, lá se vai meu apetite por uns 3 dias. Na minha humilde opinião, isso é a coisa mais nojenta que já vi na vida. Sério. Como pode um cara se passar a fazer algo assim?



 A mafia medica existe é todos nos somos vitimas


Vídeo: reportagem do Fantástico sobre desvio de dinheiro do SUS em Maceió e Rio de Janeiro, onde idosos e crianças são usados para desviar milhões


untitled mafia medica
“A Máfia Médica” é o título do livro que custou à doutora Ghislaine Lanctot a sua expulsão do colégio de médicos e a retirada da sua licença para exercer medicina.


Trata-se provavelmente da denuncia, publicada, mais completa, integral, explícita e clara do papel que o livro expõe, por um lado, a errônea concepção da saúde e da enfermidade, que tem a sociedade ocidental moderna, fomentada por esta máfia médica que monopolizou a saúde pública criando o mais lucrativo dos negócios.

Para além de falar sobre a verdadeira natureza das enfermidades, explica como as grandes empresas farmacêuticas controlam não só a investigação, mas também a docência médica, e como se criou um Sistema Sanitário baseado na enfermidade em vez da saúde, que cronifica enfermidades e mantém os cidadãos ignorantes e dependentes dele.




Acione o CC e assista em idioma português

O livro é pura artilharia pesada contra todos os medos e mentiras que destroem a nossa saúde e a nossa capacidade de auto-regulação natural, tornando-nos manipuláveis e completamente dependentes do sistema.

Vejam o vídeo no Youtube, e abaixo transcrição de entrevista com a Dr. Lanctot.
A seguir, uma bela entrevista à autora, realizada por Laura Jimeno Muñoz para Discovery Salud:

MEDICINA SIGNIFICA NEGÓCIO

DS: A autora de A Máfia Médica acabou os seus estudos de Medicina em 1967, numa época em que – como ela mesma confessa – estava convencida de que a Medicina era extraordináriae, de que antes do final do séc. XX se teria o necessário para curar qualquer enfermidade. Só que essa primeira ilusão foi-se apagando até extinguir-se. Porquê essa decepção?

GL: Porque comecei a ver muitas coisas que me fizeram reflectir. Por exemplo, que nem todas as pessoas respondiam aos maravilhosos tratamentos da medicina oficial. Para além disso, naquela época entrei em contacto com várias terapias suaves – ou seja, praticantes de terapias não agressivas (em francês Médecine Douce)– que não tiveram problema algum em me abrir as suas consultas e em deixar-me ver o que faziam. Rapidamente concluí que as medicinas não agressivas são mais eficazes, mais baratas e, ainda por cima, têm menores efeitos  secundários.

DS: E suponho que começou a perguntar-se por que é que na Faculdade ninguém lhe havia falado dessas terapias alternativas não agressivas?

GL: Assim foi. Logo a minha mente foi mais além e comecei a questionar-me como era possível que se chamassem charlatães a pessoas a quem eu própria tinha visto curar e lado, como médico tinha participado em muitos congressos internacionais-em alguns como ponente – e dei-me conta de que todas as apresentações edepoimentos que aparecem em tais eventos estão controladas e requerem, obrigatoriamente, ser primeiro aceites pelo comité científico organizador do congresso.

DS: E quem designa esse comité científico?

GL: Pois geralmente quem financia o evento: a indústria farmacêutica. Sim, hoje são as multinacionais quem decide, até o que se ensina aos futuros médicos nas faculdades e o que se publica e expõe nos congressos de medicina! O controlo é absoluto.

DS: E isso foi clarificador para si…?

GL: E muito! Dar-me conta do controlo e da manipulação a que estão sujeitos os médicos – e os futuros médicos, ou sejam os estudantes – fez-me entender claramente que a Medicina é, antes de tudo, um negócio. A Medicina está hoje controlada pelos seguros-públicos ou privados, o que dá na mesma, porque enquanto alguém tem um seguro perde o controlo sobre o tipo de medicina a que acede. Já não pode escolher. E há mais, os seguros determinam inclusivamente o preço de cada tratamento e as terapias que se vão praticar. Esse olharmos para trás das companhias de seguros ou da segurança social… encontramos o mesmo.

DS: O poder econômico?

GL: Exacto, é o dinheiro quem controla totalmente a Medicina. E a única coisa que de verdade interessa a quem maneja este negócio é ganhar dinheiro. E como ganhar mais? Claro, tornando as pessoas doentes…. porque as pessoas sãs, não geram ingressos. A estratégia consiste em suma, em ter enfermos crônicos que tenham que consumir o tipo de produtos paliativos, ou seja, para tratar só sintomas, medicamentos para aliviar a dor, baixar a febre, diminuir a inflamação. Mas, nunca fármacos que possam resolver uma doença. Isso não é rentável, não interessa. A medicina actual está concebida para quea gente permaneça enferma o maior tempo possível e compre fármacos; se possível, toda a vida.



        
Recado: quem for criticar porque não gosta, economize suas energias e não entre.
Meus queridos amigos e minhas queridas amigas bizarréééézimas! Hoje trago para os meus miguxos algumas compilações que nos fora enviado pela nossa leitora Daniele Tavares.
Se trata de algumas imagens e vídeos que seriam supostamente secretos da NASA.

Preparados? Comecemos!